quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Um ano azul para você!

Prezados amigos,

Com o nascimento da Sampa Azul, 2009 foi um ano mais do que especial. Tenho certeza absoluta que ninguém deixará este ano da mesma forma que começou.

Eu, por exemplo, somei algumas dezenas de grandes amigos na minha vida e tenho certeza de que você deve ter somado alguns também.

Então, para vocês - amigos da Sampa Azul - deixo aqui os mais sinceros votos de alegria, felicidade, saúde e dinheiro. Só a "paz" que eu vou ficar devendo, pois espero que tenhamos muitas e muitas noites de nervosismo juntos, torcendo pelos títulos do Cruzeirão!

O Blog sairá de férias nos próximos dias, mas em janeiro, retomaremos nossas atividades com força total e com novidades.

Felicidades a todos!

Equipe da Sampa Azul

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Poucos e bons

A Festa de Fim de ano da Sampa Azul aconteceu em grande estilo na noite desta quarta-feira, dia 16 de dezembro.


Teve a chuva, o trânsito e o caos de uma "Sampa" megalomaníaca, porém com a alegria, a vibração e a amizade "Azul" que nos é costumeira.


É bem verdade que o público presente foi muito aquém do esperado, talvez fruto de um final de dia complicado na capital paulista. Mas, certamente, foi em um momento como este que algum sábio inventou o ditado: "Quantidade não é a mesma coisa que qualidade".


Os guerreiros que compareceram à festa aproveitaram o palco, o telão e a iluminação especial para se divertir muito. Muitas risadas e cantorias romperam o silêncio da vizinhança, tudo regado ao talento "semi-profissional" do Filipe na viola e do Geraldo no microfone.

(Aliás, alguém tira o microfone do Geraldo... rs)


Aos poucos, a festa se tornou um verdadeiro "Aovivokê". Dentre músicas conhecidas - e outras nem tanto - a galera chegou a compor novas letras que fariam sucesso em qualquer festa de cruzeirenses.


O hit da noite, a canção marcante da festa fim de ano, foi a espetacular: "E eu... (pa ra pá pá pá) Vou pra libertadores sem vocêeeee..."


Nos intervalos da cantoria, uma seleção de vídeos especiais davam o tom da festa. Brincadeiras com o rival se alternavam com imagens de grandes conquistas do Cruzeiro.


Hora de música realmente profissional


Para a sorte dos nossos ouvidos, a festa contou com o talento do excelente músico Mauro, que a convite do Izael, tocou durante horas para os amigos da Sampa Azul.


O também palestrino cantor soltou a voz e deu o toque final na festa que, a esta altura, já beirava a perfeição.


(Quem desejar contratar o talento do Mauro, ai vão os contatos: Tel. (11) 7666-9265 / email: maurobonagura@gmail.com).


Uma mensagem a Sampa Azul


A comemoração de ontem foi o fechamento de um ano muito especial para todos nós. Celebramos ontem a amizade que uniu esse povo durante todo o ano de 2009.


Mais do que um lugar para assistir aos jogos do nosso time de coração, ontem foi dia de celebrar a conquista de novos amigos. Pessoas que, independente de jogos ou do Cruzeiro, levaremos conosco nessa jornada maulca chamada que chamamos de vida.


Que em 2010, e muitos anos no futuro, tenhamos momentos e conquistas como esta para comemorar. E, se Deus permitir, que muitas destas festas venham acompanhadas de conquistas do nosso Cruzeiro.


O meu mais sincero agradecimento...


...a todos os amigos que compareceram para prestigiar a festa organizada com tanto carinho pelo Izael. Superaram a chuva, o stress e o trânsito desta cidade doida, tudo para estarem lá ontem. Um exemplo de comprometimento com nosso grupo.


Ao próprio Izael, pelo empenho e dedicação que ele sempre demonstrou conosco, abrindo as portas do seu estabelecimento para nos receber de forma tão acolhedora.


Ao Mauro, músico de primeira, que abrilhantou a festa com sua voz e violão. Simpático, talentoso, também palestrino e, depois de ontem, um pouco mais cruzeirense.


E, por fim, a todos os amigos que fizeram de 2009 um ano especial para a história do Cruzeiro. Um ano que fica marcado como o surgimento da primeira embaixada celeste em São Paulo: a Sampa Azul.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Vamos fechar 2009 com chave de ouro!

Para quem adora as festas de final de ano, a Sampa Azul vai dar mais um motivo para comemorar: 1ª Festa de Fim de Ano - Sampa Azul.

Na noite da próxima quarta-feira, dia 16 de dezembro, na sede da Sampa Azul, vamos reunir todos os amigos que ajudaram a formar a primeira embaixada do Cruzeiro na cidade de São Paulo.

Tragam amigos e familiares pois será um dia muito especial. Vamos relembrar o que aconteceu de melhor durante o ano.

Será uma festa maior do que em dia de jogos. Vamos enlouquecer os vizinhos do Izael... rs

Se possível, venham devidamente uniformizados com o manto celeste. Afinal de contas, não existe roupa melhor para a ocasião?

Festa de fim de ano Sampa Azul.
Tão bacana quanto depenar os adversários.

domingo, 6 de dezembro de 2009

O "TRI" da Libertadores...

Sim, amigos cruzeirenses. Podem comemorar pois a tão sonhada vaga na Libertadores 2010 é nossa!

O Cruzeiro entrou em campo hoje com dois desafios distintos. Vencer o Santos na Vila e contar com o tropeço de São Paulo ou Palmeiras para beliscar uma das vagas na Libertadores. E apesar de já ter revelado o final desta história logo no primeiro parágrafo, ler como isso aconteceu é tão emocionante quanto a vaga propriamente dita.

Logo nos primeiros minutos de jogo, o Cruzeiro abriu o placar com W. Paulista, em uma bomba no canto direito do gol do jovem goleiro Santista. Minutos depois, quase apliou o placar com um chute do mesmo camisa 9 celeste. Depois disso, o primeiro tempo acabou sem maiores emoções.

Quando o segundo tempo começou, o que se viu em campo foi um Santos mais agressivo e um Cruzeiro preocupado em se defender. Panorama que se intensificou com o gol do Botafogo sobre o Palmeiras.

Estávamos, enfim, dentro do G4 e com a mão na vaga para a Libertadores. Mas nada para o torcedor cruzeirense pode ser fácil ou sem sofrimento. E em um lance do pelo lado direito do Cruzeiro, Mádson faz falta em Jonathan, mas o juiz inverte a infração e pune o lateral do Cruzeiro com o segundo amarelo. Ficamos com um a menos.

O Adílson apostou em uma tática para segurar o resultado a qualquer custo. Colocou o time com 4 zagueiros para segurar a pressão. O que ele não esperava era que o Santos empatasse o jogo em uma falha de marcação dos 4 defensores celestes.

Mais uma vez, uma série de indagações tomavam conta da mente do torcedor estrelado. Será que deixaríamos a vaga espacar, mesmo com tudo conspirando a favor e o Botafogo vencendo o jogo? Será que merecemos mais este castigo em 2009?

Enquanto o Botafogo apliava o placar para 2x0 contra os porcinos, o Cruzeiro sofria para empatar o jogo, com um a menos e 4 zagueiros em campo. Foi então que Adílson deu a sua cartada final... Kléber, o polêmico gladiador do Cruzeiro, entraria em campo para tentar mudar o panorama da partida. Parecia estar escrito. Muitos do que assistiam o jogo comigo apostaram "e não é que o Kléber vai entrar e fazer o gol do Cruzeiro? Podem acreditar."

Dito e feito! No primeiro chute a gol que deu na partida, na sua volta ao Cruzeiro, o K30 desempatava a partida em favor do Cruzeiro. (Meu Deus, como o pessoal da Sampa Azul vibrou neste gol!)

Mais uma vez, a vaga estava em nossas mãos, e daí até o final da partida, suamos sangue. Principalmente nos 5 minuots finais de jogo, momento em que a torcida do Cruzeiro sempre fica apreensiva. Mas a cota de sofrimento em fim de jogos estava esgotada este ano, e após um ataque perigoso de Neimar que quase empatou a partida no último minuto, o juiz apitou o fim do jogo.

Vibramos muito, mas ainda era preciso agonizar com os minutos finais do jogo contra o Botafogo. E tome mais sofrimento! O juiz deu 4 minutos de acrescimos na partida, tempo suficiente para o Palmeiras descontar faltando 2. Não podia ser verdade. Mais sofrimento?! Depois de uma virada daquelas na Vila!?

Mas o destino não quis que o Palmeiras empatasse a partida e o jogo acabou 2x1 para o "Botazeiro", que teve direito a gol de Jóbson, futuro craque celeste... rs

E que ironia do destino... o Kléber fez o gol que classificou o Cruzeiro e eliminou o seu amado Palmeiras da Libertadores. Como o mundo gira, heim? Não poderia existir roteiro mais irônico.

Fim de Brasileirão, e o Cruzeiro conquistou o "TRI" da Libertadores. Não o campeonato como queríamos, mas pelo terceiro ano consecutivo, vamos disputar o torneio mais importante da América Latina. Fica a sensação de que podíamos ter conquistado mais, só que para quem viveu receio de cair para a segunda divisão, esta vaga foi de lavar a alma. Como é difícil e louvável esta conquista de hoje.

E cá entre nós... temos ainda um gostinho mais do que especial de ver a "galinhada" assistindo a mais uma vitória do Cruzeiro. Não só acabamos o campeonato na frente do time listrado, como ainda nos classificamos para a Liertadores.

Por isso, para esses torcedores do MST (Movimento dos Sem Time), fica o meu sorriso de time grande e vencedor. A única chance deles comemorarem algo é torcer para o Cruzeiro chegar em decisões para que tenham a "sorte" de algum adversário nos vencer, pois em BH e no Brasil todo, esta camisa listrada já virou motivo de chatota.

Parabéns ao time, ao Adílson Batista e especialmente a torcida celeste que foi um verdadeiro SHOW este ano. Ano que vem, vamos em busca do título que nos escapou este ano.

E não podia acabar esta mensagem de uma forma diferente, se não cantando com vocês a música que acordou todos os vizinhos da Sampa Azul...

"Vamos Cruzeiro querido de tradição,
Libertadores, ser Campeão!"

domingo, 29 de novembro de 2009

Com a mão no caneco... de cerveja!

Depois de tantos resultados adversos no Mineirão, finalmente o Cruzeiro fez valer o fator "mando de capo" e tratou de despachar o Coritiba pelo placar de 4x1.

É bem verdade que a desconfiada torcida estrelada ainda levou um belo susto com o time paranaense abrindo o placar aos 11 do primeiro tempo. Mas a pontaria de Henrique (que este ano acertou tudo e mais um pouco chutando de fora da área) e o oportunismo de Jonathan garantiram a virada cruzeirense ainda no primeiro tempo.

W. Paulista - de pênalti - e o jovem garoto Eliandro trataram de dar números finais a partida, que só não foi mais ampla pois Athirson perdeu um gol feito e o zagueiro do Coritiba, em um lance cômico, tirou uma bola certeira meio que sem querer, quando seu corpo "ricocheteou" na trave celeste.

Embora difícil, o Cruzeiro ainda chega vivo na luta pela Libertadores na última rodada. De todos os adversários, fica nossa torcida para que o Botafogo fuja do rebaixamento derrotando o Palmeiras no Engenhão. E, claro, que o Cruzeiro faça a sua parte contra o Santos.

De qualquer modo, hoje um prêmio de "consolcação" foi dado à torcida celeste. Depois de 35 rodadas, o Cruzeiro ultrapassou o arqui-rival Atlético e fez a alegria de diversos cruzeirenses que fizeram apostas com torcedores galináceos.

Tarda mais não falha! Agora um empate garantirá este prêmio de consolação para a torcida celeste, além de litros e litros de cerveja.. (hahaha). Pelo menos nesta disputa, estamos com a mão no caneco... de cerveja!

Brincadeiras a parte, é pouco para quem teve hoje a certeza de que poderíamos - de fato - ser campeões brasileiros se na hora "H" não tivéssemos falhado tanto.

Que venha o Santos! E que mais uma zebrinha passeie pelos campos de São Paulo e Palmeiras, deixando uma vaguinha na LA2010 para gente.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O dia do "Fico" celeste.

"Se é para o bem de todos e felicidade geral nação, diga ao povo que fico".

Não meus amigos, não foi parafraseando D. Pedro I que o treinador celeste confirmou sua presença no Cruzeiro em 2010. Mas sim, Adílson será o comandante estrelado por, pelo menos, mais uma temporada.

Quando o Adílson chegou ao Cruzeiro em 2008, muita gente olhou com desconfiança a chegada daquele desconhecido treinador. Afinal a diretoria havia prometido um técnico de "renome" para a libertadores daquele ano, e Mano Menezes, treinador da moda na ocasião, deu um "toco" na diretoria celeste para acertar com o Corinthians.

Em sua trajetória no Cruzeiro, Adílson sempre foi um camarada um tanto quanto "polêmico". Logo que chegou, pediu a contratação de três volantes (Henrique, M. Paraná e Fabrício). Destes, apenas Fabrício começou bem, enquanto Paraná (improvisado na lateral direita) e Henrique sofriam com as cobranças da exigente - e chata - torcida do Cruzeiro.

Adepto do futebol moderno, no qual jogadores não guardam apenas uma posição em campo, foi diversas vezes questionado pela torcida, e até hoje "sofre" com um apelido que ele mesmo se concedeu em uma entrevista pós jogo. "O pessoal diz que eu invento, que sou o Professor Pardal".

Polêmico também no tratamento com a imprensa. Claramente emotivo e dedicado, o treindor não leva desaforo para casa. Responde de forma ríspida a algumas críticas e questionamentos da imprensa mineira. (Eu também responderia de forma mais abrupta aos emplumados disfarçados de jornalistas).

Infelizmente o torcedor, a massa de um modo geral, é teleguiada e compra as picuinhas dissipadas pela imprensa. Por isso o treinador nunca conseguiu ser unanimidade entre os Cruzeirenses.

Particularmente eu acredito muito em duas coisas: Seriedade e Trabalho. E nestes quesitos, acredito que o Adílson se destaque com louvor. Ele é estudioso do futebol, dedicado e trabalhador. Acredita no que faz e é coerente com seus pensamentos. Se por um lado, uma certa teiomosia não faz dele um cara perfeito, por outro a insistência em suas crenças rende frutos. Que o digam M. Paraná e Henrique, que antes foram questionados e hoje conquistaram o respeito da maioria da torcida.

A continuidade de um trabaho sempre rendeu bons frutos aos times que apostaram nessa filosofia. Foi assim com o Muricy no São Paulo e com o Luxemburgo no Palmeiras de 92 e 93, e no Cruzeiro de 2003. Para 2010, teremos os mesmos jogadores, o mesmo treinador e uma vantagem enorme perante times que ainda vão se montar para a próxima temporada.

Nas últimas rodadas, Adílson cativou um pouco mais os torcedores celestes e, hoje, já recebe a admiração de grande parte da torcida. Episódios polêmicos e divertidos como o "Toma" que ele gritou para a torcida logo após um gol, e a fantástica voadora na placa de publicidade no jogo contra o Santo André externaram para todos o lado torcedor e apaixonado do treinador estrelado.

O Adílson comanda o time como se tivesse um "joystick" nas mãos. Grita o tempo todo na beira do campo e nunca deixa de cobrar de seus jogadores. Para os mais racionais, basta olhar para os números de um treinador que apresenta o melhor aproveitamento pós 2003 no comendo do Cruzeiro (e temos que destacar que o Adílson não tem nenhum Alex10 em campo).

Como sou fã de pessoas trabalhadoras e coerentes, não poderia deixar de expressar aqui o meu apoio ao técnico Adílson Batista. Minha torcida ele sempre teve, pois como torcedor, incentivar é minha obrigação. Agora deixo aqui também o meu desejo de boa sorte.

Que ele saiba que muitos vão questioná-lo, que a imprensa vai incomodar e perturbar o ambiente celeste. Mas que ele seja paciente, batalhador e nunca desista pois a maioria está com ele e tem fé no seu trabalho.

E na vida profissional é assim: "Quanto mais se trabalha, mais a sorte aparece".

Um 2010 campeão para todos nós.

domingo, 22 de novembro de 2009

Matematicamente ainda dá, mas e moralmente?

Não assisti ao jogo do último sábado. Ainda bem, ou não?

Com o empate em 1x1 contra o Atlético-PR, o Cruzeiro conseguiu complicar de vez a sua participação na Libertadores 2010. Como disse o Adílson, treinador celeste, se tivéssemos ganho do Fluminense no Mineirão, este empate seria um resultado normal e aceitável. Não era o caso.

Pelos melhores lances, parece que o jogo foi duro de ver. Deixo aos comentaristas do Blog o espaço aberto para dividirem com os demais amigos um raio-x da partida. Mas, lances a parte, o que conta mesmo é o resultado final.

Mas afinal de contas, para o cruzeirense, o copo pela metade está meio cheio ou meio vazio em 2009?

Para quem leva em consideração que o time estava ameaçado pelo rebaixamento e arrancou com uma das melhores campanhas do 2º turno, o copo está meio cheio. Para aqueles que pesam a perda da Libertadores e viram um time com reais chances de brigar até pelo brasileiro, o copo está meio vazio.

Os mais otimistas dirão que o time disputou 4 torneios em 2009 e ganhou 2, chegou a final de 1, e quase beliscou algo no 4º. Os mais exigentes (grupo no qual me incluo) não consideram o Torneio Verano, nem o Mineiro, conquistas de verdade. (Cá entre nós, confesso não saber qual vale menos).

No fim das contas, fica a esperança de um 2009 melhor. Pela primeira vez em muito tempo, teremos um time montado logo para o comecinho do ano. Falta definir se o Adílson vai comprar essa briga conosco ou não.

Se você, caro leitor, gosta de escritas e se apega a simbologias, mesticismos e amuletos da sorte, saiba que todo ano depois que o Corinthians ganha a Copa do Brasil, no torneio seguinte quem levanta o caneco é o Cruzeiro. Agora decida quão cheio está o seu copo. Se meio cheio pela perspectiva de um título, ou se meio vazio pois isto implicaria em não disputar a Libertadores 2010.

Sinceramente, não sei o que pensar ou esperar. Acho que o time perdeu muito do embalo que o creditava a Libertadores, e dos jogos que restam, o último fora de casa e contra o Santos (do chato Luxemburgo) não me cheira a vitória. Tudo isso, sem contar o "seca seca" que teríamos que fazer nos demais times.

Ou seja, matematicamente dá, mas e moralmente?

Se a vaga vier, vou comemorar... Mas torcer mesmo, vou preferir focar minhas energias positivas para que o Perrela contrate 3 ou 4 jogadores realmente bons para o Cruzeiro para que, enfim, acabemos com este jejum incomodo e inédito na minha vida de 6 anos sem um título realmente grande.

sábado, 14 de novembro de 2009

Um time "broxante".

Se existe um time capaz de deixar sua torcida apreensiva do início ao fim de um jogo, esta equipe é o Cruzeiro.

Nem mesmo com placares dilatados a seu favor o torcedor cruzeirense tem paz. 1, 2 ou 3 gols de diferença se esvaem em apagões e falhas aparentemente inexplicáveis. Quase sempre com requintes de crueldade, nos minutos finais e acréscimos da partida.

Mas existe explicação sim para isso tudo: falta MALÍCIA ao time do Cruzeiro.

Há quem diga que acidentes acontecem. Mas os jogos contra Vitória, Avaí, Fluminesne e o de hoje, contra o Grêmio, mostram que este time não tem malandragem, maturidade e atenção para segurar um simples resultado.

Segura a bola na lateral, junta 3 ou 4 jogadores para proteger a bola, segura a bola no ataque, não perca gols feitos.... Caia no chão, simule uma lesão, use o veneno de nossos adversário contra eles. Mas não, sempre uma ou outra falha individual, ou um apagão coletivo colocam em cheque nosso time.

Hoje mais uma vez jogamos bem. O Adílson foi ousado, fez o que tinha que fazer. O time também, marcando primeiro gol. Só que mais uma vez, depois de tanto errar, tomamos um gol no fim do jogo... mais um... e saimos do G4.

O Cruzeiro parece aquele garoto que sai na balada, acha a moça mais bonita da noite, ganha ela no papo, com muita luta leva ela para cama e na "hora H", brocha. Depois do jogo de hoje, ouvi dizer que estão estudando mudar a cor do viagra, pois azul ele não pode ser.

Hoje eu e milhões de cruzeirenses estamos chateados. Depois de maltratar tanto esta torcida em 2009, no último jogo do ano no Mineirão, a diretoria deveria por o ingresso a um preço simbólico. Pois pagar e acompanhar o time com o empenho que esta torcida teve este ano e não encontrar recompensa, merece muito mais do que um simples pedido de "desculpas" por parte dos jogadores.

Em tempo, quero ressaltar a TODOS os cruzeirenses que tiverem a oportunidade de ler este Blog. "Enquanto houver esperança, estarei com o time sem desistir".

Mesmo com o empate de hoje, entendam que com minhas críticas não proponho uma caça as bruchas, nem mesmo estou culpando A ou B (nem o AB) por absolutamente nada. Quero apenas ressaltar que um time que almeja algo não pode ser tão ingênuo, tem que ser mais malandro.

Agora, mais uma vez, teremos que lutar fora de casa para ganhar uma partida. Uma não, temos que ganhar TODAS as partidas que nos restam para tentar sonhar com algo.

Que sina!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Momento Solidariedade!

Salve torcida cruzeirense, em especial os amigos da Sampa Azul. Hoje faço uma breve pausa no assunto futebol para divulgar uma causa que vale a pena.

Todo ano eu ajudo um projeto social muito bacana que leva comida para centenas de famílias carentes no mês do Natal. E este ano você pode ajudar muito.

Trata-se da "Balada Solidária", um projeto no qual nós (eu e um grupo de amigos) convidamos nossos amigos a doarem aquela graninha que gastaríamos com uma "balada", utilizando este dinheiro para comprar cestas básicas para pessoas que realmente precisam.

Ano passado arrecadamos aproximadamente 18 mil reais, o que rendeu 670 cestas básicas para gente que passa fome e 150 brinquedos para as crianças carentes.

Não quero e não vou tomar muito tempo de vocês com aquele "bla bla bla" sentimental. Prefiro pedir que você assista ao vídeo abaixo. As imagens falam por sí.



Se você quiser ajudar, visite o site do projeto:
http://www.umabaladaparaquemprecisa.com.br/

Se pensarmos que há 6 anos o projeto começou
com apenas 4 amigos, você vai perceber rapidinho
que a sua participação vai fazer toda a diferença.


Sei que aqui não vai fazer o mesmo sucesso, mas conseguimos junto ao dpto. de marketing do São Paulo uma CAMISA OFICIAL DO SÃO PAULO FC AUTOGRAFADA, pelo elenco tricolor para um leilão beneficente que vai arrecadar dinheiro para nossa campanha.

Se vocês conhecerem alguém que seja São-paulino, ou mesmo se tiverem interesse em ajudar nossa campanha com um lance, entre no site e veja como participar. A pedida inicial é de apenas R$180,00 e, em breve, teremos camisas de outros clubes participando também.

Espero poder contar com a sua ajuda. Quem sabe não comemoramos juntos mais coisas do que os gols do Cruzeiro?

Um abraço do amigo,

Edu Mano

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Eles desequilibram o campeonato...


Vejam vocês que interessante, se é algo que não nos faz refletir.

Navegando pela internet, encontrei no Blog do jornalisra Mauro Beting (muito bom jornalista, diga-se de passagem), uma coluna chamada BOTA-TEIMA. Nesta coluna, o blogueiro teve o trabalho de listar todos os erros e acertos dos juizes nos jogos do Brasileirão.

Advinhem quem é o time que foi mais prejudicado até a 33ª rodada do brasileirão 2009? Acertou quem apostou no Cruzeiro.

Com 14 "garfadas" contra, o time lidera o grupo de times que mais foram prejudicados durante a competição nacional. O saldo só não é pior para o nosso lado pois, depois da roubalheira descarada no jogo Cruzeiro x Palmeiras no Mineirão, parece que a juizada ficou com um pouco de vergonha de roubar tanto contra o time estrelado e acabou descontando contra o pequeno Sto. André.

Mas uma coisa não elimina a outra. O fato é que os juizes brasileiros são péssimos. Abaixo, as estatísticas presentes no blog do Mauro. Quem quiser acompanhar o saldo final deste festival de erros, basta acompanhar o blog do Mauro Beting clicando aqui.

Você, caro leitor, que tire as suas conclusões...

NÚMERO DE VEZES EM QUE FORAM AJUDADOS OU PREJUDICADOS

PREJUDICADOS:
Botafogo - prejudicado 13 vezes; ajudado 7 vezes
Flamengo - prejudicado 13 vezes; ajudado 8 vezes
Cruzeiro - prejudicado 14 vezes; ajudado 11 vezes
Atlético - Paranaense prejudicado 6 vezes; ajudado 3 vezes
Palmeiras - prejudicado 12 vezes; ajudado 10 vezes
Barueri - prejudicado 6 vezes; ajudado 4 vezes
Sport - prejudicado 2 vezes; ajudado 1 vez
Fluminense - prejudicado 2 vezes; ajudado 1 vez

BENEFICIADOS
Corinthians - ajudado 11 vezes; prejudicado 7 vezes
Santos - ajudado 7 vezes; prejudicado 3 vezes
São Paulo - ajudado 12 vezes; prejudicado 9 vezes
Vitória - ajudado 6 vezes; prejudicado 3 vezes
Goiás - ajudado 7 vezes; prejudicado 5 vezes
Avaí - ajudado 4 vezes; prejudicado 2 vezes
Coritiba - ajudado 3 vezes; prejudicado 1 vez
Grêmio - ajudado 6 vezes; prejudicado 5 vezes
Atlético Mineiro - ajudado 4 vezes; prejudicado 3 vezes

SALDO ZERADO
Internacional - prejudicado 7 vezes; ajudado 7 vezes
Náutico - prejudicado 6 vezes; ajudado 6 vezes
Santo André - prejudicado 4 vezes; ajudado 4 vezes

sábado, 7 de novembro de 2009

Vira vira...


Tudo bem que dizem que a vida é uma roda gigante, que um dia a gente está por baixo e no outro estamos por cima, mas os últimos jogos tem sido uma prova definitiva disso.

Depois de ganhar do Sto. André de virada em um jogo emocionante, perdemos para o Fluminesne de forma decepcionante. Hoje, em contrapartida, uma virada "a la Flu" nos deu mais um triunfo fora de casa. Ah, o futebol!

Não fosse o tropeço do domindo passado, estaríamos ainda mais próximos da taça. Mas tudo bem, seguimos fortes na luta pela Libertadores.

O jogo contra o Sport era de suma importancia para o Cruzeiro, que começou bem o jogo, pressionando o adversário, mesmo jogando fora de casa. No entanto quem marcou primeiro foi o time pernambucano. Aliás, quem marcou e ampliou, pois com 16 minutos de jogo já estava 2x0 para o Sport.

Não dava para acreditar. No entanto o o futebol do Cruzeiro era melhor, o time celeste é muito superior ao quase rebaixado Sport e aos poucos as coisas foram se acertando. Thiago Ribeiro diminuiu ainda no primeiro tempo. Já na segunda etapa, Leo Silva e Guerrón decretaram a virada celeste.

Agora, é continuar nossa luta, jogo a jogo, e dar aquela secadinha de leve nos adverários. Ainda dá e, enquanto houver chances, estaremos na luta.

Vamos vamos, Cruzeiro!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sorín Eterno.

Foto: globo.com

O dia 4 de novembro de 2009 ficará marcado como a última partida de um dos maiores ídolos da história do Cruzeiro: Juan Pablo Sorín.

Embora este blog já tenha registrado nossa gratidão por toda dedicação que o craque mostrou com nossa camisa, vale a pena repetir mais uma vez: Obrigado Sorín!

Mais de 40 mil pessoas foram prestigiar este momento histórico. O jogo em sí foi morno, amistoso, valeu muito mais pela festa. Sorín começou o jogo com a camisa do Cruzeiro, jogou alguns minutos pelo Argentino Jrs. e acabou a partida com a camisa celeste.

Apesar da grande torcida, a vitória do Cruzeiro por 2x1 não teve um gol do argentino. Mas este é apenas um pequeno detalhe na história deste fantástico jogador.

Sorte de uma torcida ter alguém tão especial para chamar de ídolo. Sorte dos mais novos que tiveram a chance de ver um ídolo de verdade jogar pelo nosso time. Sorte de BH, que passa a ser a casa de Sorín, um exemplo de profissional e símbolo da raça cruzeirense.

Sorín eterno. Deixou o campo para fazer parte de nossas páginas heróicas imortais!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Juntos somos mais fortes!

Se os resultados do time ficaram muito aquém de nossas expectativas em 2009, uma vitória muito bacana aconteceu neste ano. Uma grande conquista da nossa torcida.

2009 ficará marcado como o ano do nascimento da Sampa Azul!

É bem verdade que o título da Libertadores não veio, mas já dizia o sábio que a verdadeira felicidade está na jornada, e não no destino. E quando olho para os dias que passaram, fica impossível não lembrar de momentos especiais, de muita alegria, que vivemos juntos.

Por isso, para que você amigo(a) possa começar bem a semana, ai vai uma pequena homenagem para cada um de vocês que ajudou a construir a Sampa Azul.


Ganhar ou perder faz parte do jogo. Mas aconteça o que acontecer, é muito bom saber que estaremos juntos!

Uma ótima semana a todos.

domingo, 1 de novembro de 2009

Revés sobrenatural

Existem derrotas e derrotas. Todo revés é amargo, porém o de hoje foi especialmente doido.

Depois de dominar o jogo no primeiro tempo, abrir 2 gols de vantagem, perder um pênalti e enfiar uma bola na trave, levamos uma virada histórica em pleno Mineirão, com mais de 49 mil torcedores. Uma virada fruto do "salto-alto" de um time que se declarou vencedor de uma partida que não havia acabado ainda.

O segundo tempo teve 10 minutos de um Cruzeiro inexistente, sem pegada. Foi o suficiente para o lanterna do campeonato fazer 2 gols para empatar o jogo. E como desgraça pouca é bobagem, o terceiro gol veio como o castigo final.

Como esse jogo maltratou nossa torcida. Depois de 5 vitórias seguidas, de ganharmos inúmeros jogos fora de casa, de partidas emocionantes, um revés deste foi realmente uma punhalada nas costas da torcida celeste. Perder desta forma, logo depois de entrarmos no G4, foi uma injsutiça sem tamanho com quem já sofreu o que sofreu em uma final de Libertadores.

Embora o momento seja dolorido, é hora de erguer a cabeça, meus amigos. Tropeçar todo mundo tropeça e o G4 está logo ai. A nós, resta fazer o que fazemos melhor: torcer.

Que o time reencontre o rumo da vitória diante do Sport.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Um verdadeiro teste para cardíacos.



Mágico, sofrido, eletrizante, revigorante, justo, de lavar a alma… Escolha você, amigo Cruzeirense, que sobreviveu ao verdadeiro teste cardíaco desta quarta feira, o adjetivo perfeito para este jogo. Escrevi no post anterior que não esperava um jogo fácil, mas nem de longe imaginava tamanho sofrimento contra o modesto Sto. André.

O primeiro tempo foi jogo de um time só. O Cruzeiro massacrava o time Andreense mas esbarrava na falta de mira dos homens de frente, em especial do Guerrón. As tantas, uma bola na trave do Gilberto quase enfartou a galera que abarrotu a Sampa Azul para este jogo.

O segundo tempo também começou nesta toada. Mais bolas na trave, mais lances perigosos, mais investidas do Cruzeiro. Um arremate do Fabrício virou grito de gol no bar, mas segundos depois da euforia percebemos que a bola – de fato – não havia entrado.

Nas mesas da Sampa Azul, amigos antigos que voltaram ao Q.G. se somavam aos novos torcedores que conheciam a casa pela primeira vez e aos fiéis cruzeirenses que nunca largaram o time, mesmo na época que roíamos o osso das últimas posições. Todos em uma corrente para frente e com muita confiança.

Até que o mesmo Guerrón que matava a todos de raiva marcou um golzinho sofrido, suado, que teimou em entrar devagarinho. Pronto, havia saido o primeiro 0 do placar.

Pena que poucos minutos depois, o time de Sto. André empatava o jogo com um belo gol do atacante Nunes. E lances depois virava a partida, em um chute colocado no canto do goleiro Fábio. O Sto. André havia feito em 2 lances isolados o que o Cruzeiro não tinha conseguido em muitas investidas ao ataque.

Havia tempo. E também havia Gilberto em campo. Com uma visao de jogo exclusiva daqueles jogadores acima da media, teleguiou uma bola na cabeça do jovem Eliandro, que entrou no lugar do Guerrón e marcou o gol de empate do Cruzeiro.

Pela primeira vez, o grito que ouvi depois de um gol não foi de vibração, mas sim um de “volta, volta”… A torcida, assim como os jogadores reservas do Cruzeiro gritavam para o garoto voltar ao campo e parar de comemorar aquele que era o primeiro gol de sua carreira como profissional. Olhando agora, com a cabeça mais fria, foi até um pouco de maldade com o menino.

Ainda havia tempo. E se Gilberto deixava o campo, cansado, a fé nunca deixou de existir. Era como se fosse uma profecia. E lá para as tantas dos acrescimos, jogada individual de Jonathan com um cruzamento na medida para a cabeça do Thiago Ribeiro… Um gol mágico do Cruzeiro.

Daí para frente, não me lembro de mais nada. Todos na Sampa Azul se abraçavam, gritavam, explodiam em uma alegrida única, inexplicável para quem não estava conosco naquele momento. Só quem tem um coração cruzeirense (que sobreviveu a este rigoroso teste) é capaz de entender tamanha emoção.

Resultado final, um 3x2 que nos deixa mais vivos do que nunca para a Libertadores 2010, embora, hoje, não exista cruzeirense no planeta que não acretide no título depois de uma partida mágica como essa.

Tal qual nos tempos da Libertadores, acordamos os vizinhos do Minas Tutu com nossa vibração e cantoria. Como foi bom!

Se o caneco vai ser nosso, realmente eu não sei. Mas o que ninguém tira da gente é este orgulho de torcer para o time da camisa estrelada. Se antes eu já era um privilegiado por ser um torcedor do Cruzeiro, hoje sou ainda mais por poder dividir isso com os amigos que estão fazendo desta cinza São Paulo, uma capital cada vez mais azul e estrelada.

Não posso acabar este texto de uma forma diferente, se não dizendo obrigado a todos que compareceram mais uma vez, e compartilhando com vocês as fotos e os videos deste momento tão especial.

Um abraço vencedor para cada um de vocês.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Mais um passo rumo ao G4


Mais uma vitória apertada, suada e difícil. Jogamos contra uma boa equipe, contra a torcida adversária e contra o juiz que tentou a todo custo prejudicar o time do Cruzeiro. Só que é nas grandes adversidades que nós crescemos e ontem, no Pacaembú, não foi diferente. Vencemos mais uma partida, a quarta na seqüência.

Ontem, o time lutou como tem sido de costume. Um verdadeiro presente para a torcida celeste que LOTOU o espaço visitante, entoando as músicas que agitam a torcida cruzeirense Brasil a fora. Um verdadeiro espetáculo, como deve ser. Alegre, vibrante e na paz.

Agora temos mais 2 jogos em casa, e contra adversários que estão na ponta de baixo da tabela. Que a torcida não espere jogos fáceis, mesmo sabendo que temos um time superior e que jogaremos em casa. A toada destes jogos tem sido de partidas apertadas, disputadas e sofridas. Esperemos que os resultados positivos também se repitam.

Queria mais uma vez parabenizar a torcida do Cruzeiro, em especial os amigos da Sampa Azul que marcaram presença também no espetáculo. Alguns se juntaram na sede para ir junto ao Pacaembú, outros já foram direto para o campo... Mas todos estavam lá, presentes e incentivando o time.

Agora é se reunir novamente para, na próxima quarta, darmos mais um passo rumo ao G4. E vamos assim, como nos é peculiar, comendo pelas beiradas. quem sabe não deixam um caneco cair no nosso colo até o fim de campeonato.

Me despeço de vocês deixando aqui uma pequena amostra da vibração e da festa da torcida na vitória de ontem. Vamos vamos, Cruzeiro!



quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Com raça...


Nem de longe foi um jogo brilhante. Na verdade, considerando que o adversário era um Botafogo em má fase, o resultado de apenas 1x0 até decepciona um pouco. Mas levando em conta os desfalques do time e a importancia destes 3 pontinhos, podemos dizer que foi uma goleada de 1x0.

O Adílson tirou leite de pedra. Sem contar com seus maiores artilheiros na temporada, nem com a consistência do capitão Leo Silva e o talento do armador Gilberto, fez o que deu... E ao melhor estilo "torcedor", logo após o gol celeste, liberou um sonoro "toma" para parte da torcida que o chamava de burro.

Agora, vemos nossas chances de Libertadores subir de 2% para mais de 30% neste momento do campeonato. E temos que aproveitar este momento de crescimento do time e o bom aproveitamento fora de casa para o jogo contra o Corinthians, no Pacaembú.

Aliás, os amigos da Sampa Azul vão estar lá para dar aquela força ao time!

Vamos vamos, Cruzeiro! Que seja duro, que seja tenso, que seja de pouco, mas que as vitórias sejam constantes nesta reta final de campeonato, para que possamos estar onde merecemos: na Libertadores da América.

sábado, 17 de outubro de 2009

Ôoooo, a Sampa Azul voltoooou… A Sampa Azul voltoooooooouuu…



Aos poucos, passado o trauma da final da Libertadores, o futebol do time está voltando a aparecer. E com ele, os amigos da Sampa Azul.

Apesar de estarmos presentes em TODOS os jogos do Cruzeiro, a grande torcida celeste em São Paulo está voltando aos poucos a lotar a Sampa Azul. Basta ver o registro do público no jogo contra o Palmeiras, no meio da semana, na noite de uma quarta feira chuvosa. Ou ainda o pessoal que apareceu no clássico do último domingo, com destaque aos inúmeros amigos novos que conheceram nosso QG pela primeira vez.

Por isso amigo, você que mora em São Paulo e aproveitou a grande fase do time na Libertadores, saiba que aquele clima maravilhoso está de volta. Venha prestigiar a Sampa Azul e acompanhar nosso time do coração ao lado de outros torcedores que, como você, compartilham da mesma paixão pelo Cruzeiro.

É como diz o "slogam" do time. Juntos, comos mais fortes.

"Para ganhar deles não é preciso jogar bem".

No clássico, como sempre, mais uma vez a vitória foi nossa. O desequilíbrio entre Cruzeiro x Atlético está tão grande que tem torcedor indignado com o magro resultado de apenas de 1x0, quando a tradição recomenda que apliquemos, ao menos, 5x0 em nossos fregueses. É como disse o ZZP: "Para ganhar deles não é preciso jogar bem". (hahaha)

Brincadeiras a parte, é preciso destacar a importância destes 3 pontos conquistados diante do nosso rival para o campeonato. A proximidade do G4 alimenta o sonho celeste de voltar a Libertadores no próximo ano e, de quebra, afasta o time zebrado da ponta da tabela. É o famoso "dois coelhos com uma cajadada só".

Depois de massacrar o time emplumado nos primeiros 11 minutos de jogo, quando W. Paulista marcou de cabeça para o Cruzeiro, o time estranhamente recuou. No segundo tempo, depois da saída de Gilberto, a equipe ruiu taticamente e tivemos de assistir uma pressão do time Atleticano.

Entre jogar bem e perder, como fizemos contra São Paulo e Palmeiras, ou jogar mal e garantir os 3 pontos, escolho facilmente a vitória. Méritos do time que resistiu às investidas do time listrado.

Agora é continuar a luta. Desde a perda da Libertadores, passando pela fase difícil que se seguiu, adoptei a torcida "jogo a jogo". E assim vamos até o final, juntos com o time pois, na reta final do campeonato, quem vai decidir o sucesso do esquadrão azul será a torcida e sua força.

Vamos vamos, Cruzeiro!

Faz de conta que…

Este brasileiro está tão equilibrado que 2 jogos podem colocar um time na disputa pelo campeonato, ou jogá-lo na fuga do rebaixamento. Há algumas semanas figurávamos entre as equipes na parte de baixo da tabela. Hoje, nos damos ao luxo de sonhar com algo mais. Como o futebol é dinâmico.

Ninguém vive de "SE". Mas as perguntas não param de martelar a cabeça dos torcedores do Cruzeiro. E se tivessemos ganho a Libertadores? E se não tivessemos jogado tantas partidas com um time misto? E se não tivessem roubado tão discaradamente o Cruzeiro contra os times de São Paulo? E se tivessemos segurado os gols que tomamos no último segundo contra Vitória e Avaí?

Como eu disse, nenhuma destas perguntas muda a situação do campeonato, mas nos faz refletir. Ouso pensar que estaríamos brigando - com sobras - pelo título brasileiro.

O garfo inimigo.
Jogos contra os times de São Paulo so duress. Jogamos contra os bons times paulistas e contra uma arbitragem tendenciosa. Sim amigos, fomos discaradamente garfados.

Tomamos gol de bola que não entrou contra o Palmeiras, gol com falta do Washington em cima do zagueiro celeste no primeiro confronto com o São Paulo, perdemos com um pênalti inexistente e uma consequente expulsão do Leo Silva contra o Corinthians, outra arbitragem escandalosa no jogo contra o Palmeiras em BH… O negócio estava tão descarado que acabaram atenuando as coisas contra o pobre Barueri. Mas não adianta compensar o incompensável.

As bobeadas.
Contra Vitória e Avaí tomamos gol no último minuto de jogo. Só ai se foram 4 pontos garantidos. Isso sem contar outras bobeadas como contra Botafogo e Fluminense que, apesar da tradição das camisas, não possuem elencos do tamanho da história destes clubes. Eram jogos em que o Cruzeiro tinha a obrigação de vencer. Isso sem falar no jogo contra o Atlérico-PR, um verdadeiro jogo de ataque contra defesa que perdemos com um gol de falta.

Os jogos com times mistos.
Tudo bem, estávamos na Libertadores e apostamos todas nossas fichas nesta competição. Mas perdemos, e fica impossível não pensar nos pontos perdidos no Mineirão contrao Barueri, Atlético MG e outros…

Somando por baixo, acho que o Cruzeiro perdeu uns 10 pontos de pura bobeira, soma essa que nos colocaria na ponta da tabela. Mas nada a lamentar.

Todos os times perderam pontos de bobeira e chorar pelo leite derramado não nos levará a nada. O que precisa ser feito está sendo feito pelo time. Já somos a melhor campanha do returno e passo a passo, chegaremos na ponta da taleba.

Por isso, amigos, vamos que vamos "pras cabeça", como se diz aqui em São Paulo… rs Contra tudo e contra todos, somos Cruzeiro para o que der e vier.

O Logo da Sampa Azul

O resultado já era conhecido desde julho, mas com o "acidente" na final da Libertadores, deixamos nosso Blog um pouquinho de lado e acabamos que não anunciamos o grande logo vencedor, aquele que representará a Sampa Azul.

O grande vencedor foi a alternativa que remete a uma bandeira com o formato do estado de São Paulo. O logo foi escolhido depois de uma disputa em dois turnos, ganhando a segunda disputa por apenas 3 votos de diferença.

De qualquer modo, a grande vitória foi a participação da galera que frequenta a Sampa Azul. Muitos amigos votaram e opinaram na escolha do logo. A todos eles um OBRIGADO por colaborar com o fortalecimento deste grupo de amigos.

No fim das contas, vamos fazer exactamente o que o nosso logo representa. Vamos pintar São Paulo de Azul!

domingo, 23 de agosto de 2009

Começar denovo...


Enfim, emplacamos uma sequência boa de resultados no Brasileirão 2009. Que este segundo turno seja melhor para nosso time e torcida!

Começar o segundo turno com 2 votórias seguidas, ganhando fora e dentro de casa, com 11 jogadores em campo... Enfim as coisas parecem estar se ajeitando e voltando ao normal.

A vinda do Gilberto deu um novo ânimo ao meio campo celeste, e o garoto Diego Renam vem jogando muita bola, com personalidade de gente grande. Quando muitos apostavam no Bernardo, ou mesmo no Dudu, quem parece ser a grata surpresa da equipe é o novo camisa 6 do Cruzeiro.

Substituição no Cruzeiro: sai a zica, entra a confiança!

E com a confianca, fica a torcida para que os gritos da arquibancada realmente se consolidem nas próximas rodadas. "Ô, o Cruzeirão voltoooo..."

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Contra tudo e contra todos.


Não me lembro, em toda a minha história como cruzeirense, de um momento tão ruim como este que estamos vivendo. Mesmo em 97, quando também fomos mal no brasileiro, a torcida ficou tão machucada como este ano. Até porque naquela ocasião havíamos ganhado a Libertadores.

Eu mesmo cantava a bola para os amigos mais próximos. "Nesta final de Libertadores têm muito mais em disputa para o Cruzeiro do que o título continental. Está em jogo o 'céu' ou o 'inferno' para nossa torcida".

Dito e feito. E, infelizmente para toda a torcida celeste, estamos provando o lado amargo desta história.

O que me causa estranheza é que este período de luto já deveria ter passado. O time deveria pegar a derrota como motivação e jogar a bola para cima, usar este sentimento para "compensar" o título que nos escapou. Assim foi com o Palmeiras, com o São Paulo, com o Grêmio em menor proporção e deveria ser assim com a gente.

Passei então a me perguntar o que nos diferia dos demais times, sendo que temos um bom elenco que não deve nada para ninguém, uma torcida que vem apoiando desde Libertadores, e salários em dia.

O primeiro ponto que me veio a mente foi que todas as equipes, tão logo saíram da Libertadores, voltaram a jogar com sua força total no Brasileiro. Pensando um pouco mais, mesmo enquanto disputavam a Libertadores, não me lembro de nenhuma delas ter recorrido ao time júnior em tamanha proporção como fez nosso time.

Sei que fomos vítimas de diversas contusões, e que esta poderia ter sido a explicação para esse fato. Mas confesso que passei a me perguntar se não houve um protecionismo exagerado com os jogadores.

Outro ponto que me chamou atenção é a quantidade de gols perdidos pelo time celeste. Desde antes do jogo com o Corinthians, passando pelo Fluminense e demais adversários que enfrentamos, incrível a quantidade de gols fáceis que perdemos. Pior! De 2 jogos para cá o time tem relutado em chutar para o gol. Tem sempre aquele cortinho a mais, aquela bola recuada que mata todo cruzeirense do coração... Ou então a manjada jogada do escanteio curtinho, que já é um clássico dos jogos celestes.

Vocês já viram aquela série chamada "Grandes Desastres" que passa na Discovery Channel? Aquela série que mostra que grandes catástrofes começaram com um parafusinho pequeno que não foi apertado direito? Pois bem... Acho que temos vários parafusinhos nesta história.

A começar pela venda da principal peça do time, o Ramires. Caixa a parte (não vou levar em consideração o fator financeiro ainda, ok?), era ele quem armava o time na ausência do Wágner. O Ramires saiu e o Wágner nunca está em campo. Passamos a não ter NINGUÉM para armar o time com eficiência. E por mais que eu goste de ver os garotos jogando, um momento como este não é para Bernardo, Dudu ou o semi-aposentado Athirson.

Na seqüência vieram uma série de outros "parafusinhos". Tínhamos 2 laterais ótimos no começo do ano (Fernandinho e Sorín). Neste momento não temos nenhum.

Tivemos contusões, roubos de juízes (gols que não tomamos valeu, gol que fizemos legalmente não valeu, 2 pesos e 2 medidas, etc...) e para finalizar, o festival do cartão vermelho.

Enfim... quanto mais vou me lembrando, vou achando parafusinhos soltos no caminho celeste. Hora era o Kléber falando toda hora no Palmeiras e em como seria bom quando ganhasse a Libertadores, hora era alguma 'zica' que abalava o time.

A gota d'água pode ser a saída do AB. Só espero que ele não faça como o Paulo Autuori e não abandone o barco neste momento. Seria, na minha opinião, o tiro de misericórdia no ano celeste e o time afundaria de vez.

Quando penso em uma solução para tudo isso, creio que ela deva começar pela diretoria. O primeiro passo seria convencer o Adílson a ficar e orientá-lo a focar seus esforços no trabalho dele, ignorando torcida e imprensa. Quem manda lá é o Perrela, e se ele ou o Adílson não desistirem o técnico não cai. Até porque, se cair, quem virá no lugar dele?

Garantido o técnico, é hora de extrair o máximo de cada jogador. Chega de frescurinha. É jogador que casa no meio do torneio, outro que ta cansadinho, fulano que teve uma seqüência de jogos... CHEGA!

Que se diminua a carga física e tratemos os jogadores com recuperação muscular. Mas neste momento precisamos de todos trabalhando, e mais pulso da diretoria. Nenhum outro time é tão complacente com a vontade dos jogadores... Nem mesmo aqueles onde o salário não cai em dia.

E por fim, que venham os reforços. No mais só tem uma solução e ela se chama "trabalho". Se o Adílson não envergar, dá para recuperar. Agora se ele começar a jogar a toalha, confesso que passo a ficar bem preocupado.

Jogaremos contra juízes, contra desfalques, contra o peso piscicológico de estar embaixo da tabela... Jogaremos contra tudo e contra todos. Mas sempre foi assim, não é mesmo?

Se é assim que tudo deva funcionar, eu sinceramente não sei. Sou apenas um apaixonado torcedor sofrendo muito com a fase do time. Meus "pitacos" são leigos e só os exponho para dividir um pouco da minha angústia com os amigos cruzeirenses.

No mais, farei meu papel de torcedor. Vou apoiar o time na hora de roer o osso, tal qual fiz quando estávamos comendo filé.

Que as coisas entrem no lugar e logo. A história do Cruzeiro e essa torcida não merecem o que o time vem fazendo com ela.

terça-feira, 28 de julho de 2009

¡Gracias, Sorín!


Hoje quando lí na internet que o Sorín havia decidido se aposentar, confesso que senti uma tristeza tão grande quando a derrota da Libertadores de 2009. Acabava alí a carreira de um dos jogadores mais sensacionais que eu tive a honra de ver jogar com a camisa celeste.

“- O motivo dessa coletiva é simples. Eu vou parar com o futebol”, disse o ídolo argentino.

É impossível ficar indiferente a este acontecimento. E a tristeza aumenta ainda mais quando esta despedida acontece de uma forma muito diferente dos sonhos do jogador e da torcida.

Pelo que li, o Sorín estava recuperado das lesões, e louco de vontade de jogar. Vivia o sonho de disputar a Libertadores, ou ainda o clássico com o Atlético MG, mas a falta de espaço o motivou a pendurar as chuteiras mais cedo. Uma pena, ainda mais quando vejo o Magrão jogando improvisado naquele setor.

Um final destes não condiz com a grandeza, com o carinho e com a sinergia que existe entre Sorín, Cruzeiro e a torcida.

Eu poderia listar aqui os números, as estatísticas do Sorín com a camisa celeste. Mas número algum vai mostrar o motivo pelo qual a torcida cruzeirense ama o “Juampi”. É preciso assistir cada lance dele, cada jogada, cada disputa de bola para entender, para sentir a raça, a emoção, a entrega que ele teve com a camisa estrelada.

Como eu queria um final diferente para essa história. Como eu queria ver o Sorín jogando novamente com a camisa do Cruzeiro, nem que fosse até o final do ano... Uma pena.

Ao nosso eterno ídolo, deixo aqui o meu mais sincero agradecimento. Saiba, Sorín, que você marcou a história do Cruzeiro, ao mesmo tempo que também marcou a vida de milhões de torcedores. De hoje em diante, quando alguém usar a camisa 6 diremos de peito aberto “Jogue com tudo o que pode, um dia esta camisa foi do Sorín, um dos maiores laterias esquerdos de todos os tempos”.

Por mais que eu me esforce, sou incapaz de condensar em palavras o significado do Sorín para o Cruzeiro, tão pouco conseguirei resumir aqui o carinho que a torcida sente pelo ídolo que se vai. Das depedidas, fico com a final da Sul-Minas de 2002. Esta sim a altura deste grande ídolo.


Saudades é o preço que se paga por momentos bem vividos. Infelizmente chegou a nossa vez de arcar com este preço.

Obrigado Sorín! Argentino de nascimento, cruzeirense de coração.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Segundo turno: Escolha o Logo da Sampa Azul!

Muito bem, meu amigos da Sampa Azul. Conforme prometido, vamos realizar o segundo turno para a escolha do logo da nossa embaixada.

48 pessoas votaram na primeira fase da competição, e a disputa foi bem acirrada. As alternativas finalistas estão relacionadas abaixo para sua escolha. A alternativa 1 recebeu 12 votos na primeira fase, a segunda foi escolhida por 16 pessoas.

O curioso é que a diferença para a terceira altenrativa (versão com a bandeira) foi apertada. Com 10 votos, por pouco ela também não entrou na disputa.

Para escolher qual será o logo da Sampa Azul, basta votar na pesquisa disponível na barra lateral do blog. Caso você queria conhecer as alternativas eliminadas, clique aqui.

A alternativa 01 é a bandeira do Cruzeiro no formato do Estado de São Paulo. A alternativa 2 representa o concreto e prédios típicos da cidade de São Paulo.

E ai, qual logo ganhará a disputa?

Começar denovo.

Muito bem. Declaro oficialmente encerrado o período de lamentação pelo título que nos escapou na Libertadores 2009!

É evidente que todo cruzeirense sentiu demais o baque. Mas o que podemos fazer a respeito disso? A resposta é simples: começar denovo. Voltemos então o nosso foco para o campeonato brasileiro, pois desânimo e choradeira não leva ninguém a lugar nenhum.

Aliás, é justamente nesta hora difícil que a torcida está mostrando a sua força. Apoio ao time na Toca, mais de 30 mil no Mineirão último domingo... Parabéns a torcida que está cumprindo brilhantemente o seu papel.

Não vou mentir para a torcida azul. Definitivamente não será fácil correr atrás do prejuízo, fruto dos jogos que abrimos mão para a disputa da competição continental. Mas nós temos elenco e futebol para isso.

Nesta quarta-feira, dia 23, teremos a primeira página desta nova fase diante do bem montado Santo André. Quem espera um jogo fácil está redondamente enganado. O time do ABC paulista é encardido, tem bons jogadores e não tem nada a perder. O time entra desfalcado de 4 jogadores, dentre eles o veterano Marcelinho carioca, destaque da equipe.

Já o Cruzeiro entra em campo com o peso de estar momentaneamente na ZR do brasileirão 2009 e com a zaga ainda improvisada.

Fácil não será, mas tenho certeza de que um bom resultado nos impulsionará novamente rumo as primeiras posições da tabela. Por isso, vamos pra cima deles Cruzeiro!

No mais, façamos como o lendário pássaro Fênix. Vamos renascer das cinzas ainda mais fortes para, no futuro, alçarmos voos ainda mais altos.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Bola pra frente...

Não há muito o que dizer em uma hora como esta, a não ser o óbvio: bola para frente. Infelizmente nosso time não rendeu o esperado no jogo mais importante do ano, e por mais duro que possa ser, o adversário mereceu a vitória.

Mas nada melhor do que um dia depois do outro.

Há dois anos o Corinthians caiu para a segunda divisão, e este ano se sagrou campeão da Copa do Brasil. Depois de 93, o São Paulo levou anos para voltar a conquistar títulos importantes, e quando venceu ganhou quase tudo. E assim como estes, muitos outros exemplos existem.

Por isso amigos, mais uma vez repito: bola para frente. Só nos resta torcer, e ao Cruzeiro trabalhar, para que em um futuro breve tenhamos uma sorte melhor.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Sampa Azul na batalha final pela América!


Guerreiros, é chegada a hora da batalha final pela América. Seja no Mineirão, na sua casa, num barzinho qualquer, o que conta é fazer uma corrente positiva sem igual pelo título tão sonhado e merecido.

E a Sampa Azul promete BOMBAR nessa final. Muitos amigos estão me perguntando como chegar lá, como funciona e o que vai ter. Por isso acho legal fazer um post para ajudar aos inúmeros guerreiros que ainda não conhecem nosso QG.

O Minas Tutu e Proza fica na Av. Brg. Luís Antônio, 2790 - Jardim Paulista, a 3 quadras do metrô brigadeiro. (Veja o mapa abaixo).


Exibir mapa ampliado

Alguns lembretes são válidos:

1- É bom chegar cedo para garantir um bom lugar. A casa NÃO trabalha com reservas.

2- Devido a lei do Psiu, o jogo é realizado com portas e janelas fechadas.Vamos vibrar, torcer e fazer nossa festa, sempre procurando evitar problemas com a vizinhança para o nosso amigo Izael, dono do bar.

3- Não pode fumar dentro da casa (devido a nova lei anti-fumo no estado de São Paulo).

4- Levem câmeras fotográficas, bexigas, bandeiras e tudo mais para podermos fazer aquela festa e decorar o lugar em grande estilo.

5- São 2 TV's e um telão. Lembre-se de que o lugar não é o Mineirão e tem muita gente que pretende ver o jogo. Se você ficar mais na frente, procure permanecer sentado para que todos possam assistir a partida.

6- As comandas são individuais. Por isso, paciência na hora de pagar.

No mais, espero que quebremos o record de pessoas no Minas, Tutu e Proza. O pessoal lá está invicto em Libertadores e tenho fé de que soltaremos juntos o grito de TRICAMPEÃO!