segunda-feira, 30 de abril de 2012

Futebol de time amador.


Para que eu pudesse criticar o ‘futebol’ praticado pelo Cruzeiro neste domingo, o time precisaria ao menos ter praticado algo parecido com este esporte tão popular no Brasil. Mas não foi o que aconteceu.

Eu cheguei a criticar duramente o esquema de 4-3-3 inventado pelo Mancini há alguns jogos, mas, mesmo com o 4-4-2, o time continua um verdadeiro arremedo em campo, um catadão que corre errado, marca errado e é incrivelmente mal treinado.

Não bastasse isso, alguns jogadores como W. Paulista, Anselmo Ramon e Marcelo Oliveira exageram em jogadas individuais, carregando a bola demasiadamente ou tentando jogadas cheias de firula. O que – diga-se de passagem – chega a ser contraditório, uma vez que estes erram até mesmo passes simples, coisas básicas.

Para vocês entenderem o como anda (ou se arrasta) este time, o ponto alto do primeiro tempo foi uma jogada em que W. Paulista desistiu da jogada, largou a bola e correu na diagonal para cavar uma falta. Isso, claro, depois dele ter perdido o pênalti e o rebote, com o gol livre. Este é o nosso artilheiro no ano.

Há ainda quem critique o Roger, pois é lento e joga quando quer. Ontem o time não jogou bem, mas ele buscou jogo, não se omitiu. E o futebol dele é aquele mesmo, lento mas inteligente... infelizmente precisa que o time esteja bem ou minimamente organizado para brilhar. (E isso nem de longe é um elogio ao jogador).

Ele não tem, por exemplo, o poder de decisão do Sr. Montillo, que não fez N A D A no jogo, sequer buscou jogo. Foi uma atuação tão pífia que eu realmente acho que ele jogou no sacrifício. Seria mais nobre se tivesse ficado de fora da partida e deixado o time com outro jogador melhor preparado.

Que o time era ruim, todo mundo sabia no começo do campeonato. Afinal, o elenco é ainda pior do que o time que quase nos rebaixou em 2011. Só que toda essa ruindade é potencializada por um treinador que não condiz com a grandeza do Cruzeiro.

Coitado do V. Mancini. Nem é culpa dele no fim das contas, pois mesmo não tendo capacidade, qual treinador renegaria a chance de comandar um dos maiores clubes do Brasil? Ele está na dele, fazendo coisas limitadas, treinando o Cruzeiro como se fosse o Ceará... Errado está quem trouxe ele para o Cruzeiro. Menos mal que estes já saíram do clube.

Cabe agora a atual diretoria corrigir mais este erro. É papel dos dirigentes do Cruzeiro enxergarem que o time não vem jogando bem, mesmo nas mentirosas vitórias contra fracos adversários do Campeonato Mineiro. E que percebam isso rápido, antes que comece o Brasileiro e, com ele, o nosso martírio.

O time é limitado? É... como 70% dos times brasileiros. Mas com a chegada do Alex Silva e a experiência do Souza, aliado ao comando de um treinador bom, dá para brigar na parte de cima da tabela.

Sobre o jogo, tenho pouco a falar. O America-MG é um time tão feio quanto o Cruzeiro, mas foi superior nas duas partidas e mereceu a vitória. E o Coelho, que completa 100 anos na segunda feira pós-jogo, tem a chance de comemorar um título no ano do seu centenário. Tomara que consiga!

Uma justa homenagem.

Apesar da vexatória derrota, ontem foi um dia especial, de homenagem. Quase 3 anos depois do primeiro jogo realizado no Minas Tutu e Prosa, foi o último jogo do Izael como proprietário do estabelecimento.

Ele, que vai abrir uma outra casa na Bela Vista, foi um dos principais responsáveis pelo sucesso da Sampa Azul ao abrir as portas do restaurante para a torcida do Cruzeiro em São Paulo.

Como homenagem, ele ganhou um certificado de ‘Torcedor Cativo’ da Sampa Azul, alem de um boné autografado pelo goleiro Fábio. (Tudo isso, registrado na foto do intervalo aqui abaixo).



A Sampa Azul continuará no mesmo endereço e, na verdade, a despedida do proprietário Izael é o nascimento do torcedor que passará a assistir aos jogos conosco. E, de quebra, ainda teremos mais um local para torcer para o nosso Cruzeirão muito em breve.

Parabéns e obrigado Izael. Seu lugar em nossa torcida é cativo, meu amigo.

sábado, 21 de abril de 2012

Cruzeiro do Presente!


‘Vou aonde você for, só para ver você jogar’. Foi com este espírito que mais de 50 amigos da Sampa Azul e outros tantos cruzeirenses de MG e de outras partes do Brasil compareceram a São Bernardo do Campo para a decisão da Super Liga de Vôlei. Compareceram para dividir ao meio o ginásio com a torcida do adversário paulista, o Vôlei Futuro.

Aquecimento no QG da Sampa Azul
O bandeirão da Sampa Azul foi ao dinásio, mas não pode entrar.
No ginásio, graças aos inúmeros bastões infláveis distribuídos pelo patrocinador do time de Araçatuba, os cânticos da torcida celeste ficavam abafados diante do enorme barulho de bateção que tomou o espaço. Mas não se engane, você que assistiu ao jogo pela TV. O apoio ao nosso time foi constante e intenso, como deve ser. 

A torcida que a TV não mostrou. Mas que não se calou nunca!
Com a bola em jogo, assistimos a um dos jogos mais tensos da história da Super Liga. O Cruzeiro começou arrasador, abrindo 4 pontos de vantagem logo de partida. Mas o time do Vôlei Futuro começou a tentar ganhar no grito o que não conseguia em quadra. E graças a carimba de jogadores como Ricardinho (aquele mesmo barrado da seleção por Bernardinho), Cubano e outros, deu-se início a uma confusão generalizada. Vários cartões amarelos depois, a partida retornou e o time celeste se desconcentrou, o que acabou custando o primeiro set da partida. 

Mais concentrado, o Cruzeiro voltou a quadra e fez por valer o seu melhor voleibol. Comandados pelo talento do levantador William e pela força dos ataques de Wallace, o time celeste superou a pressão adversária e bateu o adversário por 25/18. Momento em que não haviam bastões o suficiente para encobrir a gritaria da torcida do Cruzeiro. 



O terceiro set foi ainda mais fácil. Uma verdadeira aula dada pelo time do Sada Cruzeiro que bateu o catimbento time do Vôlei Futuro por 25/13. Neste set, o jogador Lorena – um dos mais reclamões e tinhosos do adversário - sentiu câimbras e teve de abandonar o set carregado.

O quarto e decisivo set do jogo foi o mais disputado e tenso de todo o jogo. O Vôlei Futuro mantinha uma vantagem apertada diante do Cruzeiro durante todo o início do set. Mas com muita calma, talento e perseverança, o Cruzeiro conseguiu virar o placar. E ao abrir 21/17 a festa da torcida já era quase completa.

No último ponto, 2m41 segundos foi o tempo que o Cruzeiro demorou para sacar a bola, depois de um tempo técnico a véspera do match point. Saque celeste e a bola escapou do domínio adversário... E, enquanto a bola viajava nas alturas e se dirigia para a arquibancada, mesmo sem cair a torcida vibrou aos gritos de “É campeão!”.


Foi muito, mas muito bacana poder ser testemunha de um momento tão legal quanto este. Mais bacana ainda poder superar um time tão nojento quanto o Vôlei Futuro, de jogadores chatos e chorões – em especial o ridículo Ricardinho. De poder superar o time queridinho da CBV e da mídia, desde o chororô envolvendo o jogador Michael e a torcida celeste...

E o Cruzeiro, que ano passado bateu na trave na grande decisão do torneiro ganhou, merecidamente, o titulo de Campeão da Superliga 2012, confirmando assim a sua boa fase e concretizando o nascimento de mais uma potência do vôlei brasileiro.

Parabéns ao Sada Cruzeiro pela conquista e para toda a torcida celeste que apoiou o time hoje.

Agradecimentos:

Gostaríamos de agradecer ao marketing do Cruzeiro, que ajudou a Sampa Azul na aquisição de ingressos para a grande final. Saibam que o apoio do Cruzeiro foi fundamental para que estivéssemos presentes hoje.

Em especial gostaria de agradecer a todos que ajudaram na mobilização da Sampa Azul esta semana, mesmo sendo tão em cima da hora, mesmo custando tanto tempo e dedicação de todos vocês... em especial aos amigos Duca, Geraldo, Marquinhos e a incrível Sara. Pessoas sem as quais nada disso seria possível hoje.

Se houvesse um troféu para os destaques da torcida, todos vocês mereceriam um.

Um forte abraço a todos e até domingo, com mais uma decisão... agora em um campo onde somos ainda mais apaixonados: o futebol.

Para finalizar, deixamos vocês com os momentos finais do histórico jogo de hoje.


quarta-feira, 18 de abril de 2012

Aos trancos e barrancos.



Sabe quando você come muito, mas a refeição dá aquela indigestão danada? Pois é exatamente essa a sensação que este 4x1 do Cruzeiro sobre a Chapecoense causou hoje.

A goleada engana àqueles que não puderam assistir a partida e souberam do placar recheado de gols. Mas a verdade é que o time pela quarta vez consecutiva jogou absurdamente mal no primeiro tempo, vítima do maldito esquema de 3 atacantes que claramente não tem funcionado, mas o Mancini insiste em manter.

Com a vantagem de se classificar com 0x0, o Cruzeiro viu a Chapecoense sair na frente aos 32, em gol de Fabiano. E começou o desespero. Era ligação com chutões, um meio campo que inexistia e atacantes fora de suas posições. Acreditem, W. Paulista era um dos armadores do time em certo momento.

E, para nossa sorte, o time que não havia criado NADA em campo durante 30 minutos arrumou um gol aos 45 da primeira etapa, em cabeçada de Thiago Carvalho.

A apresentação tosca do Cruzeiro não foi o suficiente para V. Mancini mexer no time, que voltou com o mesmo esquema e com os mesmos jogadores para o segundo tempo. Resultado: o mesmo futebol ridículo em campo.

Quando V. Mancini sacou Marcos e Wallyson para colocar Elber e Roger, o time ganhou mais corpo, mais gente no meio campo, mais jogadas e, consequentemente, o jogo.

Os atacantes voltaram a ser atacantes, jogando na deles. Montillo apareceu mais no jogo e o Roger fez o que dele se esperava – organizou o meio campo. Não demorou para W. Paulista fazer o 2º em um chutaço de fora da área. Anselmo Ramón, em linda jogada individual, fazer o 3º. E, vejam vocês, mais uma vez W. Paulista para fazer um golaço, o quarto do Cruzeiro na partida.

E ficava comprovado assim – MAIS UMA VEZ – que o time que tem feito 70% dos seus gols no segundo tempo, quando joga com 4 jogadores no meio, funciona melhor no 4-4-2.

Talvez seja uma técnica do Mancini montar um time tão grotesco na escalação para parecer o Mestre dos Magos ao mudar qualquer coisa no time. Mas é bom que ele saiba que o Cruzeiro NÃO PODE ter um time tão mal montado, mal treinado e mal preparado.

Sorte dele que o Campeonato Mineiro se resume aos jogos da final e a Copa do Brasil tem muitos times pequenos. Assim ele arruma vitórias enganosas que escondem a verdade: o time precisa melhorar MUITO.

Acorda Mancini! Técnico sem prestígio tem que ser inteligente e parar de inventar moda. PARE com a manutenção do que está dando errado e faça o melhor para o time.

E assim vamos, aos trancos e barrancos, avançando em mais uma fase da Copa do Brasil.

Sabadão #tamojunto na final da Superliga de Vôlei, hein galera!

Vamos vamos, Cruzeiro!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Convocação para final da Superliga de Vôlei: Cruzeiro x Vôlei Futuro


No próximo sábado, dia 21/04, o Sada Cruzeiro entra em quadra para jogar contra o Vôlei Futuro, pela final da Superliga masculina de Vôlei.

A final acontecerá no Ginásio Poliesportivo, em São Bernardo do Campo, em SP. O que você ainda não sabe - pois não existe a menor boa vontade em divulgar para a torcida do Cruzeiro - é que os ingressos estarão a venda no site da Livepass, a partir da manhã desta segunda feira (16/04).

Também não sabe que os ingressos custarão R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia) e estarão disponíveis para venda em mais de 10 pontos de venda na grande São Paulo (talvez, até no estádio do Morumbi... mas isso ainda não foi divulgado).

O Cruzeiro está aguardando o posicionamento da CBV para divulgar as informações.

Nós, estamos tentando disponibilizar os ingressos para venda na sede da Sampa Azul. Aguarde mais informações no Facebook e no Twitter para saber se consrguimos ou não.

Tudo isso para atrapalhar a presença da nossa torcida no ginásio. Mas isso não vai adiantar, pois quem é cruzeirese sabe que estaremos com o Cruzeiro onde ele estiver. "Vou aonde você for, só para ver você jogar".

Os interessados devem confirmar presença para que possamos correr atras dos ingressos para o maior número de cruzeirenses possível e, quem sabe, possamos comemorar o título da Superliga.

A Sampa Azul estará na decisão e convida a todos os cruzeirenses de São Paulo a comaprecerem também.

Vamos vamos, Cruzeiro!

Se organize, compareça, ajude o Cruzeiro em mais esta decisão!

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Camisa Sampa Azul 2012



Vamos falar sobre as camisas 2012 da Sampa Azul...

Inicialmente faremos uma lista de interessados nas camisas de 2012 que terá o layout semelhante ao da imagem abaixo...O modelo 2012 será feito sobre uma reprodução da camisa da seleção italiana...O logo e as bandeiras de Minas e São Paulo na manga serão bordados...


O custo será de aproximadamente R$ 60,00...

Todos os interessados por favor enviar o NOME, TAMANHO DA CAMISETA E E-MAIL para sampa_azul@googlegroups.com, ou no Facebook da Sampa Azul ou deixe um comentário aqui no blog com todas as informações...


segunda-feira, 2 de abril de 2012


Ontem o esquadrão estrelado esteve presente no Sul de Minas, onde a China Azul mostrou a sua força, e, claro, a SAMPA AZUL marcou presença. O jogo confirmou que o esquema com 3 atacantes não é, por ora, o mais adequado para o Cruzeiro. No primeiro tempo, salvo uma boa tabela de Montillo e Marcos, mal finalizada por WP, e uma bola na trave de A. Ramon, o Cruzeiro se limitou a ficar preso na marcação do Boa, antigo Ituiutaba, e ainda passar um susto em um contra ataque que teve brilhante intervenção do Fábio, “o melhor goleiro do Brasil”. Foi só.

No segundo tempo, já sem a lua escaldante que brilhava em Varginha, o Cruzeiro voltou a campo para decidir o jogo, e em 22 minutos resolveu a parada. Com boas jogadas dos laterais muito bem municiados por Marcelo Oliveira, WP e Montillo guardaram seus gols e deixaram o Cruzeiro na cola do rival, sendo que no próximo domingo podemos roubar a liderança do patético-MG.

Mas a análise do jogo é que há um buraco no meio de campo, e grande dificuldade na chegada do time ao ataque. Sou a favor de Elber no lugar do WP, e com o passar do tempo, o Walter no lugar do A. Ramon. Talvez, com a chegada do Alex Silva possamos atuar com 3 zagueiros e sacar um atacante. Mas isso é assunto para o distribuidor de camisas.

Por fim, a previsão ainda é de um ano muito difícil, pois o nosso time tem que entender que é um time de operários, com dois grandes jogadores, Fábio e Montillo. E domingo que vem é jogo para cardíaco, pois os pateticanos estão com o sacoleio histórico de dezembro último vivo na mente, problema deles... Que o Cruzeiro entre em campo pensando somente em conquistar mais uma vitória. AVANTE CRUZEIRO!!!

Texto: Alvaro Bomfim.