quarta-feira, 31 de março de 2010

Transbordando futebol!

Impecável! Assim foi a apresentação do Cruzeiro diante do Vélez no Mineirão.

Eu também poderia classificar como grandiosa, espetacular, vistosa ou mesmo empolgante a vitória azul na noite de hoje, mas impecável é sob medida.

Foi uma noite de gala para o futebol celeste e o ator principal deste espetáculo foi Thiago Ribeiro, que "estraçaiou" a partida com jogadas de habilidade, um golaço e 2 assistencias para Kléber. Atuação digna de um Óscar.

O leitor do Blog da Sampa Azul sabe que mesmo diantes de vitórias acachapantes, como nos 7x0 sobre o Potosí, ou mesmo na goleada sobre o Colo-Colo, eu desci a lenha em falhas e na postura do time. Hoje não, tenho a obrigação de vir aqui e elogiar - um a um - todos os jogadores que entraram em campo hoje.

Não existiu bola perdida, não existiu jogada disperdiçada. O time praticou do primeiro ao último minuto um futebol vistoso, solidário, de muita raça. O Cruzeiro marcou forte quando preciso, e atacou com sabedoria e velocidade. Em determinado momento, cheguei a pensar estar assistindo a um jogo de Dirceu Lopes, Tostão e Piazza… Que maravilha.

O Jogo.

O Cruzeiro mandou na partida desde o primeiro minuto. O rítimo incessante e a pressão dos minutos iniciais, desta vez, não teve fim. O Cruzeiro martelou o gol argentino com freqüência, insistiu, e aos 32 minutos foi premiado com um golaço de Thiago Ribeiro, que driblou 3 jogadores do Vélez e chutou com violência no canto do goleito Montoya. Cruzeiro 1x0.

E cabia mais, não fosse uma defesaça do goleiro argentino em uma bomba a queima roupa de Jonatham, já no final do primeiro tempo.

No segundo tempo, o Vélez voltou marcando o Cruzeiro com pressão. Mas o time estrelado estava impossível. E logo aos 3 do segundo tempo tratou de carimbar mais um gol, desta vez com Kléber, que recebeu uma excelente cruzamento de Thiago Ribeiro.

E que partida fez o Kléber hoje! Lutou, voltou para buscar o jogo, driblou, humilhou o adversário com jogadas desconcertantes e só não foi o melhor em campo porque o Thiago Ribeiro não deixou.

5 minutos depois, um atabelinha teleguiada do ataque celeste. Toque na esquerda, bola para Thiago Ribeiro, uma enfiada de bola milimétrica e mais um gol de Kléber. Uma pintura. 3x0.

Gilberto e Thiago Ribeiro saíram para dar lugar a Fabrício e W. Paulista. Mas a pegada continuou a mesmíssima. Lá pelo final do jogo, o Vélez ainda teve um jogador expulso.

O Cruzeiro cozinhou o jogo até o apito final. Melhor que os 3x0 no placar foi o futebol mostrado por este time, o que só vem a comprovar que nossas cobranças eram corretas. Esse time tem futebol de sobra para buscar este caneco.

Hoje, todo mundo que foi a Sampa Azul voltou para casa feliz. Mais uma vez, assistimos a um futebol que nos faz sentir orgulho de ser Cruzeirense. Parabéns ao time e aos guerreiros que compareceram hoje. Uma noite simplesmente espetacular.


Colaboração da Sampa Azul.

Quem foi o nome do jogo? Thiago Ribeiro. Agora, quem foi o mascote que entrou em campo com o Thiago, passando para ele toda a sorte e bons flúidos para que ele fizesse a melhor partida com a camisa do Cruzeiro?

JOÃO RAPOSÃO! Isso mesmo, o mascote da Sampa Azul entrou em campo ao lado do Thiago Ribeiro neste jogão. Foi tanta eneria positiva que já estamos estudando uma proposta do Cruzeiro pelo garoto.

Parabéns João. Deixamos aqui um registro orgulhoso deste dia especial. É como cantamos por aqui… ÃO ÃO ÃO, O JOÃO É RAPOZÃO!


Gols da Partida.

quarta-feira, 24 de março de 2010

O que vale são os 3 pontos. E como valem!

"Dejavú"! Tal qual aconteceu contra o Colo-Colo em terras mineiras, o Cruzeiro imprimiu nos primeiros minutos de partida um bom rítimo de jogo. E, ao marcar o primeiro gol com Fabinho, aos 5 minutos, dava a impressão de que iria golear o time venezuelano. Mas não foi bem assim que aconteceu.

Apesar da superioridade técnica da equipe estrelada, até que o time venezuelano encontrou espaços para jogar e conseguiu aplicar alguns bons sustos no Cruzeiro.

O que eu - particularmente - não consigo entender é como o rendimento do Cruzeiro cai, logo após o gol inicial. Vou até fazer uma "mea-culpa" pois, no papel de torcedor, talvez cometa a soberba de achar que o Cruzeiro tenha a obrigação de esmagar times venezuelanos. Sei que o futebol atual não é assim. Mas quando faço essa ressalva de que o time cai de rendimento, tenho como parâmetro litaralmente o MESMO time que jogava o ano passado.

Em 2009, o Cruzeiro articulava jogadas eficientes, rápidas e bem trabalhadas, tendo o toque de bola como principal arma para chegar ao gol adversário. Depois era aquele "Deus nos acuda" na defesa. Já o time de 2010 abre o placar e depois erra passes em demasia, insiste em lançamentos longos totalmente sem efeito e enlouquece a torcida com exagerados recuos de bola para o Fábio, que quase sempre isola a bola no ataque.

Até ai, jogar "mal" não tem sido exclusividade do Cruzeiro em 2010. Mas o que faz pensar é que, nos momentos em que o time põe a bola no chão, a coisa flui… Então, põe a bola no chão, catzo!

Mas enfim… O Cruzeiro voltou para o segundo tempo com o magro e perigoso placar de 1x0. O futebol, embora um pouco melhor, ainda apresentava erros de passe. Tanto que o primeiro chute a gol aconteceu somente aos 15 da etapa complementar.

Quando parte da torcida já torcia o nariz para o time, eis que Adílson chama Pedro Ken, que não é o jogador dos sonhos de grande parte da torcida, para o jogo no lugar justamente do Gilberto, nosso único armador.

Foi muito engraçado, quando muitos na Sampa Azul começaram a resmungar, o Geraldão que estava do meu lado profetizou "Véi, e o pior que ele ainda vai fazer o gol pra consagrar o Adílson". Dito e feito.

Minutos depois, bate rebate na área venezuelana e a bola sobra para Quem? Quem? Quem? Ele mesmo - Pedro "The Who" - fuzilar um chute que entrou para fazer 2x0 para o Cruzeiro. (desculpem, mas eu nnao resisto. É impossível não fazer piadinhas batidas com o Pedro Ken… rs)

Definitivamente, o Adílson tem estrela. Daí até o final do jogo nada de muito especial aconteceu e o Cruzeiro conseguiu cozinhar o resultado.

Tenha você gostado do futebol do time ou não, não importa. A lição de casa foi feita e estamos vivíssimos na competição. Agora, quarta que vem tem o jogo do tudo ou nada. E em jogos assim, o Cruzeiro costuma crescer e apresentar um bom futebol. Que assim seja!



A galera que compareceu a Sampa Azul hoje está convocada para a próxima partida, para mobilizarmos aquela corrente para frente e atropelar os "hermanos". Agora eu quero ver, com 11 contra 11, se eles são tão bons assim…

Vamos vamos Cruzeiro!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Rosa "chiclétche"!

“Se houver uma camisa rosa pendurada no varal durante uma tempestade… pateticano vai torcer para não chover, para não estragar a chapinha!"

Gostaríamos de parabenizar a diretoria atleticana que lançou a cor oficial da torcida do galo, cor esta que, segundo o presidente do clube, só a torcida galinácea pode usar: o rosa.

Esta é nossa singela homenagem ao time que, desde 1908, faz de tudo para nos divertir. Enfim, o lado fresco da lagoa está mais colorido!

domingo, 14 de março de 2010

Resumão do Mineirinho.

Eu queria que fosse diferente, mas os jogos do Campeonato Rural não têm a mesma importancia e o mesmo impacto que a Libertadores. Por este motivo, nem sempre comentamos no Blog a respeito destes jogos.

No entando, acompahamos a TODOS os jogos do Cruzeiro e, para provar isso, o comentarista da rodada que vai fazer aquele resumão do que foram os últimos 3 jogos da competição. Com a palavra, Geraldão TFC.

Cruzeiro 5 x 0 Uberaba
Em um jogo adiado pela 5ª rodada do campeonato, entramos em campo com um mistão para mais uma goleada. O time fez o que tem que ser feito quando enfrenta times muito fracos como o Uberaba. O primeiro tempo ficou no 1 x 0. Gol do garoto Eliandro, aproveitando cruzamento do Roger. Roger que ainda desperdiçou um pênalti. No segundo tempo os gols saíram naturalmente sem muito esforço, devido a fragilidade do adversário, que ainda teve um jogador expulso. Destaque para o Thiago Ribeiro que fez 2 gols, sendo um deles um tirambaço de fora da área. Anderson Lessa fez seu primeiro gol com a camisa celeste e Bernardo também deixou o dele. Fim de jogo e assumimos a liderança isolada do campeonato!

Tupi 3 x 2 Cruzeiro
Mais uma vez, entramos em campo com um time praticamente reserva. O jogo começou meio chato, mas o Cruzeiro conseguiu abrir o placar em um lançamento de Camilo para Anderson Lessa que, da entrada da área, cortou o zagueiro e bateu no canto do goleiro. Já no final do primeiro tempo, Ademilson acertou um belo chute de fora da área e empatou o jogo para o Tupi. Um tirambaço. O Fábio ameaçou pular mas desistiu. (Mesmo assim, poderia ter pulado para sair na foto neh? rs). No segundo tempo, em um rebote de uma falta que nossa zagua não cortou, o Tupi conseguiu a virada. Pouco depois, em um contra ataque que nossa defesa mais uma vez vacilou, o atacante entrou livre entre os zagueiros para tocar na saída do Fábio e ampliar o marcador para o Tupi. A partir daí, o time botou a bola no chão e teve muito mais posse de bola que o adversário. Mas faltava chutar a gol. Principalmente porque começou a chover e o campo estava molhado. No final do jogo, debaixo de muita chuva, Pedro Ken conseguiu um gol batendo rasteiro de fora da área. Ainda tivemos chance de empatar e até virar o jogo. Bernardo perdeu um gol de cabeça, sozinho na linha da pequena área. O mesmo Bernardo, no último lance do jogo, chutou uma bola rasteira de fora da área. O goleirão do Tupi quase entrega o ouro. A bola escorregou de suas mãos e ultrapassou a linha, mas pelo lado de fora. Depois disso, o juiz encerrou a partida. Uma derrota que poderia ser evitada, mas não mudou nossa posição na tabela.


Cruzeiro 3 x 2 América
Mais uma vez, por causa da Libertadores da América, o time entrou em campo com um time misto. O América tem a fama de sempre complicar a vida do Cruzeiro, mas desta vez foi diferente. Apesar da queda de energia e da chuva forte que caiu e paralisou a partida durante 30 min, o time controlou o jogo e foi superior ao adversário em praticamente toda a partida.
Wellington Paulista abriu um marcador em um golaço de quase do meio campo.
Disparou um "tirambaço" que bateu no travessão e nas costas do goleiro antes de entrar.
No segundo tempo, sem muitas novidades, o América ameaçou um pouco mais e conseguiu o gol de empate. Em um vacilo da defesa, que deixou o Coelho chegar tabelando na entrada da área, Fábio que não conseguiu segurar um chute fraco de fora da área. Depois, continuamos com o domínio da partida e tivemos a oportunidade de ampliar. Bernardo sofreu pênalti e Wellington Paulista desperdiçou. Não deu nem tempo para se abater com o lance perdido.
No ataque seguinte, Bernardo tocou para dentro da área e Wellington Paulista "escorou" para Kieza fazer o segundo gol, o seu primeiro com a camisa celeste.
Sem grandes ameaças do adversário, o Cruzeiro seguiu controlando o jogo e chegou ao terceiro gol. Após um chute de Wellington Paulista rebater na zaga, Leandro Lima rolou na entrada da área para Fabinho colocar no canto do goleiro. No final do jogo, em mais um vacilo de nossa defesa, Fábio Júnior (ele mesmo!) fez o segundo gol do Coelho. Fim de jogo e o tabú de 8 anos sem perder pro América continua. Destaque para o garoto Uchôa, do time júnior, que fez uma bela partida!

Campeonato Mineiro é isso aí. Podemos conquistar o título disputando a maioria dos jogos um time misto. O nível dos adversários é muito fraco!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Desfalcado do Coração.

Quando o assunto é Libertadores, todo mundo pensa em jogos truncados, disputados, com raça, suor e sangue nos olhos. Todo mundo, menos o time que entrou para defender a honra e as cores do Cruzeiro ontem.

Quem acompanha o blog sabe que venho demonstrando preocupações com a frágil defesa celeste. Desde o "clássico", bolas nas costas de nossos laterais tem sido motivos de constantes pesadelos para nossa torcida.

Não vou enumerar ou apontar falhas individuais, nem mesmo buscar um culpado para explicar esse empate em 2x2 com o fraco Dep. Itália. Mas não posso deixar de ressaltar que o Cruzeiro jogou desfalcado de uma peça importante para qualquer time: o coração.

Faltou entrega, movimentação, vibração e - principalmente - futebol. E hoje a conta deste resultado que nos deixa em situação delicada no grupo 7 da LA não pode ser debitada na conta do juiz, do campo ruim ou mesmo da falta de sorte. Faltou foi futebol mesmo.

O time penou para entrar no jogo. Somente depois de sair em desvantagem aos 11 minutos, o Cruzeiro decidiu colocar a bola no chão e jogar um pouquinho. Com muito custo conseguiu virar o jogo com 2 gols de Kléber, um aos 26 do primeiro tempo, e outro logo aos 5 da etapa complementar.

Curiosamente, este foi o momento em que o Cruzeiro apresentava algo parecido com um futebol descente. E justamente aí, o Adílson optou por 3 zagueiros no time, colocando Gil no lugar de Diego Renan. Maldita lei da "ação e reação"! Minutos depois o Cruzeiro sofreu o empate.

Mas não foi um gol qualquer. Tomamos um gol do McIntosh! Este segunto gol foi injusto pois foi um problema de sistema operacional. A zaga do Cruzeiro joga com Windows 98 e os caras vem com o sistema da Apple? Sacanagem!

Adílson decidiu então retirar do time o único meia que estava em campo (Roger) para a entrada de mais um atacante (Eliandro), inaugurando assim o sistema "3 - Espírito Santo - 7 -1".

Para complementar, Kléber foi expulso e ficará suspenso do próximo jogo na Libertadores.

Fim de jogo! O Cruzeiro saiu do Brasil para conseguir só um pontinho mixuruca diante do fraco Dep. Itália, na Venezuela. É a primeira vez que sinto um desgosto tão globalizado... rs

Agora é enfiar a faca nos dentes, expremer o que resta de raça neste time apático, e ganhar as 3 partidas que restam. Difícil é, mas quem acompanhou a saga de 1997, sabe do que somos capazes.

Avante Cruzeiro e bola pra frente galera da Sampa Azul. A vitória de hoje fica pendurada para o próximo jogo.

Fica aqui, mais uma vez, o registro da galera que compareceu no QG. Tinha mais gente na Sampa Azul que no estádio na Venezuela... rs