domingo, 22 de novembro de 2009

Matematicamente ainda dá, mas e moralmente?

Não assisti ao jogo do último sábado. Ainda bem, ou não?

Com o empate em 1x1 contra o Atlético-PR, o Cruzeiro conseguiu complicar de vez a sua participação na Libertadores 2010. Como disse o Adílson, treinador celeste, se tivéssemos ganho do Fluminense no Mineirão, este empate seria um resultado normal e aceitável. Não era o caso.

Pelos melhores lances, parece que o jogo foi duro de ver. Deixo aos comentaristas do Blog o espaço aberto para dividirem com os demais amigos um raio-x da partida. Mas, lances a parte, o que conta mesmo é o resultado final.

Mas afinal de contas, para o cruzeirense, o copo pela metade está meio cheio ou meio vazio em 2009?

Para quem leva em consideração que o time estava ameaçado pelo rebaixamento e arrancou com uma das melhores campanhas do 2º turno, o copo está meio cheio. Para aqueles que pesam a perda da Libertadores e viram um time com reais chances de brigar até pelo brasileiro, o copo está meio vazio.

Os mais otimistas dirão que o time disputou 4 torneios em 2009 e ganhou 2, chegou a final de 1, e quase beliscou algo no 4º. Os mais exigentes (grupo no qual me incluo) não consideram o Torneio Verano, nem o Mineiro, conquistas de verdade. (Cá entre nós, confesso não saber qual vale menos).

No fim das contas, fica a esperança de um 2009 melhor. Pela primeira vez em muito tempo, teremos um time montado logo para o comecinho do ano. Falta definir se o Adílson vai comprar essa briga conosco ou não.

Se você, caro leitor, gosta de escritas e se apega a simbologias, mesticismos e amuletos da sorte, saiba que todo ano depois que o Corinthians ganha a Copa do Brasil, no torneio seguinte quem levanta o caneco é o Cruzeiro. Agora decida quão cheio está o seu copo. Se meio cheio pela perspectiva de um título, ou se meio vazio pois isto implicaria em não disputar a Libertadores 2010.

Sinceramente, não sei o que pensar ou esperar. Acho que o time perdeu muito do embalo que o creditava a Libertadores, e dos jogos que restam, o último fora de casa e contra o Santos (do chato Luxemburgo) não me cheira a vitória. Tudo isso, sem contar o "seca seca" que teríamos que fazer nos demais times.

Ou seja, matematicamente dá, mas e moralmente?

Se a vaga vier, vou comemorar... Mas torcer mesmo, vou preferir focar minhas energias positivas para que o Perrela contrate 3 ou 4 jogadores realmente bons para o Cruzeiro para que, enfim, acabemos com este jejum incomodo e inédito na minha vida de 6 anos sem um título realmente grande.

Um comentário:

Geraldo Henrique disse...

"A batalha só termina quando o último de nós cair."
Se ainda há chance, eu acredito, eu torço.
Mesmo que o time não esteja jogando bem.
Mas se analisar, todo mundo está dando os seus vacilos.
Então, vamo q vamo!
O jogo só acaba quando o juiz apitar.
Um abraço.