domingo, 30 de janeiro de 2011

Enfim, futebol...



Graças a Deus a bola começou a rolar para o Cruzeiro em 2011. E a na estréia, logo uma vitória por 3x0 diante da Caldense na Arena do Jacaré.

O primeiro tempo da partida foi chato. Sob um forte calor, faltou criatividade e movimentação para que qualquer um dos times conseguisse abrir o palcar. Gol mesmo só na segunda etapa.

Depois que o Cuca sacou o Rômulo e colocou Wallyson em campo, a partida praticamente mudou de figura. Com boas jogadas pelas pontas, ele fez a diferença na partida e, ao lado de Diego Renan, foi um dos destaques do jogo.

O primeiro gol veio em um pênalti sofrido por Thiago Ribeiro aos 19 minutos da etapa complementar. Aos 20, W. Paulista marcou para a Raposa. Dois minutos depois, ótima jogada celeste em progressão, o mesmo W. Paulista recebe a bola e toca para Diego Renan fazer 2x0.

Já no finzinho, aos 40, o jovem Dudu – que havia substituido Montillo – deu números finais a partida fazendo o 3º do Cruzeiro. Embora o placar tenha sido bom, não foi uma apresentação de gala. Mas para primeiro jogo do ano está mais do que bom.

Agora é continuar afinando o time para os grandes desafios que estão por vir.

Vamos vamos Cruzeiro.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

SOS - Região Serrana do Rio


O Brasil está de luto pela maior tragédia natural de sua história. Menos de um ano após a última campanha para as vítimas das chuvas no Rio de Janeiro voltamos aqui para pedir sua importante ajuda.

Já são mais de 600 mortos na região Serrana do Rio e somente Deus sabe quantos números mais somaremos a estes óbitos. Uma área equivalente as cidades de Rio e São Paulo juntas foi totalmente devastada, simplesmente desapareceu engolida pelas águas implacáveis das chuvas.

É impossível não se emocionar com as impressionantes imagens das vítimas. Gente lutando pela vida em meio a lama. As lágrimas daqueles que choram a morte de parentes, muitas vezes de famílias inteiras, se misturam com o sofrimento daqueles que perderam tudo.

Impossível ficarmos parados, indiferentes a tudo isso. A maior catástrofe natural de todos os tempos requer a maior demonstração de solidariedade de que somos capazes.

Nós, cruzeirenses que moramos em São Paulo, também podemos fazer nossa parte.

O São Paulo FC, através do São Paulo Social está organizando uma arrecadação de donativos para as vítimas das chuvas na Região Serrana do Rio.

Para colaborar, basta levar o seu donativo para o portão 01 do estádio do Morumbi até a próxima sexta feira, dia 21/01, das 9h às 19h.

Lembrem-se de que estamos falando de pessoas que perderam tudo, não tem nem mesmo onde cozinhar direito. Por isso, a prioridade é por alimentos de fácil e rápido consumo, além de água e materiais de higiene pessoal.

Nunca tantos irmãos precisaram de tanto amparo como agora. Repito, são mais de 600 mortos e um número muito maior de desabrigados e desaparecidos. Sua ajuda, por menor que seja, VAI FAZER TODA A DIFERENÇA.

Espalhe esta notícia entre seus amigos, parentes e conhecidos. Vamos provar mais uma vez que o coração dos brasileiros é infinito em bondade.

Mais uma vez, contamos com a sua colaboração.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Complexo de mendigo no Cruzeiro?


Eu ODEIO esta inter temporada na qual a bola não rola. Matérias, boatos, mentiras... tudo é um saco neste período.

Mas houve um tempo no qual o torcedor cruzeirense aguardava a ‘entressafra’ com bons olhos. A pergunta era “qual grande jogador” vai chegar para brigarmos por títulos?

Quem não se lembra de quanto trouxemos o Müller para o Cruzeiro, dando um ‘toco’ nos clubes do eixo, ou quando trouxemos o Óseas nas mesmas condições. Ou ainda quando vieram Valdo, Djair e compania em 98?

Tempos depois, passaram a nos vender a idéia de “vamos manter a base”. Em especial nos tempos do Adílson, mantivemos a ‘mesma base’ por quase 3 anos. Aí passamos a pensar que se não vinha ninguém, não sairia também.

E realmente não saiu, mas foi mais por falta de propostas do que por postura de nossos dirigentes. Mas no meio tempo, ainda teríamos um Ramires vendido a preço de banana, ao mesmo tempo que enchemos o time de jogadores sem talento algum, como Robert, Jonas Carioca e outros tantos que fizeram da Toca um verdadeiro Spa, uma colônia de férias.

Agora, em 2011, a vaca parece ter ido para o brejo de vez. Se o argumento de ‘vamos manter o elenco’ persiste, as atitudes dizem o contrário. Quando TODA a torcida anseia por reforços de peso para brigarmos de fato pela Libertadores, o que o Cruzeiro faz é vender o Jonathan para um adversário direto na competição, e perde o Leo Silva para o lado rosa da lagoa.

A impressão que temos é de que o Cruzeiro quebrou. Foi-se o tempo em que o Brasil vendia qualquer “Zé Ruela” por milhões de dólares e nosso time, que vivia basicamente disso, perdeu sua principal renda.

Oh céus! Os clubes brasileiros estão quebrados... Mas como pode?

Mesmo com a crise, TODOS os demais clubes “grandes” estão contratando, buscando alternativas. Vejam vocês mesmos...

O São Paulo tem um belo elenco mas contrata, o Corinthians também, mesmo com jogadores de peso como Ronaldo e Roberto Carlos. O Palmeiras fez que fez e trouxe ídolos da torcida como Kléber e Valdívia, além de ter feito proposta oficial para ter o Ronaldinho Gaúcho. Que parece ter seu destino ligado ao Grêmio, que vai comprar o jogador a peso de ouro. O rival Inter também trouxe Tinga, D’Alessandro, Kléber, e outros...

Os clubes do Rio são do eixo, por isso tem dinheiro. O Fluminense, tem a Unimed. O Flamengo vive trazendo bons nomes (embora nunca de certo). Até Vasco e Botafogo estão contratando.

Vejam a que ponto chegamos... Até o falido Atlético-MG, o clube eternamente quebrado, que ganhou UM ÚNICO título importante na vida, está contratando com uma fonte de dinheiro que, sabe-se Deus, de onde vem.

E O CRUZEIRO???

Deixamos de ser um clube futebol para sermos um “clube de apostas”? O negócio agora é usar a camisa do Cruzeiro para garimpar craques e vender para o exterior? E os títulos? E o objetivo principal de um clube grande que é ser CAMPEÃO, onde fica?

Poxa vida, tantos clubes lutam para estar em uma Libertadores, a gente está pelo 4º ano seguido e, na hora de reforçar o elenco, estamos desmontando o time?

Sai Leo Silva e vem Naldo? Naldo quem, eu pergunto! E diga-se, não tenho nada contra o garoto por quem vou torcer que chegue a seleção, vestindo nossa camisa. Mas é a postura que não entendo. Tirar um zagueiro experiente para trazer uma aposta?

E que merda de ‘apostas’ são essas? Alguém acreditava mesmo que o Robert, que fora dispensado do Palmeiras por desrespeito ao clube, seria o substituto do Kléber? Ou o Walysson? Porra, se era pra trazer gente assim, não era melhor ter mantido o Eliandro da nossa base no ataque e não custaria nada? (Duvido que ele seria pior que os concorrentes).

Sinceramente, este pensamento não condiz com o MEU CRUZEIRO. Aquele clube que aprendi a amar e ser exemplo de gestão e postura.

Deixamos de ser ‘preferidos’ pelos jogadores para virar o mendigo do futebol. Enquanto todos se desdobram, falta dinheiro ao Cruzeiro. Mas falta também postura, alternativas.

Cadê nosso Sócio do Futebol? COMO conseguiram acabar com um programa de 20 mil sócios e passá-los para apenas 3 mil? Por que nas lojas da Reebok aqui em São Paulo não se acha NADA do Cruzeiro, enquanto Inter e São Paulo bombam nas prateleiras? Por que nós da Sampa Azul tentamos vários contatos com o Cruzeiro e eles nunca se prontificaram a investir em nossa torcida?

Pendurar camisas em prédios é bonito, é legal e até elogiamos aqui no Blog. Mas cadê as ações rentáveis de marketing?

Sinceramente, custo a aceitar essa alcunha de mendigo. Prefiro acreditar que alguma notícia boa ainda vamos escutar por estes dias... mas está difícil manter a fé.

Pois bem, caro amigo leitor do Blog. Este foi mais um desabafo do que qualquer outra coisa. E você, que nos lê... o que está pensando de todos estes acontecimentos recentes? Qual a sua solução para esta fase “negra”?

Vamos inscrever o Cruzeiro no Bolsa Família?
Vamos pedir dinheiro na conta de Luz?

É triste, ams do jeito que andam as coisas, parece que o nosso próximo grande reforço vai ser uma cesta básica para os jogadores terem o que comer no almoço.

Vamos diretoria! Supreenda-nos!

domingo, 2 de janeiro de 2011

90 anos de luta, vitórias e orgulho.


Em 2 de janeiro de 1921 nascia, sob o nome de Palestra Itália, um dos maiores clubes de futebol do planeta. No uniforme havia o verde, o branco e o vermelho da bandeira italiana.

Mas em 1942, com o ingresso do Brasil na segunda guerra mundial, um decreto que proibia qualquer referência aos países inimigos fez com que o clube mudasse de nome, passando por nomes como Palestra Mineiro e Ypiranga, até que em 7 de outubro de 1942, adotou o nome com o qual conquistaria o mundo: Cruzeiro Esporte Clube. Deste momento em diante, o azul da bandeira nacional brasileira passara a ser também o azul da nova agremiação.

Aos poucos, a equipe azul foi conquistando seu espaço em Minas Gerais, desbancando poderosos rivais da época como América e Atlético MG. Mas foi com a chegada do Mineirão - a eterna casa estrelada - que o Cruzeiro realmente se consagrou, tornando-se um dos gigantes do futebol nacional e clube mais vitorioso e popular de MG.

Sua torcida cresceu com a mesma velocidade que o time, de uma forma avassaladora. Tanto que passou a ser conhecida como China Azul.

Hoje, 2 de janeiro de 2011, o clube completa 90 anos de existência e a Sampa Azul não poderia deixar de prestar a sua homenagem ao nosso Cruzeiro.

Das emoções de “ser cruzeirense”, só não tive a honra de me emocionar com a conquista da Taça Brasil em cima do Santos do Rei Pelé, com a geração que teve Raul, Piazza, Tostão e outros tantos talentos que elevaram o nome do Cruzeiro para o Brasil.

No mais, do alto dos meus quase 30 anos de vida, tive a chance de sentir todas as alegrias de ser um torcedor do Cruzeiro. Assisti a inúmeros títulos Mineiros, vibrei com cada conquista da Supercopa, vibrei com cada conquista da Copa do Brasil, ví a mágica campanha de 2003 que nos garantiu a Tríplice Coroa e conheço a emoção de conquistar uma Libertadores da América. Quis o destino que até a tristeza de perder um mundial fosse sentida com uma derrota para um time alemão, tal qual aconteceu em nosso primeiro mundial.

Não tive a chance de ver o Tostão (aliás, me chamo Eduardo em homenagem a ele), Piazza, Joãozinho, Jairzinho, Nelinho ou Palhinha. Mas acompanhei o surgimento do Ronaldinho fenômeno, o talento do maestro Alex10, a raça do argentino Sorín, a segurança do goleirão Dida e tantos outros que consagraram os seus nomes na história celeste, ao mesmo tempo em que escreviam cada uma de nossas páginas heróicas imortais.

São histórias maravilhosas e tudo isso com “apenas” 90 anos de idade. Muitos outros gigantes do futebol nacional não possuem um currículo tão vitorioso, mesmo com mais de 100 anos de existência.

Só quem é Cruzeirense sabe o que significa o orgulho e paixão de se carregar as 5 estrelas sobre o peito.

Hoje, amigos, é dia de vestir o manto celeste estrelado e desfilar nas ruas o orgulho e as conquistas de 90 anos de muita luta, superação, vitórias e conquistas. E também é dia de desejar que tenhamos mais 90, 100, 200 anos de páginas tão heróicas e imortais quanto estas que contam nossa trajetória até os dias de hoje.

A Sampa Azul e toda a torcida celeste espalhada por São Paulo, pelo Brasil e pelo Mundo deixa aqui a nossa homenagem para este clube maravilhoso. Parabéns Cruzeiro Esporte Clube.

Somos todos testemunhas de sua grandeza e personagens de sua história.
90 anos combatidos. Jamais vencidos!