domingo, 28 de dezembro de 2014

Até agora, valeu muito. O que mais nos aguarda?


Quem conviveu com a agoniante situação dos anos de 2011 e 2012 dificilmente imaginava que 2013 e 2014 seriam tão sensacionais como foram. Se nos dois primeiros o grito era de ‘devolvam meu Cruzeiro’, nestes dois últimos anos o apelo – ou melhor – o desafio é ‘não deixem meu Cruzeiro ir embora’.

Chegar ao topo é algo difícil, mas manter-se nele é algo ainda mais desafiador. Por isso mesmo a conquista do Bicampeonato Brasileiro consecutivo é algo tão expressivo.

Quando este elenco foi montado, o então diretor de futebol Alexandre Mattos disse: temos time para, pelo menos, 3 anos. Pois bem, chegamos ao 3º ano consecutivo com quase o mesmo elenco e com grandes expectativas. O problema agora é que o Cruzeiro é a bola da vez, o time que todo adversário quer bater para aparecer e provar o seu valor.

Não bastasse o desafio de motivar um elenco vencedor, algumas peças que já foram importantes já não fazem mais parte do nosso time. A. Mattos mesmo foi um que abandonou o barco, enquanto Borges – destaque em 2013 – pouco fez em 2014 e acabou dispensado. M. Moreno dificilmente permanecerá na Toca, enquanto o experiente Samúdio também já não faz mais parte do Cruzeiro.

Há quem diga que a manutenção do elenco é o ‘maior reforço’ do time. Pessoalmente discordo. Uma equipe como o Cruzeiro precisa de grandes nomes para não deixar acomodado os grandes atletas que aí estão. Temos que ter uma sombra para cada posição do time titular. E se por um lado poucos deixaram o time, por outro quase ninguém chegou.

O final deste 2015 pode ser de consagração ou de grandes problemas para o Cruzeiro. Muitos atletas do elenco atual terão seu contrato no fim, o que forçaria a diretoria a ter que vende-los para reaver parte do capital empregado para a montagem deste time campeão. Ou mesmo a necessidade de renovar tais contratos, porém com valores muito superiores uma vez que todos agora são campeões e estão valorizados.

Na verdade, muito da motivação e manutenção deste time passa necessariamente por um bom desempenho na Taça Libertadores. Primeiramente pelo lado financeiro que o torneio proporciona. Depois, pela gana que os atletas devem ter em participar de um torneio tão importante com chances de sermos campeões.

Temo que uma eliminação no torneio continental possa ser o marco final de um ciclo vitorioso para este elenco, tal qual conhecemos. A venda de jogadores e o recomeço de um projeto seriam quase inevitáveis. (É bom deixar claro que não me refiro ao ciclo de vitórias, mas deste elenco como conhecemos hoje).

Por tudo isso, vejo que seria a hora de a diretoria fazer aquele esforço adicional para trazer um ou dois jogadores pontuais para realmente entrarmos com tudo na disputa pela LA2015. Um frente de ‘responsa’, um camisa 9 matador seria uma peça indispensável (Sinceramente não acredito que este atleta tenha o perfil de um Leandro Damião, por exemplo... embora eu vá torcer e apoiar muito o jogador caso ele venha).

Temos um ótimo goleiro, 4 zagueiros muito bons, dois meias sensacionais, dois laterais direitos que dão conta do recado e uma dupla titular de ‘volância’ em grande fase. Pessoalmente, acredito que precisamos de um bom jogador para a lateral esquerda para pressionar e revezar com o Egídio e dois bons jogadores de área, uma vez que Alisson, Dagoberto, William e Marquinhos podem fazer um bom papel como segundo atacante.

Independente do que aconteça daqui para frente, este grupo já ficou marcado na história do Cruzeiro. São verdadeiros heróis, bicampeões brasileiros. Ou seja, o saldo já é positivo... o que pode acontecer é acumularmos ainda mais glórias e crédito.

Se em campo as coisas caminham bem, nós – torcedores – também precisamos continuar a fazer o nosso papel.

Daqui há pouco tempo, Corinthians e Flamengo passarão a receber absurdos 170 milhões da Globo, enquanto o Cruzeiro ficará com apenas 60. Um abismo de 110 milhões que promete acabar com a competitividade do futebol Brasileiro.

A única coisa que pode nos manter na disputa é a mobilização de nossa torcida e a adesão ao programa de Sócio do Futebol do Cruzeiro. Por isso, caso você já seja sócio, continue com a sua parceria com o clube. E caso você não seja, faça um pequeno esforço para tornar-se um. O Cruzeiro depende de você para continuar forte e na luta por títulos.

2015 bate à nossa porta e entraremos neste ano com tudo, em busca de mais títulos e mais páginas heroicas e imortais.

Um feliz ano novo para toda a nação celeste. Um ano novo e – se Deus quiser – cheio de conquistas.

Vamos Cruzeiro!