domingo, 31 de março de 2013

Mais ‘Efici’ que ‘Defici’entes.


Vila Nova e Cruzeiro chegaram invictos para o jogo deste sábado. Não é nada, não é nada... não é nada mesmo.

Com a bola rodando, quem começou a partida querendo aparecer foi o juiz (que eu não vou citar o nome, justamente para não ganhar cartaz). Ele abusou de dar cartões para jogadores do Cruzeiro e ainda expulsou o M. Oliveira do campo.

O jogo estava nervoso e o Vila melhor. Mas, em uma de suas primeiras bolas na partida, Borges aproveitou a falha do zagueiro Heitor e deu um ‘petardo’ de fora da área para fazer um golaço. O Cruzeiro ainda ampliou o placar com Leo, aproveitando uma das diversas faltas bem batidas por Dagoberto, aos 26.

Quando encontrava o seu melhor futebol na partida, o Cruzeiro tomou um gol, fruto de um pênalti inexistente, marcado em cima de Tchô. O 10 do Vila mesmo bateu e fez 2x1.

O Cruzeiro voltou com Tinga no Lugar de Éverton Ribeiro para o segundo tempo. Mas o Vila voltou com a mesma formação e melhor. Logo aos 6, o time de Nova Lima empatou em falha do zagueiro Paulão, que levou bola nas costas. Gol de Eraldo para o Vila.

Precisando da vitória, M. Oliveira fez mais uma alteração, colocando o Ricardo Goulart no lugar de um inexistente Diego Souza, que só fez andar – ou melhor – se rastejar em campo.

Logo a alteração fez efeito e o camisa 31 celeste, aos 20 do segundo tempo, fez 3x2, aproveitando cruzamento de Dagoberto. E fez também o 4º gol celeste, quando aproveitou uma bobeada da zaga do Vila, não desistiu do lance e roubou a bola para fazer o gol. Nome do jogo.

Daí até o final o Cruzeiro soube cozinhar a partida e garantir o resultado.

O placar do jogo mostra bem o como anda este nosso time. Eficiente para atacar, deficiente para defender. Chega a ser impressionante como o nosso meio de campo permite que o adversário troque passes perigosos frente a nossa área.

Pessoalmente, não gostei de algumas atuações. O Nílton, para mim, precisa e pode mostrar mais. Depois da partida de estreia, quando ele foi um leão, não tem marcado nem saído com a mesma eficiência.

O Diego Souza literalmente passeou em campo. O Tinga, com trinta e todos anos, correu e se apresentou infinitamente mais para o jogo que o camisa 10. Ele quase não tocou na bola, e quando o fez, errou tudo o que tentou. Parecia estar desanimado e isso tem prejudicado muito o time. Com o Ricardo Goulart voando, tá na hora de ele comer um banquinho para entender que no Cruzeiro não vai ter cadeira cativa se não jogar. Nota 2 para ele hoje. Mas deixo claro: ele pode e vai nos ajudar muito. Cabe a ele querer mais, e a nossa torcida de ajuda-lo com a paz que ele precisa para tanto.

Nossos laterais também estão devendo. O Everton claramente não sobe mais como antes. Mas, no caso dele, é por pura orientação tática, uma vez que o Dagoberto tem feito a ponta esquerda muito bem. Já o Ceará, tem que jogar mais simples, como fez ano passado.

Mas também temos pontos extremamente positivos. A dupla Borges e Dagoberto tem crescido. O camisa 9 é matador e ponto final. Tem feito muito bem o pivô e tabelado também com eficiência. Tomara que as lesões deixem ele continuar brilhando com o Cruzeiro.

O Dagoberto tem crescido a cada jogo. Cruza bem e bate falta com a mesma precisão. É perigoso nas arrancadas. Mas o principal que quase ninguém nota: suas assistências. Ou ele está lá para chutar, ou tem participação direta nos passes para gol.

O Tinga, mais uma vez, entrou muito bem na partida. Ele marca, ele ataca, ele orienta o time. Teria vaga fácil no meu Cruzeiro, no lugar no Nilton.

E aqui vai um parágrafo exclusivo para o nome do jogo de hoje. Já no clássico contra as frangas, o Ricardo Goulart não tinha afinado. Acabou indo para o banco e depois nem foi relacionado para as partidas. Mesmo assim, não desanimou. Foi destaque em vários treinos e em jogos treinos. Esperou, teve chance e vem guardando os seus gols. Merece, na minha humilde opinião, a vaga do Diego Souza como titular. Afinal, se futebol é momento, o do camisa 31 está muito bom.

Campeonato Mineiro é festa e treino. Só vale mesmo os jogos contra o listrado do outro lado da lagoa e nada mais. Nem o caneco eu comemoro muito. Mas temos que aproveitar para afinar o time de vez. Porém, me parece claro que algo ainda está torto no time.

Eu acredito que este é um elenco que vai brilhar este ano, mas vai ter o seu melhor só no ano que vem. Mãos a obra, M.O. Vamos fazer deste um dos melhores times que já tivemos.

Vamos vamos, Cruzeiro!

quinta-feira, 28 de março de 2013

Entrosamento


Fala galera! Tudo tranquilo? Estou estreando minha coluna aqui no blog. Nela vou falar basicamente do panorama atual do Maior de Minas, elogiar, dar pitacos e criticar quando preciso. Sintam-se à vontade para comentar, xingar (eu, não o time), cornetar (ó...), enfim, podem se expressar como bem entenderem! Afinal, a coluna é minha, mas o espaço é todo de vocês.

Hoje vou falar sobre um problema que atrapalhou muito nosso time no último jogo: o entrosamento. Quem vem acompanhando o time desde o início do Rural percebe que ainda falta tempo até os jogadores se entenderem, principalmente os homens de frente. O que teve de bola rifada e chutão não foi brincadeira, faltou muita cadência e inteligência dos nossos principais guerreiros. Não sei vocês, mas eu credito isso à concorrência bruta que esses novos jogadores estão sentindo. Quase dá para formar um time titular só com atacantes e homens de criação com nosso elenco.

Dessa forma, o time encontra dificuldades tremendas para criar aquelas jogadas envolventes, dignas do Zeirão. Tudo bem, tudo bem, não estou dizendo que não houveram jogadas criativas em outros jogos, mas ainda falta aquela “liga”. O menino Vinícius Araújo está sentindo muito essa pressão. Já repararam em como ele fica afobado em alguns lances? E não é só ele. Os outros jogadores novos estão doidos para cair nas graças da torcida, para terem aquela garantia da vaga de titular. Não culpo nenhum deles, qualquer um de nós pensaria o mesmo. No entanto, toda essa vontade está minando o conjunto. 

Fazer o que então? Contratamos um dentuço feio e cabeludo para sanar todos os nossos problemas? NÃO! Isso quem faz são as franguinhas (e para falar a verdade não resolveu nada, vide show do Elton John). Da nossa parte, o melhor a fazer é ter paciência. O Mineiro foi feito pra isso, comer galo e fazer testes no time. Muitos deles darão errado, mas no final acabaremos por encontrar o time ideal. E enquanto isso não acontece temos que dar espaço e mostrar acima de tudo nosso apoio. Nenhum time vai pra frente sem uma torcida que joga junto com ele. 

Bom, por hoje é só. Se a galera da SampaAzul não se arrepender de ter dado esse espaço para mim, semana que vem tem mais! 

SAUDAÇÕES CELESTES! 

OBS: Nesse momento saiu a notícia que o Cruzeiro desistiu oficialmente das contratações do Marcelo Moreno e do Dedé. O primeiro não fará tanta falta, já o segundo... ZÊROOOOOOO!



terça-feira, 26 de março de 2013

O novo Mineirão e o Torcedo


Nos últimos dias muitas reclamações foram direcionadas para Diretoria do Cruzeiro em virtude do elevado preço do ingresso para os jogos do time na Toca 3. Estas reclamações nascem das Torcidas Organizadas sob a proteção popular de que os ingressos estão caros por demais, principalmente por se tratar de jogos do Campeonato Estadual (Ruralito).

Concordo que os preços estão elevados, mas para o torcedor do CRUZEIRO, e não para o torcedor da Torcida Organizada, existem inúmeras possibilidades de associar-se ao clube e garantir benefícios para assistir os jogos na Toca 3, além de estar contribuindo para o departamento de futebol do clube. Isso mesmo! Existem planos de todos os perfis. São no mínimo 4 categorias, partindo do economicamente mais frágil para o torcedor mais abastado.

O que está faltando aos dirigentes das T.O´s é o senso comum de privilegiar e beneficiar o Cruzeiro neste momento de renascimento após 18 meses de ócio. Quanto maior o número de associado melhor para o clube, melhor para o torcedor, melhor para o time!

Por outro lado, os protestos contra Diretoria do Cruzeiro deveriam seguir outro rumo, o qual seja: na direção da liberação de faixas, das bandeiras e dos instrumentos musicais. Há de ser lembrado para os Administradores da Toca 3 que não estamos no Japão, na Suíça ou nos Estados Unidos! Temos nossa peculiaridade e forma própria de torcer, uma vez que para muito dos brasileiros o futebol é algo invariavelmente importante.

Assim, espero que ambas as partes se conciliem no sentido de tornar o Mineirão cada vez mais a Toca 3, liberando os artigos que enriquecem o espetáculo, e que o torcedor cada vez mais se identifique com o Projeto de Sócio Torcedor do clube.

No mais, dá-lhe Cruzeiro e saudações celestes!

Álvaro Bomfim

segunda-feira, 25 de março de 2013

Harlem Shake - Sampa Azul

Nesse final de semana tivemos Cruzeiro 2 x 1 Caldense...Além disso ainda tivemos a ideia de fazer um Harlem Shake na Sampa Azul e muitos torcedores azuis resolveram contribuir...Veja abaixo o resultado final e deixe sua opinião...


Obrigado a todos que contribuiriam!!!

terça-feira, 19 de março de 2013

TRABALHO DURO


Será uma missão árdua para o Professor Marcelo Oliveira arrumar a defesa azul. E ele não só tem que pensar assim, como deve focar o seu trabalho nos próximos dias nesta zona do campo, pois a cada jogo do Campeonato Estadual a impressão que fica é que o meio de campo e o ataque estão crescendo de produção mas a defesa, em especial a dupla de zaga, vem demonstrando muita insegurança.

Na verdade essa insegurança é justificável, seja pela falta de entrosamento, pois somente o Caveirão vem tendo sequência, ou mesmo pela deficiência técnica (Nirley já pode pensar no seu novo clube...). De qualquer forma, não é possível termos tantas bolas passeando pela nossa área, por cima e por baixo, vindo de bola parada ou de bola rolando, e contra adversários limitadíssimos (Tombense, Araxá e Boa). Portanto a receita é TRABALHO, como diz o Professor Muricy.

Quanto às laterais o temor é menor. Vejam o porquê: o Ceará, embora tenha falhado no gol do Boa no último jogo, passa a sensação de que vai fazer uma ótima temporada, já que se destacou na pré temporada (o Tinga também) e conta com a boa vontade da tabela do Campeonato Mineiro para adquirir confiança física. Já o jovem Mayke entrou muito bem no último jogo, e se o dito popular “a primeira impressão é a que fica” valer, estaremos bem servidos para lateral direita. Já pelo lado esquerdo, talvez o Egídio seja a melhor opção por ser um lateral de ofício e que fez uma ótima temporada no ano passado. Fato que o Everton também fez, mas nesse caso perde a “disputa” por não ser lateral de origem, sem contar que, ao meu ver, ele está curtindo uma boa fase, e só.

Então, já que o assunto é defesa, voltamos para zaga, pois é lá que deve ser o foco do trabalho neste início de ano. Arrumando a defesa, coisas boas podem acontecer!

Dá-lhe Cruzeiro e saudações celestes!

Álvaro Bomfim

segunda-feira, 18 de março de 2013

Quarteto Fantástico.


Jogando pela primeira vez com o ‘quarteto fantástico’ formado por Borges, Dagoberto, Diego Souza e Éverton Ribeiro, o Cruzeiro venceu o BOA em varginha e continuou na ponta do Campeonato Mineiro.

A parte ofensiva do time esteve bem na partida, mas o placar elástico não pode encobrir que ainda temos sérias falhas na marcação da equipe. Nada para desespero, pois o Campeonato Mineiro serve justamente para isso: fazer ajustes.

Na zaga, o desempenho do Nirley ainda está longe de me agradar. Na lateral esquerda, o Egídio mostrou muita ‘coragem’ e disposição, mas ainda peca em errar muitos passes. Com uma sequência e confiança, pode ajudar o time. O Ceará também foi mal ontem.

De positivo, mais uma excelente atuação do Borges, que correu muito, fez o pivô com perfeição, participou de tabelas, deu um passe açucarado de calcanhar que foi desperdiçado pelo Dagoberto e ainda fez o seu gol. Em forma, como parece estar, é titular absoluto do time. (E olha que as ‘sombras’ Anselmo Ramón e Vinícius Araújo também vem bem).

Destaque também para o Fábio, com pelo menos duas intervenções sobrenaturais, para o Éverton Ribeiro pela mobilidade e pelo gol, pela boa participação do Diego Souza e pela excelente entrada do Tinga. Uau, como é bom ter elenco!

Ainda vimos que o Mayke, lateral direito reserva, tem um bom potencial para brilhar no time pelo vigor e correria. Os lances perdidos por ele foram pela falta de experiência que ele certamente vai ganhar no time.

Mas, de tudo isso, uma coisa me anima bastante. O fato de que, apesar das dificuldades do time na marcação, este time está com a cara de Cruzeiro mesmo... com toques envolventes, tabelas, jogando avançado, leve. Enfim, vemos um time que esboça a nossa identidade. E isso tem TUDO para dar certo.

No mais, vamos que vamos. Acho que ainda temos que buscar um companheiro para o Paulão na zaga e ter um volante mais talentoso no time. Não que Guerreiro ou Nilton venham mal, mas nenhum deles tem a saída com a bola como bom diferencial. Quem sabe o Henrique não é este cara?

Final de semana tem mais. Bora lá para a Sampa Azul, galera!

terça-feira, 12 de março de 2013

E a zaga?


Continua a mesma! muitos vão dizer, inclusive eu. Mas outros também vão dizer que o Paulão Caveirão está segurando bem a onda. Verdade. Mas será que será assim por toda a temporada? Segundo os gremistas uma hora o cara trava, mas quem sabe eles estejam errados, até porque o Caveirão jogou somente uma temporada por lá. Quem me deixou uma ótima impressão foi o Bruno Rodrigo, também compartilhada pelos viúvas do Pelé, mas machucou-se muito cedo, o que pode lhe prejudicar quando da volta ao time.

Fato preocupante no último domingo foi o “tale” de Nirley barrando o bom Thiago Carvalho, ou faz parte da teoria do Professor Marcelo valorizar todo mundo (menos o Ricardo Goulart!!!!) ou o Thiago Carvalho voltou o ano mal demais, pois ao meu ver foi o melhor zagueiro de 2012.

Bom, e o Victorino? Se voltar razoavelmente bem a vaga é dele. Se jogar como na Libertadores de 2011, vai disputar a Copa das Confederações. Olha aí a motivação extra para o zagueiro uruguaio, galera! Competição da FIFA no país onde ele atua. Eu boto fé no Victorino, se tiver curado, vai agregar muito ao time e poderá formar com o Caveirão uma boa zaga. De qualquer forma, o trabalho do Professor Marcelo vai ser pesado demais lá trás, pois em 5 jogos no Estadual já tomamos 4 gols. Média alta para adversários de baixo nível técnico, exceto o rival local que atravessa um bom momento.

O fato é que não podemos tomar gols de cabeça jogo sim, jogo não. O posicionamento tem que melhorar, o time tem que ajudar na marcação, mas se não tiver entrosamento entre defesa, meio e ataque, nada adiantará os trabalhos diários para os defensores na Toca 2.

O consolo do marasmo deste início de ano é que temos tempo para arrumar o time, mas não podemos nos iludir com isso, pois nada é infinito, muito menos o tempo. Vamos Professor, arrume a zaga e relacione o Ricardo Goulart!

No mais, dá-lhe CRUZEIRO e saudações celestes.

Álvaro Bomfim

terça-feira, 5 de março de 2013

O Dilema do Professor


Estamos apenas na 4ª rodada do Campeonato Mineiro é já podemos constatar que o Professor terá problemas não só para escalar o time do Cruzeiro, mas até mesmo para relacionar os jogadores para cada partida. No último sábado me chamou a atenção o fato do Ricardo Goulart não ter sido relacionado. Borges também, mas a ausência do artilheiro é compreensível, pois está voltando de um grande período de inatividade.

Pois bem, é melhor esse problema do que a situação inversa. Claro! mas se a situação não for bem administrada pela Direção Técnica a coisa pode ficar feia. Ciúmes, insatisfação, panelinha, etc. E é nessa hora que o Professor vai ter que mostrar que além de estrategista é bom de papo com os boleiros. E do jeito que parece, essa qualidade ele vai ter que mostrar em breve. O bom Elber já demonstrou ao final do jogo do último sábado que não quer ser negociado “tenho potencial para ficar”, cravou o menino. Só que na mesma posição dele, temos uma outra ótima revelação, Alisson, que eu particularmente acho ser melhor que o Elber.

No ataque o trem é ainda mais perigoso: Borges, Dagoberto, Luan, Vinicius Araújo, Martinucio, Anselmo Ramon, Ananias e Lucca. Pena que na defesa a fartura de qualidade não seja a mesma, embora na zaga o nível tenha melhorado, um pouco, mas melhorou. Vamos ver como o Victorino volta, não é? Pois o tal de Bruno Rodrigo deixou boa impressão. Também gosto do Tiago Carvalho e o Paulão, por enquanto, está bem.

De qualquer forma, vamos torcer para o Professor acertar a mão e o grupo compreender que o Cruzeiro está de volta, o que vai ser bom para todos, principalmente para nós, diga-se de passagem. No mais, da-lhe CRUZEIRO e saudações celestes.

Álvaro Bomfim

domingo, 3 de março de 2013

Pratas da casa decidem.


Retranca é pouco para definir o que os time de interior tem feito quando enfretam o Cruzeiro. Ontem não foi diferente na partida contra o Tombense. O detalhe fica por conta de uma certa afobação do time celeste, que sabe de sua superioridade e na ânsia de marcar o primeiro gol, não capricha tanto naquele toque final.

Mas tudo faz parte ‘do plano’. Nosso time ainda busca entrosamento e o encaixe perfeito de peças fundamentais, como do armador Diego Souza e a recuperação de Dagoberto e Borges, por exemplo. Coisas que virão somente com jogos, que tem sido bem raros para a raposa (apenas 4 oficiais disputados).

Ontem, quando Anselmo Ramon se machucou, o jovem Vinícius Araújo tomou o seu lugar e mostrou que tem estrela, fazendo o primeiro gol da raposa aos 37 minutos, depois de pegar o rebote do chute de Éverton Ribeiro.

Minha expectativa era de que o gol daria tranquilidade para a raposa tocar melhor a bola e conseguir a sua goleada. Mas a Tombense decidiu sair um pouco mais para o jogo e chegou a criar muitos problemas para o Cruzeiro. Fábio chegou a operar um milagre em chute de Joílson (ex-Cruzeiro), a queima roupa, no segundo tempo.

O Cruzeiro tinha dificuldades, mas também criou chances. Aos 27 da etapa complementar, Vinícius Araújo fez jogada pela esquerda, cruzou para o meio da área e encontrou Everton Ribeiro livre para fazer o 2º da raposa.

Pouco depois o Tombense diminuiu. Aos 33, Adeílson fez o gol dos visitantes e chegou e ‘pressionou’ o Cruzeiro.

O Diego Souza, de quem esperamos muito, ainda não se encaixou no sistema, tão pouco parece ter 100% do seu condicionamento físico ideal. E quando ele saiu (aplaudido pela galera), Elber tomou o seu lugar e comprovou que a noite era mesmo dos pratas da casa.

Aos 44, ele arrancou e fez tabela com Dagoberto que, na devolução da bola, deu um passe maravilhoso para que o Elber enchesse o pé, marcasse o 3º e desabafasse na comemoração. Durante a semana, chegou-se a cogitar que ele seria emprestado para outra equipe.

Fim de jogo, mais 3 pontos e muitas lições.

A primeira é que temos que ter calma com o time. O entrosamento virá com o tempo e com os jogos.

A segunda é que precisamos ter mais calma e humildade. O gol não sairá na força, mas sim na técnica e na superioridade. A humildade fica por conta de se jogar o ‘simples’. Ontem vimos jogadores como o Luan e mesmo o Nilton perdendo passes e toques fácil por preciosismo, por querer ‘firular’ o que precisa e deve ser simples.

A terceira, e talvez a mais importante, fica pro Marcelo. Olho na garotada celeste! Tudo bem que o Mineiro serve para testes e para se recuperar jogadores importantes. Mas quando o bicho pegar, tem que jogar quem estiver melhor. E a nossa garotada com Vinícius, Alisson e Elber tem mostrado que tem condições de brigar pela vaga.