quarta-feira, 31 de julho de 2013

Tremenda injustiça.

Que pecado!

Um verdadeiro pecado. Não há como definir diferente o revés de 1x0 contra o Fluminense hoje.

Do jogo, tenho pouco a falar. O Cruzeiro colocou o Fluminense no bolso, marcando com extrema vontade, se movimentando muito, criando chances... tudo isso, diga-se de passagem, sem o seu elenco completo a disposição. Perdemos por um simples e mero acaso deste esporte chamado futebol.

Gostaria, entretanto, de enaltecer coisas super positivas que eu ví no time celeste e convido você a refletir isso comigo para, apesar da derrota, avaliar que o jogo de hoje foi positivo.

Como marca este time:

O Marcelo Oliveira tem o time nas mãos. O Cruzeiro está muito organizado. Quando um sobe, outro marca, todo mundo ligado... jogadores que falam, se cobram, se ajudam. Como este Souza tem jogado bola...

Torci o nariz quando ele veio. Preconceito bobo e cheiro de churrasco de língua (embora nunca o tenha criticado) pela minha desconfiança. Ele marca muito bem, faz poucas faltas e sai bem para o jogo.

O Bruno Rodrigo fez mais uma partida excepcional. Além de beliscar uns gols de vez em quando.

E o Dedé? Muita gente fala que ele é atabalhoado, de vez em quando... Que falha em bolas fáceis. E tudo isso é verdade. Mas o que ele acrescentou a defesa é uma grandeza! O camarada recompõe com uma velocidade impressionante, tem senso de grupo, sai bem com a bola, não se afoba... Não tem medo de ninguém. Passa uma segurança que há muito não vemos na nossa zaga.

Um time que se fala:

O Nilton fala o tempo todo com o time. O Dedé idem. O Ricardo Gouart pede bola, o Everton Ribeiro também. Resultado? Um time com um senso coletivo e uma organização muito boa.

Um time humilde:

Grandes jogadores com nomes a serem provados, em busca de consagração, com gana nos olhos. TODO mundo volta. TODO mundo se movimenta. TODO mundo colabora. Que continue assim!

Elenco bom e muito ainda por vir:

Lembro novamente aos esquecidos. Temos o MELHOR ataque do campeonato com uma dupla ‘reserva’. O que o Vinícius Araújo jogou hoje foi uma grandeza (a melhor partida dele - na minha opinião – com a camisa do Cruzeiro.

Derrotas, meus amigos, fazem parte deste jogo maluco chamado futebol. Mas lembro a todos que um time campeão se faz também com derrotas, com aprendizado. Para que, quando não pudermos perder, estes jogadores estejam prontos.

Agora, a sua obrigação torcedor... É APOIAR INCONDICIONALMENTE E COM FORÇA.

Quem estiver em MG, tem que LOTAR o Mineirão. Quem não estiver em MG, mas morar em São Paulo, TEM que vir ao QG. Temos que fazer a lição de casa e empurrar o time para a vitória. Ainda mais em um embate contra o Coritiba, o ‘líder’ do campeonato.

Pelo menos até sábado, sé é que vocês me entendem... rs

Força Cruzeiro. Parabéns pelo excelente jogo e bola pra frente.

Anti-corneta shield mode “ON”.

Vamos vamos Cruzeiro!!!

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Carimbo, carimbo, carimbo e carimbo.


Uma vez a cada século, o Atlético ‘Mimimi’neiro ganha um título importante. E quis o destino que coubesse ao Cruzeiro dar aquela carimbada básica na faixa dos listrados do outro lado da lagoa.

Começou o jogo e só deu Cruzeiro. Até que o Atlético fez 1x0, em um dos seus únicos ataques, depois de pênalti cometido por Dedé sobre Marcos Rocha. Alexssandro cobrou e fez 1x0. Mas a festa galinácea pouco durou, uma vez que o Cruzeiro virou a partida ainda no primeiro tempo.

Everton Ribeiro fez o seu gol, depois de bola que Luan ganhou na disputa pela esquerda, cruzou para dentro da área e encontrou o camisa 17 para fuzilar o goleiro adversário. Aos 43, foi a vez de Ricardo Goulart aproveitar o chute de Vinícius Araújo – depois de cobrança de escanteio – para escorar a bola e fazer 2x1.

No segundo tempo o volume de jogo celeste foi ainda maior. Depois de fazer o 3º, com Nílton, em mais um lance de bola parada, uma falta quase na marca do escanteio, o Cruzeiro ainda fez o 4º, em jogada que Ricardo Goulart recebeu a bola, ganhou a corrida do zagueiro e deu números finais a partida.

O ‘time misto’ do Atlético só não tomou mais gols porque, depois do 4º gol, recuou todos os seus jogadores para o campo de defesa. E olha que ainda surgiram umas 2 ou 3 chances para ampliar o marcador.


Se o objetivo era carimbar a faixa do rival, o Cruzeiro tratou logo de carimbar, selar e homologar a faixa em grande estilo. Como prêmio, ainda descolou a liderança do Brasileirão ao final da rodada.

Muito ainda está por vir neste brasileirão. Mais uma vez estamos brigando em nosso habitat natural: o topo da tabela.

Vamos Cruzeiro! Quarta feira tem mais com a galera da Sampa Azul!

Ps. Não percam as contas: 12 jogos no Mineirão, 12 vitórias... 3 delas no time da cloaca latejante. 100% em casa até agora.

sábado, 20 de julho de 2013

Pega o tabu e enfia na rima!


Saaaaaaaaaiiiiii zica!

Xô, exú zombeteiro que – há 9 anos – impedia o Cruzeiro de vencer o São Paulo em Campeonatos Brasileiros. Tudo graças a um ‘trabaio bem feito’ pelo ‘Pai de Santo’ Luan e as 3 cachapadas certeiras.

Hoje foi um dia bem especial para a torcida celeste, mais ainda para a galera da Sampa Azul. Graças a uma ação do Cruzeiro Esporte Tour, tivemos um aquecimento muito bacana, com direito a réplica da taça da Copa do Brasil, conquistada ante o Palmeiras em 96. De lá, para o Morumba para assistir ao Showcolate do Cruzeiro.


Com a bola rolando, o início do jogo foi TODO celeste. Do estádio, a impressão dos 10 minutos iniciais era que o São Paulo não passava do meio e campo. O Cruzeiro era muito eficiente na roubada de bola, especialmente com o Souza, que fez uma BAITA partida.

Mas depois o time do Cruzeiro puxou o freio de mão. Respeitou demais o São Paulo, que estava perdido em campo e nada fez no primeiro tempo. Por diversas vezes o Cruzeiro roubou a bola e tinha muito, mas muito campo para progredir e armar contra ataques, mas sempre optava por recuar as jogadas.

Luan, que foi o herói da partida, estava matando a torcida de raiva com falta de movimentação. Durante 3 vezes pelo menos, a torcida pediu, em alto e bom tom, a entrada do Lucca no lugar do camisa 88.

O primeiro tempo acabou e o time voltou exatamente igual para a segunda etapa.


O São Paulo começou pressionando e perdeu pelo menos uma boa chance de abrir o marcador. Mas logo aos 6 minutos, um cruzamento para a área tricolor encontrou o camisa 88 livre para fazer um belíssimo e indefensável gol. Em um chute de primeira – sem a bola cair – o Luan enfiou a bola no ângulo de Rogério Ceni.

O gol deixou o já combalido São Paulo ainda mais perdido em campo. Mesmo assim, o time paulista teve boas chances na base do tudo ou nada. Por outro lado, o time celeste continuava por roubar a bola com eficiência, mas pecava muito nos passes errados. O Fábio salvou o Cruzeiro algumas vezes, mantendo o time azul na frente do placar.

O segundo gol saiu aos 33 do segundo tempo, quando Martinuccio (que havia entrado no lugar do Ricardo Goulart) lançou o Vinícius Araújo que tocou para o Luan fazer mais um.

O terceiro veio 3 minutos depois, em mais um contra ataque iniciado pelo Martinuccio. Na dividida com Rodrigo Caio, Luan venceu a parada, saiu na cara do Rogério Ceni e fez o seu 3º gol na partida. Na saída do campo, o jogador pediu música no fantástico e escolheu “Nada como um dia após o outro”, dos Racionais MC’s. Que beleza! rs

Com a grande vantagem na mão, a torcida celeste – que LOTOU o seu espaço, diga-se de passagem – passou a gritar “olé” enquanto o time colocava o São Paulo na roda.

Showcolate do Cruzeiro e um resultado mais do que justo pelo que as duas equipes apresentaram em campo.


Do campo, ótimas atuações para Fábio, Bruno Rodrigo, Ricardo Goulart, Souza (um dos, se não o melhor na partida), Martinuccio e, com 3 gols, não há como não dar destaque ao Luan com seu pé bento e certeiro. Embora – repito – o desempenho dele na partida vinha revoltado a todos na torcida.

De vilão a herói em 3 gols... rs

Com a vitória, o Cruzeiro pulou para a segunda posição da tabela e segue vivo na briga pelo caneco.

Parabéns ao time e a imensa torcida celeste em São Paulo, que fez o seu papel com extremo brilhantismo.

Quem venha o próximo jogo!

Zêeeeeroooooo!

domingo, 14 de julho de 2013

Implacável no Mineirão.



Anotem aí mais uma vitória para o Cruzeiro no Mineirão. Desta vez, contra o Náutico em um 3x0.

O Cruzeiro chegava com uma escalação nova. Com a venda do Diego Souza para o Mentalist da Ucrânia, Ricardo Goulart e Lucca entravam de titulares do time. E a dupla não demorou a mostrar serviço. Logo no início da partida, Lucca cruzou uma bola rasteira na entrada da área e o Ricardo Goulart se esforçou para adiantar sua chegada na bola e completar para as redes.

Apesar do gol, o Cruzeiro errava muitos, mas muitos passes. Mesmo assim conseguia manter um ótimo domínio de bola e o Náutico nada fazia. Apesar da posse de bola, o time parecia meio ‘torto’ em campo, buscando um novo posicionamento ideal com a nova formação. Ricardo Goulart se movimentou bastante. Já o Lucca me pareceu ainda longe do ideal, errando muitos passes, perdendo muitas bolas.

No segundo tempo, logo no início saiu o segundo gol do Cruzeiro. Em jogada que lançou Éverton Ribeiro na direita, o meia tentou um chute e, no rebote, escorou para o oportunismo do Vinícius Araújo.

Para dar números finais a partida, uma jogada sensacional do Ricardo Goulart pela esquerda rendeu um toque açucarado para, mais uma vez, Vinícius Araújo, fazer o seu gol. 3x0 Cruzeiro.

A partir daí o time passou a dominar totalmente o jogo e só cozinhou a partida. Uma ótima vitória do esquadrão estrelado, em uma partida que teve como destaques individuais o Egídio (partidaça), Vinícius Araújo e o Ricardo Goulart – melhor da partida na minha opinião.

Nota de uma decepção:

7 meses, 8 gols e 2 jogos acima da média. Esta foi a passagem do Diego Souza pelo Cruzeiro. Tão curta quanto decepcionante.
Eu acreditei no Diego Souza e torci muito por ele. Chegou aqui fora de forma, falando que na Toca buscaria a seleção, com a expectativa de suprir a ausência do craque Montillo. Em campo, foi sonolento, se escondeu em diversas partidas, e pouco fez pelo coletivo do time.

Apesar disso, tinha talento, força e poderia render mais. Como fez na sua última partida. Fiquei decepcionado pelo tempo curto e, especialmente, com a falta de gana do jogador em querer provar ao que veio. Saiu por uma oferta melhor? Até que ponto é bom se esconder em um time da Ucrânia para quem chegou querendo seleção, bradando ter objetivos maiores?

Pelo lado do Cruzeiro, nada a condenar. Recebemos 6 milhões de Euros e, de quebra, ainda recebemos o atacante William (ex-Corinthians) por um ano. Baita negócio. Mais uma do chapeleiro Gilvan e seu fiel escudeiro Alexandre Mattos. Mas fico triste por uma história que não foi.

Pelo menos, agora, o Ricardo Goulart poderá buscar o espaço que já fez por merecer durante o ano todo.

Vamos Cruzeiro!

quarta-feira, 10 de julho de 2013

‘Quase’ficado.



Gol do Cruzeiro... Diego Souza.

O time celeste pegou ontem o Atlétigo-GO no Mineirão e tratou de encaminhar a classificação para a próxima fase com uma boa goleada por 5x0.

Gol do Cruzeiro... Vinícius Araújo.

Tecnicamente, o jogo um esplendor. O time celeste não conseguiu nesta partida mostrar a mesma variedade ofensiva que já mostrou em outros jogos do campeonato. Muito disso, pelos desfalques na equipe.

Gol do Cruzeiro... Dedé.

Entretanto, o placar elástico mostra sim méritos do time azul. Destes eu destaco a qualidade na bola parada. Especialmente nas faltas cobradas pelo Souza cabeça de fogo. Há de se destacar também que o jogador teve mais uma boa atuação com a camisa celeste. E em se tratando de destaque, não pode passar em branco a ótima participação do Diego Souza no jogo de ontem. Não sei bem qual foi o Toddynho que ele tomou antes da partida, mas se movimentou, buscou jogo, fez grandes jogadas... um dos melhores da partida.

Gol do Cruzeiro... Éverton Ribeiro.

No segundo tempo o Cruzeiro continuou em cima. Conseguiu ampliar o placar com o Éverton Ribeiro e, mesmo depois da expulsão infantil do zagueiro Bruno Rodrigo, ainda fez mais um com o Egídio, em chutaço de fora da área. Ah... isso me lembra uma coisa:

Gol do Cruzeiro... Egídio.

Com a vitória, o Cruzeiro segue invicto no Mineirão e com aproveitamento de 100% em casa, além de ter encaminhado bem a sua classificação para a próxima fase da Copa do Brasil. Nos resta torcer para que o M. Oliveira acerte os detalhes que ainda estão pendentes no time e que, se possível, tenha mais opções ao Luan no ataque. Por que, meus amigos, o que ele tem de disposição, tem de limitação. Deveria ser volante e não atacante.

Gol do Cruzeiro?

Calma... vocês estão ficando muito mal acostumados. (rs) Vamos aguardar a próxima partida e torcer para que tenhamos mais uma vitória no Brasileirão, ante o Náutico, mais uma vez em casa.

Vamos Cruzeiro!

domingo, 7 de julho de 2013

2700 pagantes. Quase todos de azul.



Ah! Que saudades dos jogos Cruzeiro. E igualmente bacana a chance de rever o time em um jogo no estádio. Que o diga a galera da Sampa Azul e os demais torcedores celestes que vivem em São Paulo, que abarrotaram o seu espaço no acanhado Canindé. Até o final do primeiro tempo, ainda havia gente na fila para entrar.

E a expectativa era ótima. O Fábio – a muralha azul – completava 500 jogos com o Cruzeiro e, talvez pela parada para a Copa das Confederações, o Canindé apresentava um gramado excelente, novinho, verdinho e sem buracos. Era tudo que queríamos para ver nosso Cruzeirão jogar. Pena que o time demorou não correspondeu logo de cara.

Com 4 minutos de jogo, em cobrança de falta de Souza (ex-Cruzeiro), Valdomiro, zagueiro da Lusa, subiu sozinho para fazer 1x0. Menos mal que a torcida abraçou o time, começou a cantar e, pouco depois, em cobrança de escanteio, Bruno rodrigo, o nosso zagueiro artilheiro, empatou a partida em 1x1.

Aliás, há de se registrar aqui o que a mídia não destaca: a participação da torcida celeste ontem foi bem bacana. A Máfia Azul cantou o jogo todo e a galera da Sampa Azul, que assistiu a partida junta puxava várias músicas animando a galera ao redor. Esta parte foi bem legal e merece mesmo um destaque especial.





A expectativa para o segundo tempo era de virada. M. Oliveira mexeu no time colocando Lucca, Anselmo Ramón e Tinga nos lugares de Diego Souza, Vinícius Araújo e Souza respectivamente. Mas o time não conseguiu furar a defesa adversária. Teve duas chances importantes com AR, uma em uma cabeçada perigosa, muito bem defendida pelo Lauro cueca de chumbo, e outra que estourou no travessão português.

Os erros de passe do primeiro tempo, se repetiram no segundo. E jogadores importantes como o Everton Ribeiro não conseguiram brilhar. No final da partida, a sensação de decepção foi inevitável. Saímos lamentando os dois pontos que deixamos no Canindé, enquanto a Lusa comemorava o pontinho que conseguiu segurar ante o Cruzeiro.

Análise:

Ver o jogo do campo é sempre diferente de ver na TV. Permite que você veja o desenho tático do time de uma maneira mais ampla.

Ontem, a Portuguesa insistiu muito nas jogadas pelo lado esquerdo celeste. O Egídio foi muito exigido e, em muitos momentos, estava mal posicionado em campo.

Isso aconteceu por uma mudança no time: a entrada do volante Souza. Tanto o cabeça vermelha, quanto o Nilton, são jogadores que saem muito para o jogo. Característica diferente do Leandro Guerreiro que costumava ficar plantando na marcação. Ou seja, os laterais podiam subir a vontade que o LG estava alí para fazer a cobertura. Ontem, tanto o Mayke quanto o Egídio subiam, mas os espaços ficavam para jogadas do adversário. Algo que o MO precisa ajustar neste time atual.

Diga-se de passagem, o Souza jogou muito bem. Marcador vigoroso, voltava com velocidade e mordia forte o adversário. Mas é preciso que o MO encaixe ele melhor no time para que o todo possa render melhor defensivamente.

A torcida pediu o jovem Lucca e o MO atendeu. Mas o menino ainda precisa mostrar o porque custou tão caro. Mirradinho fisicamente e acanhado em suas jogadas, até hoje não foi possível ver nele nada que justificasse o investimento. Precisa jogar com mais personalidade se quiser se manter no grupo do Cruzeiro.

O Vinícius Araújo também não fez lá uma partida primorosa, embora tenha se movimentado bem. Ele tem futuro e merece nosso apoio e torcida. Diga-se de passagem, a torcida ontem o apoiou antes, durante a partida e mesmo depois de sua substituição, reverenciando o jogador que agradeceu o carinho.

E, para matar todo mundo de raiva, eu achei sim que o AR entrou bem na partida. Ele fez o pivô com mais eficiência que o Vinícius e dele partiram as melhores chances de gol: a cabeçada defendida pelo Lauro e o chute no travessão. É bem verdade que ele não vem marcando gols, mas teve um aproveitamento melhor que o menino VA.

O Luan é um caso inexplicável, pelo menos para mim. Ele volta para marcar. Corre, corre, corre... Mas não vai para cima, não é decisivo, não acrescenta nada ao ataque em termos de alternativas. Sinceramente não consigo entender a opção dos treinadores por ele. Ontem fez mais defensivamente do que ofensivamente. Muitas das dificuldades do time no ataque ontem se deveram as suas limitações.

O Everton Ribeiro ficou muito abaixo do esperado. Não tabelou, foi fominha em algumas oportunidades... enfim, tem jogo que ele arrebenta, e tem jogo que não acrescenta. Ontem foi um dos dias ruins.

O Diego Souza tenta suas arrancadas, tromba, tal... Mas o que me irrita nele é sua participação SEM a bola. Em TODA jogada que ele perdia, em NENHUMA ocasião ele voltou para brigar pela bola. Algo do tipo “perdi a bola, então se vira aí”. Tá faltando este lado mais ‘coletivo’ para ele.

Bom, dito tudo isso (muito pela saudades de falar do Cruzeiro... rs) eu ainda quero destacar que:

Estávamos sem 2 jogadores importantíssimos: Borges e Dagoberto. E se um deles faz falta, imaginem a dupla. E não tínhamos nem reserva para os laterais Mayke e Egídio, uma vez que os dois laterais de opção estão no estaleiro.

Sim, podíamos mais. Mas empatar fora de casa não é de todo ruim, ainda mais em um campeonato onde os times estão tão nivelados. Agora é focar na próxima partida e fazer o dever de casa para continuar bem no Brasileirão.

Ah... saudades do Brasileirão!

Vamos Cruzeiro! Que voltem logo os lesionados.

sábado, 6 de julho de 2013

Estamos de volta

E nada melhor que recomeçar o Brasileirão “em casa”. Pois é, hoje é dia de prestigiar o MAIOR de Minas na conquista de 3 novos pontos e participar do jogo 500 do nosso capitão.

Estamos com sede de Cruzeiro, sede de conquistas! E o que nos espera são os 3 pontos, não pode ser diferente, pois contra times do quilate da Lusa temos que angariar dois triunfos sem titubear. Assim se faz um campeão, ganhando 6 pontos dos “times pequenos”.

Verdade, o time estará bem desfalcado. Mas quem for entrar em campo já está no grupo há tempo e terá chances de mostrar serviço sem ter direito a reclamar de entrosamento. Exceção é o volante Souza, que é uma cara nova, e que diga-se de passagem deixou uma ótima impressão nos jogos disputados nos Estados Unidos, embora o primeiro jogo (Cruzeiro x Strikers) não deva ser levado muito a sério, mas o fato é que o Souza assumiu bem a “volância” e para alegria de mais de 90% da torcida barrou o protegido e bom caráter Leandro Guerreiro, que desta vez ficará na suplência.

O sentimento, “QUE NÃO PODE PARAR”, é que o Cruzeiro vai fazer uma ótima apresentação e começar a gravar o seu lugar no G4. Ao que parece o time está focado e com vontade de entrar para história.

Fora das quatro linhas as boas notícias são as possíveis substituições, do patrocinador “máster” e do fornecedor de material esportivo. Essa última troca tem que ser encarada com muita seriedade, pois cada vez mais ouço reclamações de colegas de BH que a loja do Cruzeiro está totalmente desabastecida, o que é lamentável para uma loja recém inaugurada. Alô Diretoria! Olho no peixe e outro no gato!!!

Bom, o negócio hoje é vestir a camisa azul estrelada e preparar o espírito para a “balada” da zona norte (jogo 21h. no sábado é osso!), porquê hoje é dia de matar saudades! Até mais tarde! Dá-lhe Cruzeiro e saudações celestes!

Álvaro Bomfim