quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Por um futuro melhor.



Fala aí, galera.

Eu vou te contar, meus amigos... Acho que os bons tempos têm tudo para retornar a Toca em 2013.

Primeiro, porque o Mineirão estará de volta. Lá sim, nós jogamos em casa! Um estádio do tamanho do Cruzeiro, gigante, cheio de história... Será a real volta para casa, uma vez que nem a Walygator  Arena, muito menos a caixa de fósforo do América – vulgo o Magelão – podiam ser chamadas de casa’ celeste.

Segundo porque, depois de um 2011 terrível e um 2012 esquecível, finalmente a casa está entrando em ordem. E o personagem que vai decretar se este futuro será brilhante ou não é o nosso Gilvan de Pinho Tavares, que chamo aqui carinhosamente de o paladino e explico o porque.

Quando o Gilvan substituiu o ZZP, muitos se colocaram desconfiados. Era grande a preocupação de que ele seria mais do mesmo, uma vez que ele era candidato da situação, enquanto a torcida clamava por mudança.

Logo de cara, os primeiros desafios. Comandar um time sem dinheiro algum em caixa, enquanto via seu craque Montillo ser assediado por diversos clubes e manifestando o desejo de sair para o Corinthians.

E, contrariando os conselhos ZZPianos’ e a pressão da mídia, nosso paladino resistiu bravamente, segurou o Montillo, calou a imprensa e configurou o primeiro caso de um clube que conseguiu segurar um jogador ‘contra’ a vontade. Um marco no futebol mundial, apoie você a decisão do presidente ou não. É bem verdade que neste mesmo momento ouvi pela primeira vez na minha vida que o Cruzeiro atrasou salários, mas isso foi superado.

Recém chegado, Gilvan optou por manter dois personagens muito criticados pela nossa torcida em 2011: Dimas e V. Mancini, este último ‘gabaritado’ pelo histórico 6x1 nas ‘cocotas’. Isso, somado a chegada de jogadores na base do 0800 (nosso presidente confessou que só teve condições de trazer jogadores ‘de graça’ pela situação do clube) deu no que deu.

Se 2012 não foi brilhante (aliás, muito longe disso) o presidente atingiu a sua meta: segurar o Cruzeiro na primeira divisão e arrumar a casa. Para quem temia um rebaixamento, até que um 9º lugar não ficou de todo mal.

Pessoalmente, eu acredito que o tempo das vacas magras será passado na vida do Cruzeiro. Com a chegada do Diego Souza, a permanência do Montillo e com Borges, Ceará e Tinga em forma, nosso time precisaria de muito pouco para endireitar de vez. Isso sem contar o maior reforço de todos: o Mineirão.

Com a chegada do Mineirão, o Cruzeiro será tão grande quanto o apoio da sua torcida. O programa de Sócio do Futebol melhorou demais e hoje premia com pontos, facilita a compra de ingressos e oferece só vantagens para o torcedor apaixonado que deseja ver o Cruzeiro de perto. Neste sentido o Cruzeiro está no caminho certo. Resta agora a torcida fazer a sua parte, além de apenas cobrar, cobrar e cobrar.

Claro, ainda há pontos a se rever, como este aumento quase pornográfico nos valores dos sócios Brasileiro, Libertadores e Tríplice Coroa. Mas o plano ‘Cruzeiro Sempre’ está aí, bem baratinho, e cheio de vantagens para o torcedor que achar os demais planos salgados. Ou seja: não tem desculpa! Isso tudo sem contar que a tendência no futebol mundial é de que em um futuro muito breve, somente sócios consigam comprar ingressos para os jogos.

Vamos brincar de fazer contas e sonhar?

Se nosso Cruzeiro tem mesmo 8 milhões de torcedores, imaginem que somente 10% deles sejam fanáticos. Isso daria 800 mil apaixonados mesmo. Se todos eles pagassem R$ 27,00 por mês para o clube, nós teríamos nada mais, nada menos que R$21,6 MILHÕES POR MÊS para o clube. E tudo bem que atingir esse montante hoje é uma utopia... Imaginem, que seja, 1/4 disso. Mesmo assim É MUITA GRANA.

Por isso eu digo e repito: O Cruzeiro será tão grande quanto a vontade da torcida em colaborar. Cabe agora ao nosso clube acertar detalhes como um site mais amigável e intuitivo para inscrição, preços mais atrativos, uma maior atenção com os torcedores que residem fora de BH (afinal, não é na capital que estão todos os 8 milhões, não é?)... Coisas estas que eu tenho certeza que o nosso departamento de MKT está atento.

O resto, como a chegada de bons jogadores, conquistas e outras coisas boas mais será consequência. E cabe a ele, o nosso paladino Gilvan Pinho Tavares, comandar esta fase de mudança e crescimento.

A ele e a você, meu amigo. Eu tenho certeza de que se a torcida abraçar o clube, não teremos mais que conviver com o laranja do BMG em nossa gloriosa camisa, por exemplo. Bem como poderemos atingir a independência financeira que nos colocará – novamente – no lugar que nos é de direito: o de protagonista do futebol mundial.

Feliz 2013 para toda a nação celeste!

domingo, 2 de dezembro de 2012

E 2012 acabou.



Enfim, o brasileirão 2012 acabou. O ano de 2012 acabou. Mais um para ser esquecido em termos de elenco e resultados, porém para servir de lição de diversos aspectos.

No jogo de hoje, uma bela partida, diga-se de passagem, o time zebrado venceu o Cruzeiro por 3x2. Bernard, aos 4 minutos, abriu logo cedo o placar para o Atlético. Mas o Cruzeiro suportou bem a partida, tocou bem a bola e acabou empatando com Martinuccio aos 46 minutos. Neste meio tempo, houve tempo para uma bola na trave do Cruzeiro e um pênalti defendido pelo Fábio.

O bom jogo continuou emocionante no segundo tempo. Éverton virou o jogo para o Cruzeiro, mas Leonardo Silva e Marcelo Oliveira (contra) tornaram a virar a partida para o Atlético, com gols aos 14 e 29 minutos da etapa complementar, respectivamente.

Embora muitos torcedores estejam de cabeça quente pela derrota para o rival, eu não vou caçar culpados pela derrota de hoje. Foi um jogão, super emocionante, com chances para os dois lados, e inúmeras chances de gol perdida pelo Cruzeiro. Somando nosso ano conturbado, nosso elenco limitado e o fato de estarmos jogando fora de casa, apesar da derrota fica impossível não reconhecer o bom futebol do time.

Pessoalmente eu credito a expulsão do Tinga o fator importante para a derrota de hoje. Ele foi agredido, revidou e foi expulso junto com o Leandro Donizete, das cocotas. Ambas expulsões justas, mas o Tinga – pela experiência – era muito mais importante para o Cruzeiro que o jogador adversário para o time dele.

Enfim. A lamentar, somente a infelicidade da derrota, pois o jogo foi muito bacana de se ver e torcer. Parabéns para o Ex-campeão brasileiro de 2012 pela rara vitória. Eles tem mesmo muito o que comemorar, uma vez que o Mineirão está de volta... e ai, meu amigo, não tem pra ninguém.

Fica o registro aqui da presença maciça da torcida celeste na Sampa Azul. Parabéns pela presença e pela festa, galera. (As fotos eu posto amanhã, pois esqueci de pegar a câmera).

Vem ni mim, 2013:

Agora, nos resta torcer por um 2013 mais equilibrado, com um time mais forte e digno das tradições do Cruzeiro.

Que a nossa diretoria tenha aprendido que montar time com treinador medíocre e jogadores de 0800’, via DVD, não ajuda em NADA o Cruzeiro. Que, apesar da imprensa do Brasil todo vender o Montillo a cada dia para diversos times, a nossa diretoria tenha a sabedoria para entender que precisamos de grandes jogadores como ele no nosso elenco. E que se for para vender, que seja para se construir um BAITA time e para conseguir MUITO dinheiro. E que eles saibam que uma barca com refugos não vale a pena em comparação com um jogador comprovadamente bom e ídolo da torcida.


Não precisamos de muitos. Precisamos de BONS. Se for para contratar jogadores medíocres, sem experiência e rodagem, vamos investir na nossa base. Pois o amor a camisa ainda gera alguma superação. E no lugar de 6 ou 7 perebas, que tragam dois bons laterais, um grande zagueiro e um bom atacante.

Eu acredito do trabalho do Dr. Gilvan. 2012 foi o ano da faxina e da busca de equilíbrio. A partir de agora sim, nós podemos cobrar o nosso presidente. Até lá, vamos apoiar, torcer e fazer a diferença.

Aproveito para desejar a todos os Cruzeirenses e amigos um Feliz Natal e – principalmente – um ótimo 2013. A gente merece.

Abraços a todos e até o Churrascão de fim de Ano – SAMPA AZUL!

domingo, 25 de novembro de 2012

Torcida se despede do Magelão.



Parei de escrever no Blog depois do vexatório jogo contra a Ponte Preta, no qual o time – pela segunda vez – havia sido displicente e sem vontade. Volto hoje, na vitória contra o Coxa, para celebrar a paz momentânea que atingimos.

Neste meio tempo ainda houve espaço para uma vexatória derrota para o Santos, com direito a torcida aplaudindo e gritando o nome do Neymar. Episódio que, com ironia ou não, quero esquecer que aconteceu com o Cruzeiro. Salvadora mesmo foi a vitória contra o Bahia por 3x1, que foi apertada embora o placar diga o contrário.

Livres do peso do rebaixamento, o Cruzeiro carimbou a faixa do campeão Fluminese, fora de casa, em uma das melhores partidas que fez no campeonato, com 2x0 no placar.

Hoje, mais uma vez sem medo de fantasmas, o Cruzeiro venceu bem o Coritiba por 2x1, com gols de WP e Leandro Guerreiro. Mas havia caixa para muito mais, pois o time jogou bem e perdeu muitas chances nesta partida que foi a última do time como mandante no estádio do Independência. Agora o Mineirão está de volta, mas antes ainda tem o confronto contra o rival, no clássico do próximo domingo.


Você, torcedor celeste, está mais do que convidado para acompanhar o último jogo do campeonato com agente.

Nota importante:

Nós realizaremos o churrasco de final de ano da Sampa Azul no próximo dia 09/12, um domingo. Durante a semana divulgaremos o evento, mas já fica a dica aqui:

O Valor será de R$50,00 por pessoa e dá direito a bebida e comida a vonts’. O valor será recolhido dos interessados até domingo que vem, dia do clássico.

O local ficará pendente pois depende do número de pessoas interessadas. Mas até 20 confirmados, será na Lapa. Passando disso, será no Morumbi. Ambos em endereços bem fáceis de se chegar.

Acompanhem aqui no Blog, em nosso grupo de amigos no Facebook e via Twitter as novidades sobre o evento.

Abraços a todos e Vamos Cruzeiro!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Time safado de come e dorme.


Parecia impossível conseguir ter um time TÃO RUIM como aquela aberração de 2011. Mas 2012 provou que superação é um termo que se aplica tanto para o bem quanto para o mal.

Em 2012, o Cruzeiro fez a maior preparação em tempo e a PIOR pré-temporada da sua história. Montou um time de resto, com jogador de DVD na base do 0800, dirigido por um treinador de bosta.

Para o brasileiro, jogadores acima de 30 reforçaram nosso departamento médico, enquanto um técnico mediano completou o recheio do time que, ainda assim, continuou uma porcaria. Ainda pior que em 2012, embora o risco seja virtualmente menor de se cair em 2012.

Contra a Ponte Preta, um dos piores times do Brasileiro, o Cruzeiro conseguiu perder mais uma vez. Jogando um primeiro tempo vergonhoso, sem sequer chutar uma bola a gol.

Mais uma vez (pois agora o ridículo é recorrente) um time apático, fruto de um elenco bisonho, comandado por um treinador já desacreditado pelo seu presidente através da imprensa. AMADORES! Um time que tem poucas chances de cair mas que está rebaixado moralmente.

Estão destruindo o Cruzeiro.

Em um passado recente, perdemos Thiago Ribeiro, Gil, Naldo, o próprio Leo Silva brilhando no Rival... todos a preço de banana... Nossos bons valores, quando despontam, não tem sequência, como o Lucas Silva. E o selecionável que nunca jogava, entrou e cometeu o crime de ir bem... Mais um descartado por competência.

Tá tudo errado, passando pelo time, pelo treinador... Pela condição de mendigo que ocupamos... Vergonha, das mais profundas.

As vezes eu me pergunto em que momento deixamos de ser referência para ser uma piada, embora tenha claro na minha mente que a vaca foi mesmo pro brejo quando o ZZP abandonou o clube ano passado.

Triste. Estou indignado.

Nada mais tenho a dizer. Volto a comentar no Blog quando esta cambada de come e dorme safada tiver a dignidade de honrar a camisa do Cruzeiro. Grotescos, safados.. falta hombridade dessa cambada.

Fosse eu o Roth eu sequer apareceria mais na Toca de tamanha vergonha. E, para piorar, o risco de rebaixamento ainda existe. Muito se engana quem acredita que já estamos ‘a salvo’.

Deus nos acuda e nos salve desta cambada indigna de vestir a camisa azul celeste.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Longe da Zona.


Martinuccio, 4 jogos, 3 assistências e 1 gol. E com grande felicidade parece que eu queimei minha língua com o argentino, uma vez que pessoalmente, não acreditava muito que ele pudesse vingar no Cruzeiro.

Hoje, um jogo perigosíssimo para o Cruzeiro, que pegava um time reserva do Corinthians. A obrigação e a necessidade eram toda nossa, enquanto a equipe paulista jogava sem pretensões alguma. Só que time ‘misto’ rende almoço... pelo menos para mim, que adoro arrancar um ranguino na faixa com meus amigos gambáticos aqui de Sampa.

Com a bola rolando, o time paulista começou mais organizado e o Cruzeiro tinha dificuldades para sair jogando contra a bem postada defesa corinthiana. Até que aos 20 do primeiro tempo, Anselmo Ramóm recebeu ótimo cruzamento de Martinuccio e fez Cruzeiro 1x0.

No segundo tempo o próprio Martinuccio fez o segundo aos 13 minutos. E depois disso a partida ficou chata e burocrática. O Cruzeiro dominava bem o mistão paulista e, vez ou outra ainda arriscava boas jogadas.

De novidade, só a estreia do Zizio pelo lado do Corinthians. E o jogador fez o que exatamente dele se esperava: NADA.

Fim de jogo, 43 pontos, distância da zona e um pouco mais de paz para o time celeste. E só para não perder o costume – agora com sotaque – aqui vai o tradicional ‘Chupa Gambaro’.

Vamos Cruzeiro!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Faltam 6 pontos para 2013



Vencemos. Nada do que eu escrever aqui é tão importante quanto esta primeira palavra. Depois de 7 jogos, vencemos.

O pressionado catadão azul jogava com a embalada Lusa em Varginha com a obrigação da vitória. E nestas horas, a camisa de peso pesa mesmo nas costas de quem é limitado mas tem a obrigação de representar o Cruzeiro.

Foram 4 minutos de um Cruzeiro muito bom, mas lá pelos 15 a Lusa equilibrou a partida. O Cruzeiro era levamente superior e havia chutado mais ao gol adversário. Mas gol mesmo só aos 36, em pênalti marcado para a raposa e convertido por Montillo.

No segundo tempo, o desespero e o triunfo.

A Portuguesa pressionou o Cruzeiro até cansar. Na verdade cansou... de tanto perder gols cara a cara com o Fábio. Até que fez o seu, devidamente anulado pelo bandeirinha. E tal qual o jogo contra o Grêmio o cruzeiro era amassado pela ‘poderosa’ Lusa em seus domínios. Vexatório.

Tão ridículo quanto uma defesa que é facilmente invadida, desorganizada, tosca e amadora. Qualquer um que troque 2 ou 3 passes frente a zaga celeste cria jogadas de muito perigo com facilidade. Isso sem contar o desespero insano que qualquer bola aérea causa em nossa defesa. Pavoroso.

As tantas, Martinuccio entrou o lugar do Borges e mudou um pouco a cara do jogo. Agora, além de ser muito ameaçado, o Cruzeiro também ameaçava. E perdeu diversos gols.

No fim do jogo, a Lusa teve chances incríveis de marcar. Mas como castigo por não ter abatido uma raposa capenga e claramente fragilizada pelo período de seca, tomou um segundo gol celeste, marcado por Souza.

Gol este que veio como um alento, um relaxante muscular para todo torcedor do Cruzeiro que sofreu angustiado pelo apito final do juiz.

39 pontos. Faltam 6 para a ‘salvação’, para aniquilar de vez o fantasma de 2011.

Hoje, estou feliz pelos 3 pontos mas, ao mesmo tempo, extremamente puto com esse time ridículo. Não paro de me perguntar como conseguiram fazer isso com o meu Cruzeiro.

‘Vem ni mim’, 45 pontos. E seja o que Deus quiser.