domingo, 6 de dezembro de 2009

O "TRI" da Libertadores...

Sim, amigos cruzeirenses. Podem comemorar pois a tão sonhada vaga na Libertadores 2010 é nossa!

O Cruzeiro entrou em campo hoje com dois desafios distintos. Vencer o Santos na Vila e contar com o tropeço de São Paulo ou Palmeiras para beliscar uma das vagas na Libertadores. E apesar de já ter revelado o final desta história logo no primeiro parágrafo, ler como isso aconteceu é tão emocionante quanto a vaga propriamente dita.

Logo nos primeiros minutos de jogo, o Cruzeiro abriu o placar com W. Paulista, em uma bomba no canto direito do gol do jovem goleiro Santista. Minutos depois, quase apliou o placar com um chute do mesmo camisa 9 celeste. Depois disso, o primeiro tempo acabou sem maiores emoções.

Quando o segundo tempo começou, o que se viu em campo foi um Santos mais agressivo e um Cruzeiro preocupado em se defender. Panorama que se intensificou com o gol do Botafogo sobre o Palmeiras.

Estávamos, enfim, dentro do G4 e com a mão na vaga para a Libertadores. Mas nada para o torcedor cruzeirense pode ser fácil ou sem sofrimento. E em um lance do pelo lado direito do Cruzeiro, Mádson faz falta em Jonathan, mas o juiz inverte a infração e pune o lateral do Cruzeiro com o segundo amarelo. Ficamos com um a menos.

O Adílson apostou em uma tática para segurar o resultado a qualquer custo. Colocou o time com 4 zagueiros para segurar a pressão. O que ele não esperava era que o Santos empatasse o jogo em uma falha de marcação dos 4 defensores celestes.

Mais uma vez, uma série de indagações tomavam conta da mente do torcedor estrelado. Será que deixaríamos a vaga espacar, mesmo com tudo conspirando a favor e o Botafogo vencendo o jogo? Será que merecemos mais este castigo em 2009?

Enquanto o Botafogo apliava o placar para 2x0 contra os porcinos, o Cruzeiro sofria para empatar o jogo, com um a menos e 4 zagueiros em campo. Foi então que Adílson deu a sua cartada final... Kléber, o polêmico gladiador do Cruzeiro, entraria em campo para tentar mudar o panorama da partida. Parecia estar escrito. Muitos do que assistiam o jogo comigo apostaram "e não é que o Kléber vai entrar e fazer o gol do Cruzeiro? Podem acreditar."

Dito e feito! No primeiro chute a gol que deu na partida, na sua volta ao Cruzeiro, o K30 desempatava a partida em favor do Cruzeiro. (Meu Deus, como o pessoal da Sampa Azul vibrou neste gol!)

Mais uma vez, a vaga estava em nossas mãos, e daí até o final da partida, suamos sangue. Principalmente nos 5 minuots finais de jogo, momento em que a torcida do Cruzeiro sempre fica apreensiva. Mas a cota de sofrimento em fim de jogos estava esgotada este ano, e após um ataque perigoso de Neimar que quase empatou a partida no último minuto, o juiz apitou o fim do jogo.

Vibramos muito, mas ainda era preciso agonizar com os minutos finais do jogo contra o Botafogo. E tome mais sofrimento! O juiz deu 4 minutos de acrescimos na partida, tempo suficiente para o Palmeiras descontar faltando 2. Não podia ser verdade. Mais sofrimento?! Depois de uma virada daquelas na Vila!?

Mas o destino não quis que o Palmeiras empatasse a partida e o jogo acabou 2x1 para o "Botazeiro", que teve direito a gol de Jóbson, futuro craque celeste... rs

E que ironia do destino... o Kléber fez o gol que classificou o Cruzeiro e eliminou o seu amado Palmeiras da Libertadores. Como o mundo gira, heim? Não poderia existir roteiro mais irônico.

Fim de Brasileirão, e o Cruzeiro conquistou o "TRI" da Libertadores. Não o campeonato como queríamos, mas pelo terceiro ano consecutivo, vamos disputar o torneio mais importante da América Latina. Fica a sensação de que podíamos ter conquistado mais, só que para quem viveu receio de cair para a segunda divisão, esta vaga foi de lavar a alma. Como é difícil e louvável esta conquista de hoje.

E cá entre nós... temos ainda um gostinho mais do que especial de ver a "galinhada" assistindo a mais uma vitória do Cruzeiro. Não só acabamos o campeonato na frente do time listrado, como ainda nos classificamos para a Liertadores.

Por isso, para esses torcedores do MST (Movimento dos Sem Time), fica o meu sorriso de time grande e vencedor. A única chance deles comemorarem algo é torcer para o Cruzeiro chegar em decisões para que tenham a "sorte" de algum adversário nos vencer, pois em BH e no Brasil todo, esta camisa listrada já virou motivo de chatota.

Parabéns ao time, ao Adílson Batista e especialmente a torcida celeste que foi um verdadeiro SHOW este ano. Ano que vem, vamos em busca do título que nos escapou este ano.

E não podia acabar esta mensagem de uma forma diferente, se não cantando com vocês a música que acordou todos os vizinhos da Sampa Azul...

"Vamos Cruzeiro querido de tradição,
Libertadores, ser Campeão!"

2 comentários:

PALESTRINO MINEIRO disse...

A soberba, a arrogância, o destempero, a inveja, o despeito e a mesquinhez do presidente galináceo e sua sofrida torcidinha tiveram mais uma resposta do Maior de Minas, dentro de campo e da realidade das coisas. O Cruzeiro E.C. demonstrou, mais uma vez e dentro de campo, sem bravatas infantis, quem é o grande clube mineiro. Quem é o clube que de fato honra o futebol de Minas Gerais perante o Brasil e o mundo. Como consequência natural, o nosso amado time está, mais uma e pela terceira vez, apto a disputar a maior competição de clubes das Américas. Para que os sofredores e recalcados adversários domésticos saibam, outra vez, que a disputa da Libertadores da América não é para qualquer um. Exige que a disputem apenas os grandes, apenas os vencedores, apenas os que têm, de fato, tradição e grandeza. E esse, sabemos, nunca foi o caso das galinhas emplumadas...Salve, Adílson Batista. Salve, guerreiros celestes. Salve, Kléber Gladiador, que deu a volta por cima. E que 2010 possa nos trazer a glória da conquista que, este ano, por muito pouco, nos escapou. Dá-lhe, Palestra!...

Geraldo Henrique disse...

2010 promete!
Estamos de volta!!
Vamo q vamo Sampa Azul!!
Avante Cruzeiro!!