sábado, 26 de outubro de 2013

“Seremos Campeões e não se esqueça”.



Meu Deus... QUE JOGO! Partidas assim deveriam ser transmitidas de dentro de uma UTI por que, sinceramente, o risco para o coração azul e branco era constante. Aliás, é sobre isso que o texto de hoje fala: do coração.

Mais de 40 mil corações foram pulsar no Mineirão hoje, diante do Criciúma, em mais uma final rumo ao tão sonhado Tri do Brasileirão. Um jogo que, em condições normais, seria considerado fácil... Mas ‘normal’ não é exatamente um adjetivo para esta partida.

Com a bola rolando, o Cruzeiro foi soberano e arrasador no início da partida. Com grande volume de jogo e vontade, o time criava chances e pressionava. Aos 12 minutos, teve o esforço recompensado com Everton Ribeiro, que chutou cruzado, entre dois marcadores para fazer 1x0. Pouco depois, o mesmo Everton Ribeiro recebeu um passe, enquanto penetrava pela ponta esquerda da área. De calcanhar ele devolveu o toque para Dagoberto que pegou de primeira, para fazer uma pintura de gol. Explosão azul de felicidade no Mineirão.

Mas o Cruzeiro diminuiu um pouco o ritmo. O Criciúma pouco havia feito na partida até então. Mas, aos 33 minutos, em uma belíssima cobrança de falta, o time de Santa Catarina diminuiu o placar em cobrança de falta de João Vitor, 2x1.

O Cruzeiro passou a errar passes, se desarrumou em campo e, para surpresa de todos, tomou o empate em bola mal cortada por Leo que caiu nos pés de Líns, aos 43 do segundo tempo. O time e a torcida mal haviam absorvido o golpe quando, aos 45, o time catarinense virou a partida com Ricardinho, aos 45, em bola que sobrou na entrada da área.

O peso do improvável assombrava time e torcida.

Ao final do primeiro tempo, pela primeira vez no ano, o time foi vaiado pela torcida. Seria preciso futebol e coração para reverter aquele momento super negativo.

Para os jogadores, era o peso de 3 derrotas em 4 jogos nas costas, questionamentos, pressão da torcida. Para os corações da arquibancada, era angústia, nervosismo... Era o questionamento de se aquele, que parecia ser um título próximo, escaparia de nossas mãos. Era o peso de 10 anos desde a última grande conquista. Vencer este jogo era uma necessidade. Fundamental para se evitar qualquer tipo de crise.

Sorte nossa que o M. Oliveira agiu como treinador e não como torcedor.

Minha vontade, e a de muitos torcedores, era de empurrar o time no grito. Queríamos que o elenco fosse a frente com tudo, pressionasse, jogasse com gana. Muitos queriam mudanças. Mas, no lugar disso, o M. Oliveira preferiu dar um voto de confiança ao time, não mexeu em nenhuma peça, e apostou na calma para vencer o jogo.
Logo aos 4 minutos da etapa complementar, o lateral Suéliton foi mal expulso em lance que nem falta aconteceu. O ‘ator’ William, que já havia cavado um pênalti no jogo passado, conseguira a expulsão de um jogador adversário.

Com um a mais, o jogo virou ataque contra defesa. Mayke e J. Batista entraram nos lugares de Henrique e Ceará. O Cruzeiro pressionava, mas com toques de bola, sem ser agudo. A ansiedade estava levanto todos a loucura. O Criciúma se segurava como podia e como não podia. Aos 12 minutos, Mayke cruzou a bola pela direita, a bola foi para os pés de Borges, que dominou, puxou e chutou para empatar a partida.

O Mineirão, assim como a Sampa Azul, explodiram em vibração. Eu não... Não conseguia, estava alí estático em meio aos gritos da galera, sofrendo de puro nervosismo. Eu queria mais... o time precisava de mais...

Foi então que o M. Oliveira colocou Élber no Lugar de Willian e a estrela do treinador brilhou novamente. Mais uma vez pela direita, agora com Élber, um cruzamento... A bola vai para a área e Borges sobe para cabecear e fazer o gol da virada. Gol do Cruzeiro, explosão da torcida, choro do camisa 9, choro nas arquibancadas. Foi incrível e inexplicável.

Só tendo um coração cruzeirense para se entender a alegria deste gol, do alívio, da libertação! Mais do que uma vitória, era o time provando que tinha coração, que tinha alma, que era capaz de reverter grandes adversidades.

Éramos testemunhas de mais uma página heróica e imortal.

O time estrelado passou a tocar a bola. Tentavam mostrar calma ante a 40 mil enlouquecidos que regiam o time ao som da voz e da pulsação de seus corações. Aos 38 da etapa complementar, Dagoberto sofreu pênalti. Ele mesmo cobrou para dar números finais a partida. Cruzeiro 5x3, em uma vitória com cara de time campeão.

Mais do que 3 pontos, valeu pela garra, pela superação e pelo simbolismo que este jogo teve. Valeu pelo alívio, pela emoção, pela garra, pela gana, pelo choro! Meu Deus... Que jogo!

Ainda não ganhamos nada... mas como estamos perto! Será uma semana para todo Cruzeirense ficar orgulhoso do seu time. Será uma semana para cantarmos a plenos pulmões “Seremos campeões e não se esqueça”.


Hoje, a foto do intervalo ficou para o final da partida, dada a tensão do jogo. Mas, pela cara da galera, vocês podem ver que valeu a pena. (Aliás, eu posto mais fotos depois, quando me recuperar deste jogo, ok?... rs) 

Vamos Cruzeiro! Falta pouco para o objetivo final. E estaremos juntos em cada partida.

domingo, 20 de outubro de 2013

Aí ele chamou o Luan...



Este time quer mesmo ser campeão?

Sério... Tem horas que eu me faço esta pergunta vendo o futebol do time nestas últimas rodadas. É preciso descobrir o que anda acontecendo com o time urgentemente.

Eu sempre estive (e ainda estou) confiante no título. Não pelos pontos de vantagens que temos ante os adversários, mas sim pelo futebol do clube. Estou cansado de repetir que sempre elogiei o time, mesmo em derrotas, pelo bom futebol que mostrou em outras oportunidades. Mas parece que a possibilidade de título vem desestabilizando o time celeste. Só pode.

Não posso cobrar vitórias, pois vencer ou perder faz parte do jogo. Mas tenho todo direito do mundo de cobrar POSTURA. É isso que vem faltando ao Cruzeiro.

Com todo respeito ao Coritiba, hoje, mesmo jogando fora de casa, o Cruzeiro – até então, melhor time do returno – estava jogando contra o lanterna da segunda metade do campeonato. Porra, será que não dava para mostrar um pouco mais de vontade e correria, como já fizemos outras vezes com adversários mais bem preparados e competitivos? Será que este time tem consciência de que está brigando pelo título?

E não me venham com a desculpa do ‘cansaço’. Todo mundo está jogando o mesmo número de partidas e todos, cada um com sua luta, vem correndo e se matando em campo. Menos o Cruzeiro, quando joga fora de casa.

Hoje, ante o Coritiba, o Cruzeiro foi um time preguiçoso. Pouca, ou quase nenhuma movimentação. Erros de passe e um meio de campo frouxo, além de uma participação pífia de nossos laterais.

Gente... eu gosto do Ceará. Mas com o Mayke VOANDO e jogando bem, custa dar mais chances para o garoto? O Henrique pouco tem somado ao time em mobilidade e marcação. E o Everton Ribeiro inexistiu na partida de hoje.

Marcelo, cadê o uso do elenco?

O retrato da passividade do time veio em gol legítimo, marcado pelo Dedé e mal anulado pelo juiz. NINGUÉM reclamou com veemência! Como castigo, na sequência, em um erro de marcação do meio celeste, Geraldo carregou a bola livre e enfiou para Carlinhos fazer 1x0.

Aí o M.O. chamou o Luan...

Juntamente com Dagoberto, pedido pela torcida. Mas, sério, Marcelo Oliveira?... LUAN? Cadê aquela inversão de jogo com o Ceará indo para a esquerda e o Mayke na direita?

Para piorar, Bruno Rodrigo, que vinha fazendo uma partidaça ao lado do Dedé, sentiu a parte posterior da coxa, em uma lesão que todo Cruzeirense tem que rezar para não ser grave.

O Cruzeiro ainda empatou, em pênalti inexistente, com Dagoberto. Mas, em outro retrato da malemolência celeste, tomou um segundo gol em lance que o Ceará – péssimo na partida de hoje – PAROU de marcar pois estava sem chuteira.

Porra! VAI NA BOLA CEARÁ!

Carinhos recebeu e cruzou para Keirrisson (juro para vocês, tomamos gol do Keirrison) fazer 2x1 para o Coritiba. Não preciso dizer mais nada, né?

Sinceridade? Este campeonato não está ganho e o Cruzeiro precisa recuperar o seu bom futebol se não quiser perder este caneco. Estes jogadores, juntamente com o M. Oliveira tem que conversar e descobrir o que eles podem fazer para dar um chacoalhão no time do Cruzeiro.

Nossa ‘sorte’ é que os adversários celestes estão perdendo também, mas a distância agora é de 9 pontos. Mais preocupante que isso é o fato de termos 3 derrotas nos 4 últimos jogos.

9 pontos é muito? Sim, é. Mas o peso psicológico de ver esta gordura sumindo jogo a jogo também é grande e ainda existem muitos pontos a serem disputados.

É preciso menos ‘oba-oba’ e mais futebol. É preciso que a torcida cobre o time e incentive. Que LOTE o Mineirão no próximo jogo, pois não existe partida fácil. Todo mundo briga por algo no Brasileirão. Nos resta torcer para que a nossa vontade de ser campeão seja maior.

Agora é fazer a lição de casa, torcer contra os adversários e ter mais disposição para se jogar fora de casa.

Ainda estamos na briga. 9 pontos a frente e um jogo a menos. Mas se não tiver futebol de verdade, isso não será o suficiente.

Este time tem que entender que, a esta altura, estará marcado na história de qualquer jeito. Seja como Campeão Brasileiro, seja como a maior bobeada da história da competição.

E aí, time... em qual destes grupos vocês querem ser lembrados?



Força Cruzeiro! Estamos juntos nessa luta.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

POST DEFINITIVO: CAMISA 2013 (Sampa Azul).



Amigos,

Fechamos os pedidos das camisas 2013 da Sampa Azul.

Abaixo, a lista final de pessoas que elaboraram o seu pedido, o tamanho da camisa e a situação do pedido (pago ou a receber).

Por favor, confiram o seu nome na listagem abaixo.

Se houver alguma dúvida ou se, por um acaso, o seu pedido não estiver batendo com a lista abaixo, não se preocupe.

Mande um e-mail para sampaazul@gmail.com que a nós atualizaremos este post frequentemente.

Quem está com o seu pedido com camisas (A RECEBER), terá até o próximo domingo para confirmar o seu pagamento, ou terá o seu pedido CANCELADO.

TABELA DE PEDIDOS:

Nome Tamanho Situação
Alberto Severo M Pago
Alexandre Lopes G A receber
Alvaro Bomfim GG Pago
Alvaro Bomfim GG Pago
Alvaro Bomfim M Feminino Pago
Alvaro Bomfim P Infantil Pago
Arnaldo Cambraia M Pago
Ana Clara Cambraia M feminino Pago
Andre Papatella (não definido)  A receber
Bernardo Duca M Pago
Branca G A receber
Carlos Murray M Pago
Christian Vitorino M A receber
Daniel Pinheiro GG / GG Pago
Daniel Salles M Pago
David Mendes M A receber
Denise Duca M Feminino Pago
Douglas Santos M Pago
Eduardo Mano M Pago
Felipe Ferreira M Pago
Felipe Ferreira GG Pago
Fernanda Souza M Pago
Filipe Torsani M Pago
Filipe Torsani G Infantil Pago
Filipe Torsani M Feminino Pago
Filipe Torsani GG Pago
Filipe Torsani G Pago
Filipe Torsani G Pago
Gabriel Leite M Pago
Gênesis Amorim GG       PG A receber
Gleisson M Pago
João Ricardo G infantil A receber
Johny Rodrigues Santos G A receber
Jorge Clemente G Pago
Laertes Duca GG Pago
Leonardo Campos Alves GG A receber
Lívia Figueiredo de Carvalho M feminino Pago
Lucas Mattos Fontes M Pago
Marcelo Bernardes G A receber
Marcus Ferreira G A receber
Maria Antonieta Penido G A receber
Marinho GG Pago
Marinho GG Pago
Matheus Moreira G A receber
Matheus Nacif M Pago
Maycon Magalhães (não definido)  A receber
Paulo Cesar Batista G Pago
Paulo Cesar Batista M Pago
Paulo Coelho M A receber
Pedro M Pago
Pedro Lopes EG A receber
Pedro Rocha M A receber
Rafael Clemente M Pago
Reinaldo M e M feminino A receber
Rodrigo G A receber
Rodrigo Barbosa G Pago
Rodrigo Teixeira M Pago
Thomas M Pago
Wagner Junio GG Pago
Washington M A receber
Thiago Vaqueiro                G e P feminino   Pago
Ricardo C.                          G                        Pago no QG (domingo)
Reinaldo Bernardes            G                        Pago no QG (domingo)
William da Cruz Leal         GG                     Pago
Rafael Fonseca                   G                        Pago
Alvaro Bomfim                  GG                     Pago
Alvaro Bomfim                  GG                     Pago
Alvaro Bomfim                  P                         Pago
Alvaro Bomfim                  P                         Pago
Filipe Torsani                     G                        Pago
Filipe Torsani                     P Feminina         Pago
Filipe Torsani                     GG                     Pago

LEMBRANDO: AS CAMISAS NÃO SÃO PERSONALIZADAS COM NOMES. A LISTA ACIMA É DE QUEM EFETUOU O PAGAMENTO. ENTÃO NÃO SE PREOCUPEM COM ESTE ASPÉCTO, OK?                        

PARA EFETUAR O SEU PAGAMENTO:

Escolha uma das contas abaixo (De acordo com o seu banco favorito) para efetuar o pagamento. Uma vez pago, envie o seu comprovante para o e-mail acima, com o assunto: ‘COMPROVANTE DE PAGAMENTO’.

Banco do Brasil:
Ag: 2245-4
Cc: 11.825-7
Marcos César Monte Filho

Citibank:
Ag: 0074
Cc: 22626255
Marcos César Monte Filho

Bradesco: 
Ag 1833-3, 
c/c 45684-5
Álvaro Silva Bomfim 

Banco Itaú:
Ag: 6549
CC: 04777-4
Filipe Castro Torsani

Torcemos para que todos os amigos que demonstraram interesse na camisa confirmem seus pagamentos.


PREVISÃO DE ENTREGA:
Final de novembro. Precisaremos a data de acordo com a quantidade de camisas confirmadas.


AINDA DÁ PARA COMPRAR:
Só aceitaremos novos pedidos para pagamento imediato, até domingo.


DÚVIDAS:
Pessoal, ABUSEM de escrever para o e-mail sampaazul@gmail.com.
Ou, se preferirem, utilizem o fórum e o post da camisa no facebook: http://www.facabook.com/sampaazul


Estamos acompanhando tudo bem de pertinho e estamos a disposição de todos vocês para sanar dúvidas, ok?