domingo, 29 de novembro de 2009

Com a mão no caneco... de cerveja!

Depois de tantos resultados adversos no Mineirão, finalmente o Cruzeiro fez valer o fator "mando de capo" e tratou de despachar o Coritiba pelo placar de 4x1.

É bem verdade que a desconfiada torcida estrelada ainda levou um belo susto com o time paranaense abrindo o placar aos 11 do primeiro tempo. Mas a pontaria de Henrique (que este ano acertou tudo e mais um pouco chutando de fora da área) e o oportunismo de Jonathan garantiram a virada cruzeirense ainda no primeiro tempo.

W. Paulista - de pênalti - e o jovem garoto Eliandro trataram de dar números finais a partida, que só não foi mais ampla pois Athirson perdeu um gol feito e o zagueiro do Coritiba, em um lance cômico, tirou uma bola certeira meio que sem querer, quando seu corpo "ricocheteou" na trave celeste.

Embora difícil, o Cruzeiro ainda chega vivo na luta pela Libertadores na última rodada. De todos os adversários, fica nossa torcida para que o Botafogo fuja do rebaixamento derrotando o Palmeiras no Engenhão. E, claro, que o Cruzeiro faça a sua parte contra o Santos.

De qualquer modo, hoje um prêmio de "consolcação" foi dado à torcida celeste. Depois de 35 rodadas, o Cruzeiro ultrapassou o arqui-rival Atlético e fez a alegria de diversos cruzeirenses que fizeram apostas com torcedores galináceos.

Tarda mais não falha! Agora um empate garantirá este prêmio de consolação para a torcida celeste, além de litros e litros de cerveja.. (hahaha). Pelo menos nesta disputa, estamos com a mão no caneco... de cerveja!

Brincadeiras a parte, é pouco para quem teve hoje a certeza de que poderíamos - de fato - ser campeões brasileiros se na hora "H" não tivéssemos falhado tanto.

Que venha o Santos! E que mais uma zebrinha passeie pelos campos de São Paulo e Palmeiras, deixando uma vaguinha na LA2010 para gente.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O dia do "Fico" celeste.

"Se é para o bem de todos e felicidade geral nação, diga ao povo que fico".

Não meus amigos, não foi parafraseando D. Pedro I que o treinador celeste confirmou sua presença no Cruzeiro em 2010. Mas sim, Adílson será o comandante estrelado por, pelo menos, mais uma temporada.

Quando o Adílson chegou ao Cruzeiro em 2008, muita gente olhou com desconfiança a chegada daquele desconhecido treinador. Afinal a diretoria havia prometido um técnico de "renome" para a libertadores daquele ano, e Mano Menezes, treinador da moda na ocasião, deu um "toco" na diretoria celeste para acertar com o Corinthians.

Em sua trajetória no Cruzeiro, Adílson sempre foi um camarada um tanto quanto "polêmico". Logo que chegou, pediu a contratação de três volantes (Henrique, M. Paraná e Fabrício). Destes, apenas Fabrício começou bem, enquanto Paraná (improvisado na lateral direita) e Henrique sofriam com as cobranças da exigente - e chata - torcida do Cruzeiro.

Adepto do futebol moderno, no qual jogadores não guardam apenas uma posição em campo, foi diversas vezes questionado pela torcida, e até hoje "sofre" com um apelido que ele mesmo se concedeu em uma entrevista pós jogo. "O pessoal diz que eu invento, que sou o Professor Pardal".

Polêmico também no tratamento com a imprensa. Claramente emotivo e dedicado, o treindor não leva desaforo para casa. Responde de forma ríspida a algumas críticas e questionamentos da imprensa mineira. (Eu também responderia de forma mais abrupta aos emplumados disfarçados de jornalistas).

Infelizmente o torcedor, a massa de um modo geral, é teleguiada e compra as picuinhas dissipadas pela imprensa. Por isso o treinador nunca conseguiu ser unanimidade entre os Cruzeirenses.

Particularmente eu acredito muito em duas coisas: Seriedade e Trabalho. E nestes quesitos, acredito que o Adílson se destaque com louvor. Ele é estudioso do futebol, dedicado e trabalhador. Acredita no que faz e é coerente com seus pensamentos. Se por um lado, uma certa teiomosia não faz dele um cara perfeito, por outro a insistência em suas crenças rende frutos. Que o digam M. Paraná e Henrique, que antes foram questionados e hoje conquistaram o respeito da maioria da torcida.

A continuidade de um trabaho sempre rendeu bons frutos aos times que apostaram nessa filosofia. Foi assim com o Muricy no São Paulo e com o Luxemburgo no Palmeiras de 92 e 93, e no Cruzeiro de 2003. Para 2010, teremos os mesmos jogadores, o mesmo treinador e uma vantagem enorme perante times que ainda vão se montar para a próxima temporada.

Nas últimas rodadas, Adílson cativou um pouco mais os torcedores celestes e, hoje, já recebe a admiração de grande parte da torcida. Episódios polêmicos e divertidos como o "Toma" que ele gritou para a torcida logo após um gol, e a fantástica voadora na placa de publicidade no jogo contra o Santo André externaram para todos o lado torcedor e apaixonado do treinador estrelado.

O Adílson comanda o time como se tivesse um "joystick" nas mãos. Grita o tempo todo na beira do campo e nunca deixa de cobrar de seus jogadores. Para os mais racionais, basta olhar para os números de um treinador que apresenta o melhor aproveitamento pós 2003 no comendo do Cruzeiro (e temos que destacar que o Adílson não tem nenhum Alex10 em campo).

Como sou fã de pessoas trabalhadoras e coerentes, não poderia deixar de expressar aqui o meu apoio ao técnico Adílson Batista. Minha torcida ele sempre teve, pois como torcedor, incentivar é minha obrigação. Agora deixo aqui também o meu desejo de boa sorte.

Que ele saiba que muitos vão questioná-lo, que a imprensa vai incomodar e perturbar o ambiente celeste. Mas que ele seja paciente, batalhador e nunca desista pois a maioria está com ele e tem fé no seu trabalho.

E na vida profissional é assim: "Quanto mais se trabalha, mais a sorte aparece".

Um 2010 campeão para todos nós.

domingo, 22 de novembro de 2009

Matematicamente ainda dá, mas e moralmente?

Não assisti ao jogo do último sábado. Ainda bem, ou não?

Com o empate em 1x1 contra o Atlético-PR, o Cruzeiro conseguiu complicar de vez a sua participação na Libertadores 2010. Como disse o Adílson, treinador celeste, se tivéssemos ganho do Fluminense no Mineirão, este empate seria um resultado normal e aceitável. Não era o caso.

Pelos melhores lances, parece que o jogo foi duro de ver. Deixo aos comentaristas do Blog o espaço aberto para dividirem com os demais amigos um raio-x da partida. Mas, lances a parte, o que conta mesmo é o resultado final.

Mas afinal de contas, para o cruzeirense, o copo pela metade está meio cheio ou meio vazio em 2009?

Para quem leva em consideração que o time estava ameaçado pelo rebaixamento e arrancou com uma das melhores campanhas do 2º turno, o copo está meio cheio. Para aqueles que pesam a perda da Libertadores e viram um time com reais chances de brigar até pelo brasileiro, o copo está meio vazio.

Os mais otimistas dirão que o time disputou 4 torneios em 2009 e ganhou 2, chegou a final de 1, e quase beliscou algo no 4º. Os mais exigentes (grupo no qual me incluo) não consideram o Torneio Verano, nem o Mineiro, conquistas de verdade. (Cá entre nós, confesso não saber qual vale menos).

No fim das contas, fica a esperança de um 2009 melhor. Pela primeira vez em muito tempo, teremos um time montado logo para o comecinho do ano. Falta definir se o Adílson vai comprar essa briga conosco ou não.

Se você, caro leitor, gosta de escritas e se apega a simbologias, mesticismos e amuletos da sorte, saiba que todo ano depois que o Corinthians ganha a Copa do Brasil, no torneio seguinte quem levanta o caneco é o Cruzeiro. Agora decida quão cheio está o seu copo. Se meio cheio pela perspectiva de um título, ou se meio vazio pois isto implicaria em não disputar a Libertadores 2010.

Sinceramente, não sei o que pensar ou esperar. Acho que o time perdeu muito do embalo que o creditava a Libertadores, e dos jogos que restam, o último fora de casa e contra o Santos (do chato Luxemburgo) não me cheira a vitória. Tudo isso, sem contar o "seca seca" que teríamos que fazer nos demais times.

Ou seja, matematicamente dá, mas e moralmente?

Se a vaga vier, vou comemorar... Mas torcer mesmo, vou preferir focar minhas energias positivas para que o Perrela contrate 3 ou 4 jogadores realmente bons para o Cruzeiro para que, enfim, acabemos com este jejum incomodo e inédito na minha vida de 6 anos sem um título realmente grande.

sábado, 14 de novembro de 2009

Um time "broxante".

Se existe um time capaz de deixar sua torcida apreensiva do início ao fim de um jogo, esta equipe é o Cruzeiro.

Nem mesmo com placares dilatados a seu favor o torcedor cruzeirense tem paz. 1, 2 ou 3 gols de diferença se esvaem em apagões e falhas aparentemente inexplicáveis. Quase sempre com requintes de crueldade, nos minutos finais e acréscimos da partida.

Mas existe explicação sim para isso tudo: falta MALÍCIA ao time do Cruzeiro.

Há quem diga que acidentes acontecem. Mas os jogos contra Vitória, Avaí, Fluminesne e o de hoje, contra o Grêmio, mostram que este time não tem malandragem, maturidade e atenção para segurar um simples resultado.

Segura a bola na lateral, junta 3 ou 4 jogadores para proteger a bola, segura a bola no ataque, não perca gols feitos.... Caia no chão, simule uma lesão, use o veneno de nossos adversário contra eles. Mas não, sempre uma ou outra falha individual, ou um apagão coletivo colocam em cheque nosso time.

Hoje mais uma vez jogamos bem. O Adílson foi ousado, fez o que tinha que fazer. O time também, marcando primeiro gol. Só que mais uma vez, depois de tanto errar, tomamos um gol no fim do jogo... mais um... e saimos do G4.

O Cruzeiro parece aquele garoto que sai na balada, acha a moça mais bonita da noite, ganha ela no papo, com muita luta leva ela para cama e na "hora H", brocha. Depois do jogo de hoje, ouvi dizer que estão estudando mudar a cor do viagra, pois azul ele não pode ser.

Hoje eu e milhões de cruzeirenses estamos chateados. Depois de maltratar tanto esta torcida em 2009, no último jogo do ano no Mineirão, a diretoria deveria por o ingresso a um preço simbólico. Pois pagar e acompanhar o time com o empenho que esta torcida teve este ano e não encontrar recompensa, merece muito mais do que um simples pedido de "desculpas" por parte dos jogadores.

Em tempo, quero ressaltar a TODOS os cruzeirenses que tiverem a oportunidade de ler este Blog. "Enquanto houver esperança, estarei com o time sem desistir".

Mesmo com o empate de hoje, entendam que com minhas críticas não proponho uma caça as bruchas, nem mesmo estou culpando A ou B (nem o AB) por absolutamente nada. Quero apenas ressaltar que um time que almeja algo não pode ser tão ingênuo, tem que ser mais malandro.

Agora, mais uma vez, teremos que lutar fora de casa para ganhar uma partida. Uma não, temos que ganhar TODAS as partidas que nos restam para tentar sonhar com algo.

Que sina!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Momento Solidariedade!

Salve torcida cruzeirense, em especial os amigos da Sampa Azul. Hoje faço uma breve pausa no assunto futebol para divulgar uma causa que vale a pena.

Todo ano eu ajudo um projeto social muito bacana que leva comida para centenas de famílias carentes no mês do Natal. E este ano você pode ajudar muito.

Trata-se da "Balada Solidária", um projeto no qual nós (eu e um grupo de amigos) convidamos nossos amigos a doarem aquela graninha que gastaríamos com uma "balada", utilizando este dinheiro para comprar cestas básicas para pessoas que realmente precisam.

Ano passado arrecadamos aproximadamente 18 mil reais, o que rendeu 670 cestas básicas para gente que passa fome e 150 brinquedos para as crianças carentes.

Não quero e não vou tomar muito tempo de vocês com aquele "bla bla bla" sentimental. Prefiro pedir que você assista ao vídeo abaixo. As imagens falam por sí.



Se você quiser ajudar, visite o site do projeto:
http://www.umabaladaparaquemprecisa.com.br/

Se pensarmos que há 6 anos o projeto começou
com apenas 4 amigos, você vai perceber rapidinho
que a sua participação vai fazer toda a diferença.


Sei que aqui não vai fazer o mesmo sucesso, mas conseguimos junto ao dpto. de marketing do São Paulo uma CAMISA OFICIAL DO SÃO PAULO FC AUTOGRAFADA, pelo elenco tricolor para um leilão beneficente que vai arrecadar dinheiro para nossa campanha.

Se vocês conhecerem alguém que seja São-paulino, ou mesmo se tiverem interesse em ajudar nossa campanha com um lance, entre no site e veja como participar. A pedida inicial é de apenas R$180,00 e, em breve, teremos camisas de outros clubes participando também.

Espero poder contar com a sua ajuda. Quem sabe não comemoramos juntos mais coisas do que os gols do Cruzeiro?

Um abraço do amigo,

Edu Mano

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Eles desequilibram o campeonato...


Vejam vocês que interessante, se é algo que não nos faz refletir.

Navegando pela internet, encontrei no Blog do jornalisra Mauro Beting (muito bom jornalista, diga-se de passagem), uma coluna chamada BOTA-TEIMA. Nesta coluna, o blogueiro teve o trabalho de listar todos os erros e acertos dos juizes nos jogos do Brasileirão.

Advinhem quem é o time que foi mais prejudicado até a 33ª rodada do brasileirão 2009? Acertou quem apostou no Cruzeiro.

Com 14 "garfadas" contra, o time lidera o grupo de times que mais foram prejudicados durante a competição nacional. O saldo só não é pior para o nosso lado pois, depois da roubalheira descarada no jogo Cruzeiro x Palmeiras no Mineirão, parece que a juizada ficou com um pouco de vergonha de roubar tanto contra o time estrelado e acabou descontando contra o pequeno Sto. André.

Mas uma coisa não elimina a outra. O fato é que os juizes brasileiros são péssimos. Abaixo, as estatísticas presentes no blog do Mauro. Quem quiser acompanhar o saldo final deste festival de erros, basta acompanhar o blog do Mauro Beting clicando aqui.

Você, caro leitor, que tire as suas conclusões...

NÚMERO DE VEZES EM QUE FORAM AJUDADOS OU PREJUDICADOS

PREJUDICADOS:
Botafogo - prejudicado 13 vezes; ajudado 7 vezes
Flamengo - prejudicado 13 vezes; ajudado 8 vezes
Cruzeiro - prejudicado 14 vezes; ajudado 11 vezes
Atlético - Paranaense prejudicado 6 vezes; ajudado 3 vezes
Palmeiras - prejudicado 12 vezes; ajudado 10 vezes
Barueri - prejudicado 6 vezes; ajudado 4 vezes
Sport - prejudicado 2 vezes; ajudado 1 vez
Fluminense - prejudicado 2 vezes; ajudado 1 vez

BENEFICIADOS
Corinthians - ajudado 11 vezes; prejudicado 7 vezes
Santos - ajudado 7 vezes; prejudicado 3 vezes
São Paulo - ajudado 12 vezes; prejudicado 9 vezes
Vitória - ajudado 6 vezes; prejudicado 3 vezes
Goiás - ajudado 7 vezes; prejudicado 5 vezes
Avaí - ajudado 4 vezes; prejudicado 2 vezes
Coritiba - ajudado 3 vezes; prejudicado 1 vez
Grêmio - ajudado 6 vezes; prejudicado 5 vezes
Atlético Mineiro - ajudado 4 vezes; prejudicado 3 vezes

SALDO ZERADO
Internacional - prejudicado 7 vezes; ajudado 7 vezes
Náutico - prejudicado 6 vezes; ajudado 6 vezes
Santo André - prejudicado 4 vezes; ajudado 4 vezes

sábado, 7 de novembro de 2009

Vira vira...


Tudo bem que dizem que a vida é uma roda gigante, que um dia a gente está por baixo e no outro estamos por cima, mas os últimos jogos tem sido uma prova definitiva disso.

Depois de ganhar do Sto. André de virada em um jogo emocionante, perdemos para o Fluminesne de forma decepcionante. Hoje, em contrapartida, uma virada "a la Flu" nos deu mais um triunfo fora de casa. Ah, o futebol!

Não fosse o tropeço do domindo passado, estaríamos ainda mais próximos da taça. Mas tudo bem, seguimos fortes na luta pela Libertadores.

O jogo contra o Sport era de suma importancia para o Cruzeiro, que começou bem o jogo, pressionando o adversário, mesmo jogando fora de casa. No entanto quem marcou primeiro foi o time pernambucano. Aliás, quem marcou e ampliou, pois com 16 minutos de jogo já estava 2x0 para o Sport.

Não dava para acreditar. No entanto o o futebol do Cruzeiro era melhor, o time celeste é muito superior ao quase rebaixado Sport e aos poucos as coisas foram se acertando. Thiago Ribeiro diminuiu ainda no primeiro tempo. Já na segunda etapa, Leo Silva e Guerrón decretaram a virada celeste.

Agora, é continuar nossa luta, jogo a jogo, e dar aquela secadinha de leve nos adverários. Ainda dá e, enquanto houver chances, estaremos na luta.

Vamos vamos, Cruzeiro!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Sorín Eterno.

Foto: globo.com

O dia 4 de novembro de 2009 ficará marcado como a última partida de um dos maiores ídolos da história do Cruzeiro: Juan Pablo Sorín.

Embora este blog já tenha registrado nossa gratidão por toda dedicação que o craque mostrou com nossa camisa, vale a pena repetir mais uma vez: Obrigado Sorín!

Mais de 40 mil pessoas foram prestigiar este momento histórico. O jogo em sí foi morno, amistoso, valeu muito mais pela festa. Sorín começou o jogo com a camisa do Cruzeiro, jogou alguns minutos pelo Argentino Jrs. e acabou a partida com a camisa celeste.

Apesar da grande torcida, a vitória do Cruzeiro por 2x1 não teve um gol do argentino. Mas este é apenas um pequeno detalhe na história deste fantástico jogador.

Sorte de uma torcida ter alguém tão especial para chamar de ídolo. Sorte dos mais novos que tiveram a chance de ver um ídolo de verdade jogar pelo nosso time. Sorte de BH, que passa a ser a casa de Sorín, um exemplo de profissional e símbolo da raça cruzeirense.

Sorín eterno. Deixou o campo para fazer parte de nossas páginas heróicas imortais!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Juntos somos mais fortes!

Se os resultados do time ficaram muito aquém de nossas expectativas em 2009, uma vitória muito bacana aconteceu neste ano. Uma grande conquista da nossa torcida.

2009 ficará marcado como o ano do nascimento da Sampa Azul!

É bem verdade que o título da Libertadores não veio, mas já dizia o sábio que a verdadeira felicidade está na jornada, e não no destino. E quando olho para os dias que passaram, fica impossível não lembrar de momentos especiais, de muita alegria, que vivemos juntos.

Por isso, para que você amigo(a) possa começar bem a semana, ai vai uma pequena homenagem para cada um de vocês que ajudou a construir a Sampa Azul.


Ganhar ou perder faz parte do jogo. Mas aconteça o que acontecer, é muito bom saber que estaremos juntos!

Uma ótima semana a todos.

domingo, 1 de novembro de 2009

Revés sobrenatural

Existem derrotas e derrotas. Todo revés é amargo, porém o de hoje foi especialmente doido.

Depois de dominar o jogo no primeiro tempo, abrir 2 gols de vantagem, perder um pênalti e enfiar uma bola na trave, levamos uma virada histórica em pleno Mineirão, com mais de 49 mil torcedores. Uma virada fruto do "salto-alto" de um time que se declarou vencedor de uma partida que não havia acabado ainda.

O segundo tempo teve 10 minutos de um Cruzeiro inexistente, sem pegada. Foi o suficiente para o lanterna do campeonato fazer 2 gols para empatar o jogo. E como desgraça pouca é bobagem, o terceiro gol veio como o castigo final.

Como esse jogo maltratou nossa torcida. Depois de 5 vitórias seguidas, de ganharmos inúmeros jogos fora de casa, de partidas emocionantes, um revés deste foi realmente uma punhalada nas costas da torcida celeste. Perder desta forma, logo depois de entrarmos no G4, foi uma injsutiça sem tamanho com quem já sofreu o que sofreu em uma final de Libertadores.

Embora o momento seja dolorido, é hora de erguer a cabeça, meus amigos. Tropeçar todo mundo tropeça e o G4 está logo ai. A nós, resta fazer o que fazemos melhor: torcer.

Que o time reencontre o rumo da vitória diante do Sport.