quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Time safado de come e dorme.


Parecia impossível conseguir ter um time TÃO RUIM como aquela aberração de 2011. Mas 2012 provou que superação é um termo que se aplica tanto para o bem quanto para o mal.

Em 2012, o Cruzeiro fez a maior preparação em tempo e a PIOR pré-temporada da sua história. Montou um time de resto, com jogador de DVD na base do 0800, dirigido por um treinador de bosta.

Para o brasileiro, jogadores acima de 30 reforçaram nosso departamento médico, enquanto um técnico mediano completou o recheio do time que, ainda assim, continuou uma porcaria. Ainda pior que em 2012, embora o risco seja virtualmente menor de se cair em 2012.

Contra a Ponte Preta, um dos piores times do Brasileiro, o Cruzeiro conseguiu perder mais uma vez. Jogando um primeiro tempo vergonhoso, sem sequer chutar uma bola a gol.

Mais uma vez (pois agora o ridículo é recorrente) um time apático, fruto de um elenco bisonho, comandado por um treinador já desacreditado pelo seu presidente através da imprensa. AMADORES! Um time que tem poucas chances de cair mas que está rebaixado moralmente.

Estão destruindo o Cruzeiro.

Em um passado recente, perdemos Thiago Ribeiro, Gil, Naldo, o próprio Leo Silva brilhando no Rival... todos a preço de banana... Nossos bons valores, quando despontam, não tem sequência, como o Lucas Silva. E o selecionável que nunca jogava, entrou e cometeu o crime de ir bem... Mais um descartado por competência.

Tá tudo errado, passando pelo time, pelo treinador... Pela condição de mendigo que ocupamos... Vergonha, das mais profundas.

As vezes eu me pergunto em que momento deixamos de ser referência para ser uma piada, embora tenha claro na minha mente que a vaca foi mesmo pro brejo quando o ZZP abandonou o clube ano passado.

Triste. Estou indignado.

Nada mais tenho a dizer. Volto a comentar no Blog quando esta cambada de come e dorme safada tiver a dignidade de honrar a camisa do Cruzeiro. Grotescos, safados.. falta hombridade dessa cambada.

Fosse eu o Roth eu sequer apareceria mais na Toca de tamanha vergonha. E, para piorar, o risco de rebaixamento ainda existe. Muito se engana quem acredita que já estamos ‘a salvo’.

Deus nos acuda e nos salve desta cambada indigna de vestir a camisa azul celeste.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Longe da Zona.


Martinuccio, 4 jogos, 3 assistências e 1 gol. E com grande felicidade parece que eu queimei minha língua com o argentino, uma vez que pessoalmente, não acreditava muito que ele pudesse vingar no Cruzeiro.

Hoje, um jogo perigosíssimo para o Cruzeiro, que pegava um time reserva do Corinthians. A obrigação e a necessidade eram toda nossa, enquanto a equipe paulista jogava sem pretensões alguma. Só que time ‘misto’ rende almoço... pelo menos para mim, que adoro arrancar um ranguino na faixa com meus amigos gambáticos aqui de Sampa.

Com a bola rolando, o time paulista começou mais organizado e o Cruzeiro tinha dificuldades para sair jogando contra a bem postada defesa corinthiana. Até que aos 20 do primeiro tempo, Anselmo Ramóm recebeu ótimo cruzamento de Martinuccio e fez Cruzeiro 1x0.

No segundo tempo o próprio Martinuccio fez o segundo aos 13 minutos. E depois disso a partida ficou chata e burocrática. O Cruzeiro dominava bem o mistão paulista e, vez ou outra ainda arriscava boas jogadas.

De novidade, só a estreia do Zizio pelo lado do Corinthians. E o jogador fez o que exatamente dele se esperava: NADA.

Fim de jogo, 43 pontos, distância da zona e um pouco mais de paz para o time celeste. E só para não perder o costume – agora com sotaque – aqui vai o tradicional ‘Chupa Gambaro’.

Vamos Cruzeiro!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Faltam 6 pontos para 2013



Vencemos. Nada do que eu escrever aqui é tão importante quanto esta primeira palavra. Depois de 7 jogos, vencemos.

O pressionado catadão azul jogava com a embalada Lusa em Varginha com a obrigação da vitória. E nestas horas, a camisa de peso pesa mesmo nas costas de quem é limitado mas tem a obrigação de representar o Cruzeiro.

Foram 4 minutos de um Cruzeiro muito bom, mas lá pelos 15 a Lusa equilibrou a partida. O Cruzeiro era levamente superior e havia chutado mais ao gol adversário. Mas gol mesmo só aos 36, em pênalti marcado para a raposa e convertido por Montillo.

No segundo tempo, o desespero e o triunfo.

A Portuguesa pressionou o Cruzeiro até cansar. Na verdade cansou... de tanto perder gols cara a cara com o Fábio. Até que fez o seu, devidamente anulado pelo bandeirinha. E tal qual o jogo contra o Grêmio o cruzeiro era amassado pela ‘poderosa’ Lusa em seus domínios. Vexatório.

Tão ridículo quanto uma defesa que é facilmente invadida, desorganizada, tosca e amadora. Qualquer um que troque 2 ou 3 passes frente a zaga celeste cria jogadas de muito perigo com facilidade. Isso sem contar o desespero insano que qualquer bola aérea causa em nossa defesa. Pavoroso.

As tantas, Martinuccio entrou o lugar do Borges e mudou um pouco a cara do jogo. Agora, além de ser muito ameaçado, o Cruzeiro também ameaçava. E perdeu diversos gols.

No fim do jogo, a Lusa teve chances incríveis de marcar. Mas como castigo por não ter abatido uma raposa capenga e claramente fragilizada pelo período de seca, tomou um segundo gol celeste, marcado por Souza.

Gol este que veio como um alento, um relaxante muscular para todo torcedor do Cruzeiro que sofreu angustiado pelo apito final do juiz.

39 pontos. Faltam 6 para a ‘salvação’, para aniquilar de vez o fantasma de 2011.

Hoje, estou feliz pelos 3 pontos mas, ao mesmo tempo, extremamente puto com esse time ridículo. Não paro de me perguntar como conseguiram fazer isso com o meu Cruzeiro.

‘Vem ni mim’, 45 pontos. E seja o que Deus quiser.

domingo, 7 de outubro de 2012

O fantasma de 2011.



Serei breve, pois este time não merece o meu tempo. São sete jogos sem vitória. 2 pontos somados em 21 disputados. Um desempenho vexatório e inaceitável, digno de um elenco de time de várzea.

O enredo do jogo você já conhece. O Cruzeiro sai na frente, joga bem o primeiro tempo, toma a virada e chora as pitangas. E para cada um dos 7 jogos, sempre uma desculpa. Chega!

Ontem, depois de um bom primeiro tempo, que já havia sido salvo por incríveis defesas do Fábio, o time encolheu tanto, recuou tanto, que a virada era mais do que esperada. Só chegamos ao gol do Grêmio aos 21 minutos, depois de tomar o empate, como se fosse um jogo de adultos contra crianças.

Difícil até de escrever, seja sobre este treinador incoerente e medroso, seja sobre essa diretoria omissa, que pouco – ou nada faz – para tirar o time desta situação. Ninguém mais respeita o Cruzeiro, que realmente não faz por merecer nenhum temor os adversários.

Nossa única chance de não cair é torcer, rezar com força, para que times como Atlético-GO, Sport, Palmeiras e Coritiba não tenham surtos de vitória, pois se depender deste catado nojento que enverga a camisa do Cruzeiro, não vamos a lugar algum.

Agora, teremos um jogo em casa contra a Portuguesa, que vem no seu melhor momento no campeonato. Vencer é obrigação, mas eu sou incapaz de cravar três pontos.

E agora, quem poderá nos defender?