quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Bandidagem a solta.


Impressionante como em todo jogo a arbitragem consegue anular gols legais do Cruzeiro. Sério, tem hora que a gente chega a desconfiar da seriedade dos campeonatos pois, vez ou outra, um erro realmente acontece. Mas todo jogo? E sempre contra?

Bom, antes que alguém venha aqui e roube o nosso post também, vamos falar do jogo.

Sobre o primeiro tempo, serei breve: o Cruzeiro amassou o Santos. Ponto. Simples assim. Há tempos eu não via um começo de jogo tão bom do time, tocando, marcando em cima, criando jogadas das mais diversas.

A Blitz deu resultado e, aos 10 minutos, William avançou pela direita e chutou com força na entrada da área. A bola explodiu na zaga Santista e voltou para o próprio William fazer um golaço, no melhor estilo ‘Messi’, com um tapa seco que fez uma belíssima curva antes de tocar o fundo das redes.

Até os 25 do primeiro tempo o Santos mal cruzava o meio de campo e depois disso o Cruzeiro reduziu o rítmo do jogo, muito pela lesão sofrida pelo bigode logo após o gol.


Na volta do segundo o jogo foi mais parelho. Já sem o mesmo fôlego do primeiro tempo, o time celeste não pressionava como na etapa inicial e dava alguns espaços para o Santos.

Mesmo assim, em um lace maravilhoso de contra ataque celeste, Williamarrancou em disparada, abriu um passe na ponta esquerda da área para J. Batista que – em condição legal – chutou para o gol. Aranha fez a defesa, mas no rebote, R. Goulart fez aquele que seria o 2º gol do jogo. Seria... pois o bandeira errou de forma grotesca e anulou o gol legal do Cruzeiro.

Momento de protesto:
Porra... DENOVO? Contra o Vitória, 2 lances. Contra o Criciúma, 2 lances. Contra o Figueirense, logo no primeiro minuto, mais um lance. Que ‘ruindade’ é esta que só erra contra a gente? Isso sem contar a clara intenção de minar o Cruzeiro com faltinhas em todos os jogos. Inadmissível que um lance como esse não possa ser esclarecido com o recurso ad tecnologia.

O gol mudaria a história da partida e viria em um momento crucial para o Cruzeiro. Cansado, E. Ribeiro e J. Batista – que fez uma tremenda partida – saíram do time. E o fôlego da Raposa também havia acabado.

A partida ficou aberta e o Santos teve chances claras de empate, assim como o Cruzeiro teve suas chances de fazer o 2º. Mas o final da partida foi mesmo 1x0 para a Raposa que, além de um bom futebol e da excelente partida do J. Batista, do William e do Leo, pode comemorar também o fato de não ter tomado gol em casa.

Agora é juntar energias para o difícil e importante embate de domingo ante o Botafogo, mais uma vez em casa.


Descansa e Vamos Cruzeiro!

Nenhum comentário: