quarta-feira, 7 de maio de 2014

Passividade castigada.


Contra clubes argentinos não há jogo fácil. Marcar duro é fundamental, mas buscar agredir é tão importante quanto. E foi nesta segunda metade que o Cruzeiro foi incompetente.

Durante toda a partida, o Cruzeiro veio para marcar o time do San Lorenzo e muito pouco se preocupou em atacar. A prova disso foram as pouquíssimas chances de gol que o clube teve durante toda a partida.

Já o time argentino, embora encontrasse dificuldades com a marcação celeste, quase marcou aos 29 do primeiro tempo, em furada dupla de bola do ataque Hermano.

Júlio Batista, apesar dos seus 7 metros de altura por 4 de largura, perdia todas as disputas pelo alto. E o lado esquerdo do Cruzeiro era massacrado com Villalba deitando e rolando nas costas do Samúdio. O time errava passes demais também.

Havia a esperança de um segundo tempo melhor, mas a postura do time foi literalmente a mesma. Fábio fez um duplo milagre logo aos 9 minutos complementares.

Quando a equipe começava a dominar mais os lances e o time adversário passou a apresentar um jogo mais nervoso, em uma cobrança de falta muito parecida com aquela falha no minuto derradeiro da partida contra o SPFC pelo brasileirao, Dedé falhou na marcação e o San Lorenzo fez 1x0.

Na sequência, M. O. Casou William e J.B. para a entrada de Borges e Dagoberto. Modificação que – opinião deste pitaqueiro oficial da torcida – já deveria ter acontecido muito antes na partida.

Aí o Cruzeiro passou a buscar o gol. Mas não foi competente para transformar essa vontade em gol.

A derrota magra por 1x0 é tão reversível quanto perigosa. O Cruzeiro precisa vencer por 2x0 e não tomar gols. Caso tome um, precisará fazer 3, tão valioso é o gol fora de casa, benefício este que o time não abdicou de buscar hoje.

Agora, se a vantagem no placar é deles, o Mineirão é nosso, meu amigo. Por isso, e por toda a trajetória do Cruzeiro nesta Libertadores, seguimos todos nós #FechadosComOCruzeiro.

Cabe agora ao M. Oliveria rever algumas posições no time, acertar essa equipe, enquanto nosso torcedor tem a OBRIGAÇÃO de abarrotar o Mineirão para o jogo decisivo e apoiar incondicionalmente durante o jogo todo.

Vamos Cruzeiro! 

Nenhum comentário: