domingo, 18 de maio de 2014

Adrenalina


O jogo contra o Coritiba foi repleto de atrações. Reencontro com o ídolo Alex10, estreia da camisa amarela e o primeiro jogo da Raposa no Mineirão pelo brasileiro. Tudo isso, sem contar o fato de ser o primeiro jogo pós eliminação na Libertadores.

Foi uma partida bem ‘tensa’. O Cruzeiro fez 1x0 com Goulart de cabeça, em belo cruzamento de Egídio. Mesmo com o Cruzeiro com o domínio da bola e do jogo, o Coritiba empatou com Alex 10, também de cabeça, em mais uma falha de marcação de bola aérea de nossa defesa.

No último lance do primeiro tempo, em jogada que começou com bom lançamento de Fábio no gol, Ricardo Goulart iniciou a jogada no meio campo, tocou para Borges e disparou para a área. O camisa 9 tocou para Everton Ribeiro que cruzou para o próprio Ricardo Goulart fazer 2x1 para o Cruzeiro.

No segundo tempo, o Cruzeiro continuou dominando a partira. Porém, mais uma vez, ressuscitou o time do Coxa em mais uma falha de marcação de bola aérea. Incrível como uma zaga alta como a nossa consegue tomar gol de cabeça.

Com 2x2 no placar, M. Oliveira mudou o time colocando William no lugar de Henrique, tornando a raposa ainda mais ofensiva. O Cruzeiro quase marcou com Ricardo Goulart, em cabeçada na pequena área, e com Borges, em belo lance que o camisa 9 domimou a bola e emendou uma puxeta (espécie de semi-bicicleta sem grife... rs) nas mãos do goleiro paranaense. Aos 23, no entanto, o próprio Borges fez o 3º do Cruzeiro, pegando o bate-rebate na pequena área. Cruzeiro 3x2.

A partir deste ponto, o jogo ficou estranhamente tenso. O Cruzeiro próximo do 4º gol, mas flertando constantemente com o empate do Coxa. O esgotamento físico era nítido e o time não conseguia ficar com a posse de bola no final da partida, o que resultou em minutos de pura adrenalina.

Depois de cobrança de falta frontal de Alex10 na barreira – último lance de potencial perigo no jogo – o Cruzeiro conseguiu cozinhar o fim do jogo e buscar 3 importantes pontos.

De positivo, além da boa vitória, foram as atuações de Egídio, Ricardo Goulart (o melhor do jogo) e de Borges, todos muito criticados pela parte míope de nossa torcida. Aliás, os 3 foram brilhantes ontem.

A Libertadores é passado e agora é manter foco total no Brasileirão. Confiar no trabalho do M. Oliveira.

Para o Alto e avante! Pois se o sonho do Tri na Libertadores foi adiado, o do Tetra no Brasileiro acontece agora!


Força Cruzeiro! Estamos todos #FechadosComOCruzeiro.

Um comentário:

Paulinho CEC disse...

Perfeito! É esse o pensamento. O tri foi adiado mas o sonho do tetra começa agora! #fechadocomocruzeiro