quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Wellington Paulista, ô ô Ô Ô ô.



Não se brinca com a Zica maligna que cerca os confrontos entre Cruzeiro e São Paulo. E, de tudo o que tenho a dizer hoje, o que mais me dói é reconhecer: foi merecidíssimo.

Antes de mais nada, eu preciso destacar que minhas colocações e críticas são especificamente para a partida de HOJE. Analiso jogo a jogo e em nada isso vai manchar a campanha do Cruzeiro até agora. Dito isso, vamos lá.

Credito esta vitória totalmente ao Muricy Ramalho.

O técnico tricolor soube montar um time muito bem postado, com sempre um na sobra e com duas características que sobraram em comparação ao Cruzeiro: vontade e organização.

Note: não disse que o Cruzeiro não teve vontade. Disse que o São Paulo teve mais, lutou mais, marcou a saída de bola do Cruzeiro o jogo todo. Não deu espaços e foi melhor durante toda a partida.

Sim, é verdade que o Cruzeiro criou pelo menos duas boas chances ainda no primeiro tempo, uma em cabeçada de R. Goulart e outra em um gol perdidíssimo de William, depois de bela defesa de Denis.

Aliás, diga-se de passagem, este foi outro fator que contribuiu para a vitória do São Paulo: a entrada do Dênis no lugar do já não tão ágil Rogério Ceni.

Veio o segundo tempo e o Cruzeiro voltou com a mesma formação. Jogando um pouco melhor, mas com a mesma formação.

O jogo era perigoso e o time azul não era nem sombra daquele time que vem jogando o brasileirão. Havia espaços no meio como há muito não se via em nosso time, a marcação estava frouxa e o São Paulo progredia com muita facilidade para nosso campo.

Do mesmo modo que credito o bom desempenho do São Paulo a arapuca armada por Muricy, também acho que o M. Oliveira hoje não foi bem. Optou por manter o Borges em campo, totalmente sem função, uma vez que ele recebia poucas bolas ou apenas lançamento no chutão.

O São Paulo fez 1X0 com Douglas aos 31. E aos 33 com Reinaldo, fez o 2º. O Cruzeiro nada mais podia fazer na partida e perdia, merecidamente, a sua primeira partida no novo Mineirão. Justamente para o mesmo time que havia perdido o último: a zica do São Paulo FC.

O resultado só não foi tenebroso para a raposa, primeiro pela gordura que temos acumulada, segundo porque o Grêmio perdeu seu jogo, em casa, para o Criciúma, em um resultado surpreendente que acabou por fazer a manutenção do Cruzeiro na ponta da tabela com os mesmos 11 pontos que havia começado a rodada. Graças - diga-se de passagem – a contribuição de um velho conhecido da torcida celeste: Wellington Paulista, que fez um dos gols do time de Sta. Catarina.

Resultado importantíssimo, considerando que o nosso próximo confronto será o mais difícil de todo o Brasileirão, contra o Atlético-MG, no Horto. E o único objetivo do time penoso é tirar pontos da Raposa.

Que a derrota de hoje sirva como uma lição de humildade para o nosso time e para nossa torcida. Hoje, mesmo com o péssimo futebol apresentado no primeiro tempo, muitos torcedores pareciam acreditar que a vitória viria por hosmose, como se a posição na tabela fosse o fator determinante para se garantir os 3 pontos.

Não é.

Povo... ainda há muitos jogos por serem disputados. 3 tropeços seguidos mudam muita coisa no brasileirão. Para todo mundo, inclusive para o Cruzeiro. Por isso, pés no chão e um pouco mais de humildade não fazem mal a ninguém.

Não podemos entrar no oba-oba da mídia. Temos que ter cuidado pois estamos no caminho certo. Temos jogos durírrimos fora e em casa. Se engana quem pensa que o caneco já está decidido.

Futebol se ganha no campo, jogando bola.

Para o time, independente do resultado negativo de hoje, aqui vai o meu apoio. Não é por UM tropeço que o trabalho do time vai por água a baixo. Foi a PRIMEIRA partida que o Cruzeiro jogou mal em todo o campeonato.

Se vocês buscarem no histórico do Blog, verão que mesmo em outras derrotas, eu sempre elogiei o futebol do time. Hoje, pela primeira vez, fomo sinferiores.




Que seja a única partida. E nós devemos continuar, como sempre... #FechadosComOCruzeiro.

Vamos Cruzeiro!

Nenhum comentário: