sexta-feira, 4 de outubro de 2013

A ‘refugologia’ e a ignorância.



Que os jornais de São Paulo são míopes e vivem de ‘estereótipos’ criados por eles mesmo, todos nós, torcedores ‘off-eixo’, já sabemos. Mas fica impossível não se divertir com as mais diversas opiniões ‘pré-prontas’ para tentar se explicar o sucesso do Cruzeiro.

Além do famoso ‘Tal time é cavalo paraguaio’, repetido pelos sabichões de plantão na mídia quando um time da ponta perde pontos, a novidade do momento é a ‘refugologia’.

“Olha que belo time este do Cruzeiro... e pensar que é um time de refugos”. Essa é a piada do momento.

Apesar de divertido, confesso que fico com uma certa pena dos repórteres pela sua ignorância e, pensando nisso, vou deixar aqui um pouco do que realmente aconteceu com o Cruzeiro para que, quem sabe, eles parem de falar tanta bobagem e possam, com algum critério, dar uma opinião condizente com o atual momento do Cruzeiro.

Olha aí, o Éverton Ribeiro, que foi chutado do Corinthians. E o Borges, que perdeu espaço no Santos. O Dagoberto não deu certo no Inter. O Bruno Rodrigo era meia boca no Santos... Jesus! Quanta balela!

Para começar, o fato de um jogador ter jogado em outro time não faz dele um ‘refugo’. Fosse assim, quase todos os jogadores da galáxia seriam refugos. Olha o exemplo daquele refugo do Manchester, o tal de Cristiano Ronaldo. Ou aquele refugo do Cruzeiro que deu sorte de jogar no PSV, Barça, Real... o tal de Ronaldo.

Para, gente. Larguem a mão de ser tão limitados nos seus argumentos!

As vezes me pergunto o porque é tão difícil para alguns reconhecer o fato concreto: o Cruzeiro fez um GRANDE trabalho. E ponto.

O Marcelo Oliveira, ao lado do excelente Alexandre Mattos, sob a batuta do presidente Gilvan estão colhendo os frutos de um excelente TRABALHO feito por eles. E nada mais.

O Everton Ribeiro que veio, não foi aquele dispensado do Corinthians. Foi o destaque do Coritiba, por dois anos consecutivos e homem de confiança do M.O.

O Borges, campeão da Libertadores com o Santos, o segundo maior artilheiro dos campeonatos brasileiros de pontos corridos, foi procurado pelo Cruzeiro.

O Dagoberto mal jogou no Inter, por problemas de lesão. Quando saiu, a torcida do colorado reclamou, com razão, da saída de um grande jogador que veio custando CARO. Foi a compensação da saída do Montillo, lembram?

E o refugão chamado Dedé? Refugaço, não? Que foi ‘apenas’ a maior contratação da história do clube.

Lucca, destaque do Criciúma, Ricardo Goulart e Egídio, ambos destaques ano passado, vieram pelo bom futebol que apresentaram no Goiás. O camisa 31, inclusive, rendeu uma briga com o Atlético-MG no início do ano.

Sério, você que é repórter do eixo, que VIVE de dar sua opinião em público, poderia ter a decência de – pelo menos – se informar mais. A internet está aí, você pode elaborar o seu texto, apoiando seu notebook sobre sua barriga de um gomo só, sentado na privada da sua casa. Não há desculpa para tamanha ignorância.

Não tentem justificar o óbvio. O Cruzeiro montou um grande time, com grandes jogadores que o eixo ‘míope’ não viu.

Soma-se a isso o novo Mineirão, a adesão da torcida ao programa de sócio do futebol do clube e os jogadores da base e pronto. Está aí a receita mágica do ‘sucesso’ do Cruzeiro.

É meeeesmo. Havia esquecido de destacar isso para o povo que nada sabe do ‘futebas’ distante do seu próprio umbigo. Muitos jogadores da BASE estão fazendo sucesso no time. V. Araújo, Mayke, Lucas Silva, Elber, Alisson... Quantos times tem tantos jogadores em bom momento que vieram da base como o Cruzeiro?

Mas é mais fácil explicar 2 anos de trabalho com a ‘refugologia’ e com a mágica do ‘deu liga’. Façam-me o favor, viu?

Ah... e tem outra coisa. Aproveitando a oportunidade, fica aqui outra dica.

Vocês da imprensa, que sempre ignoram os times off-eixo da sua patota, tiveram que dar espaço ao Cruzeiro pela excelente campanha. Até aí tudo bem, nada mais justo. Entretanto, já que estão falando da gente, peguem leve com esse clima de ‘oba-oba’.

Essa de ‘campeão virtual’ é outra coisa que vocês inventam para vender jornal e os confrontos com o nosso time. Aqui, minha gente, não tem isso... TEM TRABALHO E FOCO. Nada mais.

Estamos confiantes? Sim estamos... Mas toda a torcida e o time tem TOTAL consciência de que uma possível (isso mesmo, POSSÍVEL) conquista virá jogo a jogo e que ainda temos muito pela frente.

2 comentários:

Nino Antunes disse...

Bravo!

Bernardo disse...

É isso ai edu...A melhor forma de se ter sucesso é trabalhando...e isso o pessoal do Cruzeiro tem feito muito...seremos campeões e não se esqueça...