quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Deu branco. Ainda bem.



Nos momentos de maior dificuldade ou superstição, eis que ela surge para contribuir com o fim de toda e qualquer ‘Zica’. A camisa branca do Cruzeiro. Aliás, este foi um jogo ‘incomum’ em termos de combinação de cor, uma vez que o Fluminense jogou com a sua camisa de Gari, na cor laranja ‘marca texto’.

Depois desta introdução ‘cromática’, vamos falar de futebol.

‘Pressionado’ pelas duas derrotas seguidas e, mais do que isso, pelo mal futebol apresentado nestas partidas, o Cruzeiro enfrentou o Fluminense – outro time chato quando pega o Cruzeiro – e conseguiu dois objetivos.

O primeiro foi a vitória, com um gol de Borges, aos 17 do primeiro tempo, depois de uma jogada individual do R. Goulart, que acabou sobrando para o oportunista camisa 9 empurrar para as redes.

A segunda foi a confiança. Hoje, o Cruzeiro foi Cruzeiro. Correu com vontade, marcou em cima, superou o adversário na vontade. E aí, meu amigo... time por time, o Cruzeiro é muito mais.

Apesar de ansioso, o time celeste tocava melhor a bola, marcava bem e o Fluminense pouco fazia. Borges brilhou não só pelo oportunismo do gol, como na marcação da saída de bola, nos toques e tudo mais que ele sabe fazer quando o time joga próximo dele. Everton Ribeiro fez uma ótima partida, deu uns 2 ou 3 dribles desconcertantes e foi importante no jogo, embora tivesse cansado em alguns momentos na partida.

Apesar disso, o Fluminense teve boas chances na partida e poderia ter complicado a partida para o time azul.

Aos 31 do segundo tempo, Rafael Sóbis foi expulso e o time celeste ficou com um a mais. Embora a expectativa fosse de que o time azul pudesse matar a partida com a superioridade numérica, o jogo ficou tenso demais.

O Fluminense, sem nada a perder, ia para cima do Cruzeiro. Por sua vez, a Raposa não conseguia fazer a superioridade numérica virar gol e pecava demais no último toque.

Torcida tensa, time tenso... até que veio o apito final do juiz e o alívio.

Difícil explicar tamanho nervosismo para quem estava 10 pontos a frente do segundo colocado. Só sendo Cruzeirense para entender... rs
                                                                                                                            
Um jogo a menos, uma vitória a mais. Seguimos firme em nossa caminhada. Não tem NADA ganho. Pés no chão, jogo a jogo, concentração total e humildade.




Um dia mais do que feliz para a imensa torcida celeste e a galera que, mais uma vez, LOTOU a Sampa Azul, apesar do horário do jogo.

Vamos Cruzeiro!

Um comentário:

Anônimo disse...

O Tri tá cada vez mais próximo. Confiança , união e superação a todos do time nas 9 partidas que faltam !