domingo, 18 de agosto de 2013

Vitória mesmo, só do Cruzeiro.



Na luta pelo Brasileirão, o Cruzeiro recebeu o Vitória – até o momento do jogo, 4º colocado – e tratou de se impor com um sonoro 5x1 ante o adversário.

Bem modificado em relação as últimas partidas, ou por suspensão ou por opção técnica e tática do M. Oliveira, o Cruzeiro não pareceu sentir muito a situação. Começou o jogo criando jogadas até que o gol saiu, em meio a uma polêmica.

Em escanteio pela esquerda, Everto Ribeiro cruzou e encontrou o zagueiro Leo, que cabeceou para as redes. O atacante Borges ainda tentou encostar na bola, o que gerou dúvida sobre sua posição. O bandeira deu impedimento na jogada, mas o atacante não havia tocado na bola... e, mesmo que tivesse, ele não estava em posição irregular, pois havia ainda um jogador do Vitória dando condições. Discussões pra lá e pra cá... gol do Cruzeiro validado.

Depois do gol, o Vitória cresceu na partida e a falta de entrosamento do elenco fez com que o time baiano levasse algum perigo para o gol do Fábio. Mas nada que resultasse em gol. Pelo lado do Cruzeiro, chances e mais chances desperdiçadas. Inclusive uma incrível, com Egídio, que fez belo lance individual, trombou com o zagueiro e a bola escapou livre, cara a cara com o goleiro... E ele chutou para fora, para desespero da torcida.

No segundo tempo o Cruzeiro jogou mais para cima e, logo aos 8 minutos, um bate-rebate na área quase resultou em gol do Cruzeiro. De tanto martelar, aso 13, Mayke fez o seu gol. Depois de boa tabela, o lateral penetrou na área e deu um belo chute cruzado. Tentando cortar o lance, o zagueiro do Vitória acabou deslocando de letra para o próprio gol. Como foi o autor do chute, o gol foi dado para o Mayke.

O Vitória diminuiu em um pênalti de Dedé, que ao cortar a bola acabou caindo por cima de Dinei. O próprio Dinei cobrou para diminuir o placar.

O jogo ficou brevemente tenso. O Cruzeiro criava sucessivas chances, mas não marcava. E olha que eu não estou falando de boas oportunidades... estou falando de lances incríveis. Pelo menos 2 chances claríssimas com Ricardo Goulart, sozinho e cara a cara com o goleiro, que o camisa 31 desperdiçou, fora outras tantas jogadas que paravam na mão do goleiro.

Quanto a torcida não aguentava mais ver bolas perdidas, Martinuccio cruzou pela esquerda e encontrou Borges para fazer 3x1. O 4x1 veio com Ricardo Goulart. Depois de perder diversos lances fáceis, o bom jogador conseguiu fazer o mais difícil dos gols, depois de cruzamento de Élber, pela direita. O camisa 31 se adiantou  ao lance e tocou a bola para as redes.

Diga-se de passagem, um ótimo gol que tirou das costas do Ricardo o peso de ter perdido tantos gols nesta partida e também no jogo contra o Grêmio.
Ainda houve tempo para o 5º gol. Vinícius Araújo, que havia acabado de entrar no lugar de um aplaudidíssimo Borges, desviou para as redes e fechou o placar.

Os 5x1 vieram para saciar um pouco a sede de gols da torcida e aumentar os números daquele que é o melhor ataque do campeonato. Fico aqui imaginando se não perdêssemos tantos gols, quantos mais teríamos na conta. Ontem tinha caixa para 10 ou mais, fácil... rs

A única observação ‘triste’ de ontem fica por conta do público no Mineirão, com apenas 14 mil e uns quebrados. Muito pouco para um time que briga pela ponta... Já na Sampa Azul, sempre um bom público e uma galera pé quente!

Agora é retomar o foco na Copa do Brasil. Quarta que vem, teremos o Flamengo no Mineirão naquele que é um dos mais importantes jogos do ano para o Cruzeiro.

Vamos Cruzeiro! Força, foco e fé...

Estamos todos #FechadoComOCruzeiro.

Nenhum comentário: