sábado, 22 de setembro de 2012

Guia de sobrevivência nos estádios: O Morumbi.



Resumão Educativo:

Nome Oficial: Estádio Cícero Pompeu de Toledo
Imauguração: 02 de outubro de 1960 (São Paulo FC 1 X 0 Sporting (Por))
Record de Público: 146.032 mil pessoas no jogo entre Corinthians e Ponte Preta, em 1977.
Capacidade Atual: 70 mil lugares

O Estádio:

De todos os estádios paulistas, o Morumbi é de longe o meu favorito. E em nada relaciono este carinho ao futebol, uma vez que o São Paulo FC é o maior algoz do Cruzeiro em confrontos diretos. Mas durante muito tempo eu tive o privilégio de trabalhar para o time paulista, prestando serviços de criação e marketing.

Além da arquibancada, que visito frequentemente como torcedor, conheço o campo, os bancos de reserva, o museu, o imenso clube anexo ao estádio, participei de eventos, reuniões nos escritórios, atendi aos diversos clientes e camarotes que fazem do Morumbi a sua casa.

Inaugurado em 02 de outubro de 1960, ainda com o anel superior incompleto, em amistoso que o São Paulo venceu o Sporting de Portugal por 1x0, o estádio do Morumbi é um dos mais importantes palcos do futebol mundial. Lá também acontecem os maiores eventos e shows da cidade de São Paulo. Mas o nosso negócio aqui é mesmo futebol e, mais especificamente o nosso Cruzeirão.

O Clima:

Outro motivo que me anima bastante em jogos no Morumbi, especificamente contra o São Paulo FC, é o fato de nossas torcidas serem amigas. É muito comum você encontrar torcedores tricolores andando no meio da torcida celeste e vice-versa. Um clima amistoso que nos faz questionar o por quê de isso não acontecer sempre, em todos os jogos.

Entretanto, se engana quem pensa que eu aconselho você a ir de camisa ao estádio. Toda torcida tem gente legal e um punhado de babacas. E basta um imbecil para que você tenha problemas. Por isso, vá com sua camisa guardada e deixe para coloca-la mais próximo do estádio, ok?

Comprar ingressos na hora normalmente é tranquilo. A torcida visitante fica posicionada na chegada da Av. Giovanni Gronchi. Ou seja, vindo por ela, a primeira torcida que você vai encontrar será a nossa.

A chegada:


Aliás, a chegada é um dos pontos negativos do Morumbi. Ele é o pior estádio em termos de localização, pois ainda não existe metrô perto dele. No Morumbi, só de carro ou de ônibus.

São 3 as principais avenidas para se chegar ao estádio. A Giovanni Gronchi, para quem vem da Zona Sul (Santo Amaro, Interlagos, etc). A Morumbi, próximo ao Shopping de mesmo nome (para quem vem de Moema, Brooklin, etc). E a Francisco Morato (para quem vem de Pinheiros, da região da Rebouças). Nesta útima alternativa, é necessário também uma leve caminhada pela Av. Jorge João Saad.

De carro estas são as principais rotas. De ônibus, sugiro que vocês busquem alternativas nestas avenidas pois são diversas as opções para o estádio. Vejam duas delas.

Do Terminal João Dias.
Dentro do terminal pegue o ônibus (5119-10) - Largo São Francisco
Ele para em frente ao estádio.

Do Shopping Morumbi.
Em frente ao prédio da Vivo, pegue o (807M-10) - Terminal Campo Limpo
Ele para em frente ao estádio.

O Google Maps é um excelente parceiro na busca da sua rota ideal – seja de ônibus, seja de carro – para chegar no Morumba.

A vista do campo:


Em 95% das vezes, o visitante fica na arquibancadada superior, ao lado do setor Visa. A visibilidade é boa de lá, mas é mais distante do campo do que o torcedor mineiro está acostumado. Mesmo o Mineirão, gigante daquele jeito, nos deixa a impressão de assistir ao jogo mais de perto.

Raras vezes, o visitante fica na geral, ao lado da MegaLoja de Reebok. Lá a visibilidade é bem ruim, mas quase nunca acontece isso, depois que o São Paulo FC vendeu os camarotes empresariais ao redor do anel intermediário.

Prepare o bolso:

Parar na rua custa caro e varia de acordo com o jogo. A média é R$20,00 ou R$30,00 em jogo comum. Em clássicos e shows, já ví engo cobrar de R$100,00 a R$500,00. (É mole).

Para jogos como o de domingo, mais cedo, o Shopping Butantã serve de alternativa pois você entra como cliente comum e paga uns R$10,00, no máximo, além de deixar seu carro em segurança. Para jogos a noite, esqueçam, pois eles até oferecem um serviço especial, mas com preço de flanelinha de diamante.

Para comer, graças a parceria com o São Paulo e o Habbibs, eles tem um Kitzinho com 2 coxinhas e mais um salgadinho acompanhado de um mini-refrigerante que sai por volta de R$18,00. Não alimenta, mas é mais honesto que os dogões Pão seco com salsicha vendido em todos os demais estádios.

A Sampa Azul:

Apesar de não sermos uma torcida organizada, nós sempre marcamos de nos encontrar no QG para irmos juntos ao campo. Muitas vezes, alugamos até uma Van para isso (fique ligado no Blog, no Facebook e no Twitter para saber como funciona).

Também é comum a gente se encontrar para esperar os amigos na frente do estádio. Tudo isso, combinado durante a semana.

É sempre bem tranquilo pois o perfil da nossa torcida é só de amigos. Vão crianças, adultos, idosos, mulheres... todo mundo junto.

Agora que você é um expert em jogos no Morumbi, bora lá pegar a sua camisa e vamos apoiar o nosso Cruzeirão em mais um jogo!

2 comentários:

Claudio Nagasaki disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Claudio Nagasaki disse...

O Morumbi é minha segunda casa há muito, mas muito tempo rs... Vou com muita frequência aos jogos, quase sempre rs, e estou agora levando quando possível minha filha de 3 anos. Curti muito o blogg, parabéns!!! Sobre a visita Cruzeirense, serão SEMPRE muito bem vindos!!! De fato, tem babaca em qualquer lugar, e eu mesmo já discuti com são paulino por hostilizar um cruzeirense na porta do Morumbi. Peço desculpas à nação cruzeirense por estes babacas, vocês sempre serão bem recebidos pela maioria que normalmente frequenta o Morumbi, o problema é aquele pessoal que vai uma vez por ano. Uma dica: Normalmente a Máfia Azul sempre se encontra com a Independente, assim como fazemos quando vamos à BH. Se tiverem a oportunidade, façam esta visita, e cheguem junto ao Morumbi. É comum a Independente colocar algumas pessoas para "escoltar" os cruzeirenses, para evitar que os babacas façam alguma idiotice.