sábado, 29 de setembro de 2012

Vencemos, só que não.



O jogo contra o Inter foi duríssimo, como já era esperado. Cheio de desfalques, o time azul jogou com sotaque carregado, uma vez que – enfim – estreou o volante colombiano Diego Arias e o argentino Martinuccio estrearam, sendo o último no final do segundo tempo.

O primeiro tempo foi travado e teve como destaque o lance do pênalti assinalado para o Cruzeiro. Pela TV, não achei pênalti. Na hora de bater, Borges converteu mas o juiz mandou voltar por invasão. Na segunda cobrança, o Borges errou, teve invasão, mas o juiz deixou por isso mesmo.

Lance típico de juiz que tem a necessidade de ser maior que o espetáculo, como o Paulo César. Arbitragem, aliás, que anda absurdamente fraca no Brasil, chega a dar vergonha. Mas em um país onde quase nada funciona direito, seria muito eu exigir que a arbitragem fosse diferente.

No segundo tempo, o jogo ganhou em movimentação, mas não o suficiente para tirar o zero do placar. E, com isso, o Cruzeiro acumula sua 6ª partida seguida sem vitória.

Pessoalmente, me coloco BEM preocupado com o futuro do nosso time no campeonato. Nos resta rezar e torcer. Nada mais. Agora é tentar, sabe-se lá como, descolar uma vitória contra o Grêmio no Olímpico.

E o fantasma de 2011 volta a assombrar. Sai pra lá!

2 comentários:

Carlos Eduardo Guimarães - Profissional TI disse...

Sinceramente, acredito que o ano de 2012 já findou-se para o Cruzeiro, resta planejarmos um 2013 cheio de conquistas.
Demitir quem precisa, contratar pouco e com qualidade. Investir em uma comissão técnica capaz de promover essa mudança, não quero o Felipão, pois a chance dele assumir novamente a seleção e nos deixar na mão novamente é grande, sendo assim sugiro a volta do Adilson Batista que igual a Celso Roth escalava 11 volantes, mas sabia dar saída a esses volantes. Não caíremos e nem nos classicaremos para a Libertadores. E não seria nenhum absurdo vermos o patético fora da libertadores rsrsrsrs

Anônimo disse...

NÃO VAMOS CAIR...