quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Missão Cumprida!

Na volta a Arena do Jacaré, o Cruzeiro conseguiu vencer o Atlético-GO e colou novamente nos líderes.

O Jogo.

Como não poderia ser diferente, o Cruzeiro foi para cima do time goiano desde o início da partida. Para se ter uma idéia, até os 10 minutos, o time azul já tinha chegado com perigo em um chute (aos 5) e um cruzamento (aos 8) de Rômulo e uma bola de rebote de Thiago Ribeiro.

O Cruzeiro controlava bem as ações da partida. Sem tanta preocupação defensiva, Diego Renan vinha fazendo uma boa partida com bons dribles e lances ofensivos. Infelizmente ele teve de sair, machucado, aos 24 minutos. Pablo, que entrou no seu lugar, deu conta do recado.

Só aos 30 do primeiro tempo, em cobrança de falta perigosíssima de Robston, que o goleiro Fábio defendeu com um toquinho providencial, o time goiano chegou. (até então, ele era apenas convidado VIP, pois só tinha assistido ao jogo).

De tanto pressionar, o Cruzeiro abriu a contagem em cobrança de escanteio aos 30. Depois da cobrança, a bola sobra para Farias, que gira o corpo em belo lance fuzilando para o Gol. O goleiro do Atlético espalmou a bola na trave, mas a redonda sobrou para um carrinho de Caçapa, que fez 1x0 Cruzeiro.

Aos 32, o goleiro Márcio salva ótima jogada de Thiago Ribeiro. Thiago que, diga-se de passagem, se mostrava sempre perigoso em jogadas pela direita, ao mesmo tempo em que contribuía muito na marcação.

Aos 43, o bom Montillo – que no primeiro tempo tinha sido “apenas” bom – recebe um cruzamento na medida de Thiago Ribeiro e, em um jogo de corpo lindo, tira o zagueiro adversário da jogada e amplia para o Cruzeiro, 2x0, dando números finais a primeira etapa.

Cozinhando o jogo.

O segundo tempo foi “quase” tedioso. Logo na saída, o Cruzeiro recuou a bola para a defesa, dando bem a linha do time na etapa complementar.

O time goiano colocou um segundo atacante para tentar ser mais ofensivo, mas o Cruzeiro continuou senhor do jogo. Nada de muito importante acontecia na partida até que aos 24, Daniel Marques foi expulso.

Com um homem a mais, o Cruzeiro começou a tocar a bola com uma paciência nipônica, procurando atacar somente na boa. Acomodado em campo, o time era pouco objetivo e jogadores como Rômulo e Henrique pecavam por um preciosismo exagerado, em especial, o bom lateral que tentou inúmeras vezes jogadas de efeito na linha de fundo.

O problema é que o time relaxa a tal ponto que, mesmo com um a mais, dá espaços para o adversário jogar. Fábio, que comemora 30 anos nesta quinta, fez uma defesa cinematográfica aos 35, em chute de Victor Ferraz.

Aos 37, o gol mais perdido da história da Arena do Jacaré. Wallyson recebeu a bola tão livre, mas tão livre, que ele poderia ter tirado até um cochilo breve, que ainda assim teria tempo para concluir a jogada. Mesmo assim, com espaço, tempo e o gol escancarado, ele conseguiu chutar em cima do goleiro.

Menos mal que, depois de mais uma intervenção do abençoado Fábio no gol celeste, o mesmo Wallyson conseguiu marcar o 3º gol da partida, depois de um belo passe do Fabrício, aos 42. Ai foi só desligar o “fogo” e deixar o time adversário cozinhar até o fim do jogo.

Com a vitória, o Cruzeiro se recupera da derrota no fim de semana e cola novamente nos líderes. Sabadão, teremos mais um Atlético pela frente, desta vez, o paranaense. E desde já, estamos todos convocados para comparecer a Sampa Azul para empurrar o tima para mais uma vitória.

Vamos Cruzeiro!

3 comentários:

Anônimo disse...

Com previsão de mais um sorteio. Abs, Leonardo Campos

Anônimo disse...

onde esta a pergunta?
ahahhaha

thiago vaqueiro

Edu Mano disse...

Pessoal, vamos lançar a pergunta no dia do jogo contra o Atl PR.
Assim comunicamos a todos que estarão no QG.