quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A história ensina: a não duvide do Cruzeiro.


Um gol impedido logo no início da partida e uma bobeira da defesa em uma cobrança de lateral deram ao Atlético 2x0 de vantagem no primeiro jogo da decisão.

O Cruzeiro tentou manter o controle emocional e a posse de bola, mas foi pouco efetivo na busca do seu gol.

Resultado ruim? Sim, foi. Mas o verdadeiro Cruzeirense, aquele que não sofre de memória curta, há de saber que em se tratando de final e de Copa do Brasil, viradas heroicas são especialidade da Raposa.

1996, contra a seleção do Palmeiras é uma prova. 2000, 2 gols e a virada no final do jogo contra o ‘favorito’ SPFC também. O próprio rival, por duas vezes nesta edição da Copa do Brasil, também ensina.


Nos resta agora separar o joio do trigo, o torcedor que vai jogar junto do Cruzeiro até o fim daquele que na dificuldade vai atrapalhar.

Dia 26, eu estarei no Mineirão para ser testemunha de um time que vai lutar até o final, pois desistir não está no dicionário do verdadeiro Cruzeirense. Uns acreditam, eu tenho certeza de que os jogadores do Cruzeiro vão honrar a nossa camisa.


Força Cruzeiro! A luta pelo penta continua.

Nenhum comentário: