quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Por um futuro melhor.



Fala aí, galera.

Eu vou te contar, meus amigos... Acho que os bons tempos têm tudo para retornar a Toca em 2013.

Primeiro, porque o Mineirão estará de volta. Lá sim, nós jogamos em casa! Um estádio do tamanho do Cruzeiro, gigante, cheio de história... Será a real volta para casa, uma vez que nem a Walygator  Arena, muito menos a caixa de fósforo do América – vulgo o Magelão – podiam ser chamadas de casa’ celeste.

Segundo porque, depois de um 2011 terrível e um 2012 esquecível, finalmente a casa está entrando em ordem. E o personagem que vai decretar se este futuro será brilhante ou não é o nosso Gilvan de Pinho Tavares, que chamo aqui carinhosamente de o paladino e explico o porque.

Quando o Gilvan substituiu o ZZP, muitos se colocaram desconfiados. Era grande a preocupação de que ele seria mais do mesmo, uma vez que ele era candidato da situação, enquanto a torcida clamava por mudança.

Logo de cara, os primeiros desafios. Comandar um time sem dinheiro algum em caixa, enquanto via seu craque Montillo ser assediado por diversos clubes e manifestando o desejo de sair para o Corinthians.

E, contrariando os conselhos ZZPianos’ e a pressão da mídia, nosso paladino resistiu bravamente, segurou o Montillo, calou a imprensa e configurou o primeiro caso de um clube que conseguiu segurar um jogador ‘contra’ a vontade. Um marco no futebol mundial, apoie você a decisão do presidente ou não. É bem verdade que neste mesmo momento ouvi pela primeira vez na minha vida que o Cruzeiro atrasou salários, mas isso foi superado.

Recém chegado, Gilvan optou por manter dois personagens muito criticados pela nossa torcida em 2011: Dimas e V. Mancini, este último ‘gabaritado’ pelo histórico 6x1 nas ‘cocotas’. Isso, somado a chegada de jogadores na base do 0800 (nosso presidente confessou que só teve condições de trazer jogadores ‘de graça’ pela situação do clube) deu no que deu.

Se 2012 não foi brilhante (aliás, muito longe disso) o presidente atingiu a sua meta: segurar o Cruzeiro na primeira divisão e arrumar a casa. Para quem temia um rebaixamento, até que um 9º lugar não ficou de todo mal.

Pessoalmente, eu acredito que o tempo das vacas magras será passado na vida do Cruzeiro. Com a chegada do Diego Souza, a permanência do Montillo e com Borges, Ceará e Tinga em forma, nosso time precisaria de muito pouco para endireitar de vez. Isso sem contar o maior reforço de todos: o Mineirão.

Com a chegada do Mineirão, o Cruzeiro será tão grande quanto o apoio da sua torcida. O programa de Sócio do Futebol melhorou demais e hoje premia com pontos, facilita a compra de ingressos e oferece só vantagens para o torcedor apaixonado que deseja ver o Cruzeiro de perto. Neste sentido o Cruzeiro está no caminho certo. Resta agora a torcida fazer a sua parte, além de apenas cobrar, cobrar e cobrar.

Claro, ainda há pontos a se rever, como este aumento quase pornográfico nos valores dos sócios Brasileiro, Libertadores e Tríplice Coroa. Mas o plano ‘Cruzeiro Sempre’ está aí, bem baratinho, e cheio de vantagens para o torcedor que achar os demais planos salgados. Ou seja: não tem desculpa! Isso tudo sem contar que a tendência no futebol mundial é de que em um futuro muito breve, somente sócios consigam comprar ingressos para os jogos.

Vamos brincar de fazer contas e sonhar?

Se nosso Cruzeiro tem mesmo 8 milhões de torcedores, imaginem que somente 10% deles sejam fanáticos. Isso daria 800 mil apaixonados mesmo. Se todos eles pagassem R$ 27,00 por mês para o clube, nós teríamos nada mais, nada menos que R$21,6 MILHÕES POR MÊS para o clube. E tudo bem que atingir esse montante hoje é uma utopia... Imaginem, que seja, 1/4 disso. Mesmo assim É MUITA GRANA.

Por isso eu digo e repito: O Cruzeiro será tão grande quanto a vontade da torcida em colaborar. Cabe agora ao nosso clube acertar detalhes como um site mais amigável e intuitivo para inscrição, preços mais atrativos, uma maior atenção com os torcedores que residem fora de BH (afinal, não é na capital que estão todos os 8 milhões, não é?)... Coisas estas que eu tenho certeza que o nosso departamento de MKT está atento.

O resto, como a chegada de bons jogadores, conquistas e outras coisas boas mais será consequência. E cabe a ele, o nosso paladino Gilvan Pinho Tavares, comandar esta fase de mudança e crescimento.

A ele e a você, meu amigo. Eu tenho certeza de que se a torcida abraçar o clube, não teremos mais que conviver com o laranja do BMG em nossa gloriosa camisa, por exemplo. Bem como poderemos atingir a independência financeira que nos colocará – novamente – no lugar que nos é de direito: o de protagonista do futebol mundial.

Feliz 2013 para toda a nação celeste!

Nenhum comentário: