segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Povo estressado...


Era para ser um jogo dito ‘mais fácil’ contra um time em crise, a quatro jogos sem vencer e no fundo da tabela: a Ponte Preta. Mas a sina de desfribilador azul prevaleceu e o Cruzeiro perdeu a partida, ressuscitando a Ponte e caindo na tabela.

O Jogo

Boa presença de público no Independência e também na Sampa Azul. Tudo pronto para time e torcida jugarem juntos e buscarem mais 3 pontos para a raposa. Mas parece que jogar ‘em casa’ para o Cruzeiro nem sempre é uma boa pedida.

O time até que começou bem a partida, correndo muito, marcando em cima, pressionando. Mas bastou um momento de vacilo para que o Cruzeiro tomasse – mais uma vez – o primeiro gol da partida aos 17 do primeiro tempo, em bola nas costas do zagueiro Leo aproveitada por Cicinho da Ponte.

O Cruzeiro lutou, tentou, pressionou... Mas parece que jogar no Independência e precisar ‘buscar o resultado’ não é uma boa combinação. A torcida fica impaciente, cobra o time e pega demasiadamente no pé de jogadores. Ontem isso aconteceu com o Charles.

O jogador, com anos de história no Clube, errou alguns passes e realmente estava meio mal na partida. Mas a torcida decidiu vaiá-lo. De cabeça quente e emotivo, o jogador respondeu com gestos... Tudo isso em uma cena totalmente desnecessária por parte de ambos os lados (torcida e jogador).

Até que aos 47, Borges conseguiu empatar a partida. O time saía para o intervalo com a igualdade, com Charles chorando mas de ânimo renovado.


Era oque precisávamos para virar o jogo, mas...

Time animado, Charles em campo com o nome cantado pela galera, expectativa da virada... Mas logo aos 3 minutos, Marcinho cobrou falta e o Fábio – justamente ele que opera diversos milagres, tomou um frango terrível e desmontou o time. Daí em diante o Cruzeiro tentou, mas com WP9 e M. Oliveira entrando no time fica difícil buscar qualquer coisa e o resultado final foi mesmo a derrota.

No fundo, mais do que futebol, faltou paciência. Para o time, que precisa colcoar a cabeça no lugar e aprender a pensar tanto quanto corre. E principalmente a torcida, que não parece entender o seu verdadeiro papel perante o time e jogadores.

O Cruzeiro despencou 3 posições. Foi uma rodada muito ruim pois TODOS os adversários diretos pelo G4 ganharam seus jogos. Nós... bem, tivemos mais uam vez aquele choque de realidade para colocarmos os pés no chão.

Agora é juntar os cacos para mais um jogo muito difícil contra um conturbado Santos, fora de casa. Aliás, serão 2 jogos fora de casa e a necessidade de vitória é grande.

Que o Cruzeiro consiga juntar seus cacos para buscar uma melhor sorte nos próximos jogos.

É negada. Torço para que nosso Cruzeiro volte a conquistar títulos importantes logo. Pois essa nova geração de torcedores parece não entender direito o papel de um torcedor perante o time. Idolatra e aplaude jogadores de times adversários como M. Moreno e Fred (que sim, tiveram boas passagens por aqui e merecem o carinho) mas esquecem que o apoio para o jogador DO NOSSO TIME é realmente o primordial.

De vez em quando, essa ‘má fase’ parece até ser castigo para tamanha soberba.

Que o futuro nos reserve algo melhor.



Nenhum comentário: