quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Quem não faz… ganha?!

Em jogo que valia muito para os dois times, o Cruzeiro abusou de perder gols na etapa complementar, mas conseguiu vencer a partida contra o Goiás, graças a uma ajudinha do time esmeraldino.

O jogo.

O Serra Dourada, junto com o Mineirão, são os campos de maiores dimensões do futebol Brasileiro. Brasília é uma cidade com muitos torcedores do Cruzeiro. O Goiás, embora jogando em casa, estava em um campo ‘neutro’. Era um jogo de um Cruzeiro buscando a ponta da tabela, contra um Goiás desesperado para sair da rabeira do campeonato.

Mais uma vez, o Cruzeiro entrava em campo sabendo dos tropeços dos adversários diretos ao título. Era a hora de – enfim – aproveitar as brechas deixadas pelos inimigos.

Se sobrava motivação aos dois times, no campo, os minutos iniciais do primeiro tempo mostravam o contrário. Foi um jogo chato, monótono e estranho até o finzinho da primeira etapa.

Só aos 39, Robert recebeu um lançamento muito bom e ficou cara a cara com o goleiro. Na tentativa de ‘drible’, Harley tocou na bola e o camisa 9 do Cruzeiro caiu no chão. Aos 42, em cobrança esperta de escanteio, Thiago Ribeiro recebeu na pequena área e chutou no travessão goiano. E foi só o que aconteceu no primeiro tempo.

Já na etapa complementar, o Goiás voltou com um atacante a mais. Só que foi o Cruzeiro que cresceu na partida. Logo aos 3, um chute perigoso de Montillo passou rente ao gol.

O maior volume de jogo do Cruzeiro foi recompensado aos 10, quando em jogada pela direita, Montillo cruzou a bola para Henrique. Jonílson (ex Cruzeiro e Cocotas) deu um peixinho maravilhoso para o próprio gol e abriu o placar.

E olha, ainda bem... porque se dependêssemos do nosso ataque, estaríamos fritos.

Perdendo a partida, o Goiás foi para o tudo ou nada, deixando muito espaço para o Cruzeiro. Aos 22, Thiago Ribeiro (que precisa parar de assistir Futebol Americano) roubou a bola da defesa goiana, penetrou na área e chutou uma bola perigosa por cima do gol.

Aos 30, Pablo soltou um torpedo que estourou nas mãos do goleiro Harley e 3 minutos depois, Robert perdeu um gol incrível ao receber um passe maravilhoso de Thiago Ribeiro.

Um ataque de riso.

A quantidade de gols perdidos pelo Cruzeiro foi uma grandeza. Um time PROFISSIONAL, com jogadores que se dedicam ao esporte a semana toda e jogam em uma equipe como o Cruzeiro não podem perder tantos gols cara a cara.

Um ou outro lance, tudo bem. Mas o que este Robert perde de gol é um absurdo. Cara a cara, basta fazer o simples... Mas não conseguem. O Thiago ‘isola’ Ribeiro ainda tem crédito por correr e armar as jogadas... Mas gol mesmo parece não ser a sua especialidade.

De uns tempos para cá o povo não ergue a cabeça para chutar ou cruzar a bola. Os resultados são chutes altos, arremates que vão literalmente para o espaço. O Cuca precisa ‘comer o toco’ deste povo.

Final nervoso e vice-liderança nas mãos.

Como não foi eficiente nos arremates, o Goiás ainda tinha esperanças e foi para o ataque. Por sorte nossa e incompetência do Goiás, o ímpeto verde não foi mais forte que a defesa azul e o jogo acabou mesmo 1x0 para a raposa.

Hoje, o ditado foi “Quem não faz... ganha!”.

Agora, com 51 pontos, o Cruzeiro está a apenas 1 do líder Fluminense, adversário direto no próximo domingo em Uberlândia. Temos tudo para terminar o feriadão como líderes do campeonato.

Mas para isso, além do apoio incondicional da torcida, vamos precisar de mais poder ofensivo. De mais não... de algum poder ofensivo.

Domingão é todo mundo junto no QG para mais uma corrente positiva. Que venha mais uma vitória e mais 3 pontos. Vamos vamos Cruzeiro!

Nenhum comentário: