domingo, 8 de março de 2015

Tudo igual.

-->
Cruzeiro e Atlético fizeram o primeiro clássico do ano em busca da reabilitação se seus tropeços na Libertadores, mas saíram de campo com um empate em 1x1.

Fábio, com um milagre e um pecado, foi um dos personagens principais da partida. Enquanto Williams fez outra partida sensacional, nosso time ainda mostra que não superou as saídas de E. Ribeiro e Ricardo Goulart.

Nossa defesa continua bem e só tomou gol em falha de Fábio. Porém, se não houve criatividade, sobrou luta. E foi neste estilo brigador que L. Damião fez o gol de empate – típico de camisa 9.

Empate justo, pelo que as duas equipes mostraram em campo.

O jogo.

A partida começou bastante truncada. Tanto Cruzeiro quanto Atlético marcavam demais, o que deixou o jogo um pouco chato na etapa inicial. William chutando um cruzamento de meia bicicleta de L. Damião foi a melhor chance do Cruzeiro. O Atlético, por sua vez, parou nas mãos milagrosas de Fábio, que defendeu uma cabeçada e um chute, ambos a queima roupa.

Ainda houve tempo para um belíssimo chute de Paulo André, que exigiu o máximo do Goleiro Victor. Mas foi só.

O segundo tempo teve mais emoções, com ambos os times buscando mais jogadas ofensivas. O Cruzeiro sacou William e De Arrascaeta para colocar Judivan e Alisson. Aliás, faço um abreve pausa para mais uma vez comentar a partida do jovem camisa 10. Ele ainda está longe de justificar o alto investimento feito pelo seu passe, porém – embora tenha sido um jogador comum em campo – eu, que sempre cobro mais participação dele nas partidas, tenho que reconhecer que ele procurou jogo, se movimentou mais e chegou a dar mais combate. Para mim, fez sua melhor partida com a camisa do Cruzeiro.

Se com as mãos Fábio é inconteste, com os pés a história não é a mesma. Em lance disputado por Alisson, a bola sobrou para a área. Na dúvida se podia ou não pegar a bola com as mãos, Fábio chutou com tudo para frente. A bola, porém, bateu nas costas de Patric e sobrou para Rafael Carioca fazer 1x0.

Em mais uma substituição ousada, M. Oliveira sacou Williams e colocou Joel. A mudança se fez valer aos 37 minutos, quando o camaronês tocou a bola para L. Damião que dominou dentro da área, brigou com o zagueiro e na base da força física, girou o corpo para fazer um gol típico de centroavante. 1x1.


Na sequência, o Cruzeiro quase virou a partida em cabeçada de Alisson. Mas ficou por isso mesmo. O Cruzeiro sai da partida ainda líder do Campeonato Mineiro e sem ter perdido a partida, o que é muito bom para manter o clima de paz na Toca enquanto M. Oliveira ainda busca o melhor deste novo Cruzeiro.

Vamos Cruzeiro!


Nenhum comentário: