quinta-feira, 6 de junho de 2013

Um nove quase dez

Fala, galera! Que jogão ontem, não? Vitória na vontade, na raça, como tem que ser. A Arena do Jacaré tem sido a casa dos jogos mais sofridos do nosso Cruzeiro nos últimos anos, não há dúvida. Gostei muito do empenho do time, buscando a vitória a todo o momento. No entanto, preciso fazer algumas ressalvas.

A primeira delas, em relação ao Anselmo Ramon. Tem quem goste, tem quem idolatre, tem quem diga que é melhor que Eto’o. Tem de tudo. Sinceramente, não acho que dê mais para coloca-lo como titular. Ele até que se esforça, tenta uma ou outra jogada de efeito, mas é pouco. Pouquíssimo, eu diria. Na ausência de Borges, precisamos de um atacante mais leve, versátil. Para mim, Lucca deveria ter entrado como titular ontem. O garoto mostrou fome de bola nas poucas partidas que entrou, marcou um gol inclusive. Sinto que está na hora de dar chance aos suplentes e deixar Anselmo esquentando o banco.

Leandro Guerreiro também está com os dias contados. Deveria estar, pelo menos. Sua primeira temporada no time foi muito boa, supriu a falta de Fabrício. Mas não é mais o mesmo. Ontem lhe faltou segurança e confiança. Errou muitos passes, estava afoito querendo se livrar da bola logo. Sem falar na marcação, que ele vem pecando há algum tempo. Se ainda houvesse vaga na zaga, acho que seria uma boa saída para ele, mas não vai ser dessa vez. Espero que o Souza venha para dar mais segurança a essa posição.

A lateral- esquerda então, nem se fala. Não é de hoje, nem de ontem, nem de anteontem. Há algum tempo estamos tendo problemas com essa posição. Éverton até que começou bem, mas faltava-lhe mais eficiência no apoio à marcação. Egídio, que chegou como solução, até então não convenceu. É outro que anda errando passes demais, ontem mesmo foram vários. Quem dera tivéssemos outro Mayke, só que canhoto. O garoto está jogando muito, anda mostrando muita personalidade.

De toda forma, acredito e muito neste time do Cruzeiro. Estamos no caminho certo, tenho certeza. Entretanto, temos em mãos um time recém-formado, e como todo time recém-formado existem arestas que precisam ser aparadas. Tudo normal, ainda mais para um começo de campeonato. Hoje, somos líderes. Líderes de um dos campeonatos mais disputados. Que seja assim até o final.

OBS: Quero deixar aqui meu profundo descontentamento com o modo como o Cruzeiro foi (e sempre é) tratado nas transmissões de jogos contra times paulistas. Ontem foi um belo de um festival de comentários bairristas e tendenciosos na transmissão da Globo. Quem assistiu, sabe o que estou falando. Uma pena que isso ainda aconteça, mas enfim. Calaremos estes comentários com nosso futebol, o resto é balela.

Nenhum comentário: