sábado, 30 de agosto de 2014

Seca mais que tá dando sorte.


No Brasileirão não existe jogo fácil. É com esta mentalidade que o M. Oliveira vem motivando o time para que joguemos sempre um grande futebol. Só que hoje, foi mais sofrido do que imaginávamos. Pelo menos no primeiro tempo.

Pessoalmente, eu não gosto de pegar estes times muito pequenos. Eles já vem ao Mineirão sabendo que perder é normal, por isso jogam ‘não jogando’, fechados, por uma bola. Bola esta que a Chapecoense conseguiu em desvio de Zezinho, aos 10 minutos de jogo. A partir daí, o Cruzeiro martelou, martelou, lançou bolas, chutou de longe, mas a bola insistia em não entrar.

Partida difícil, daquelas que todos os torcedores dos demais times estavam acompanhando para secar. M. Oliveira precisava mexer no time e foi isso que ele fez, ao sacar William para colocar o Alisson.


E foi na base da base que o Cruzeiro virou o jogo, com ótimas atuações de Alisson e Mayke, que passeou fácil pela ala direita. Enquanto o time da Chapecoense ainda arrumava os meiões, a Raposa virou a partida.

Aos 4 minutos, Alisson cruzou a bola para Leo fazer o primeiro. E aos 6, veio a virada, também de cabeça, com M. Moreno, em ótima jogada feita pelo Mayke que cruzou sob medida para o flecheiro celeste.

O Cruzeiro continuava a pressionar e chegou ao 3º gol aos 13, com Alisson, em bola mais uma vez cruzada por Mayke.

Quando a Chapecoense encostou no placar, aos 26, com Bruno Rangel, houve quem ficasse preocupado (confesso que fiquei). Mas como quem dissesse ‘deixa que eu ganho esse jogo quando quiser’, o Cruzeiro tratou de fazer o 4º e derradeiro gol do jogo dois minutos depois, novamente com Marcelo Moreno, que nesta partida se tornou o segundo maior artilheiro estrangeiro com a camisa do Cruzeiro.

A Chapecoense ainda teve uma boa chance de gol, mas o time celeste conseguiu segurar o placar e garantir mais 3 pontos em nossa luta pelo Tetra.

E aos secadores, um recado: pode secar... Aliás, sequem mais, porque tá dando muita sorte.

Vamos Cruzeiro!


Nenhum comentário: