quarta-feira, 27 de agosto de 2014

5 no Sta. Rita, porque 6 só na Sta. Rosa.


Assim que o juiz apitou, o modesto Santa Rita foi quem protagonizou o primeiro ataque da partida. E pronto, acabou a participação do time alagoano no jogo.

Não sei dizer ao certo as estatísticas de ontem, mas o Cruzeiro deve ter conseguido 280% de posse de bola, quase todo tempo no campo do adversário. Umas 320 chances de gol. Só o M. Moreno deve ter perdido umas 90 oportunidades claras. Bolas na trave foram 3 (essa eu contei... rs). E o número que conta: 5 gols a 0 para a Raposa.

A disparidade entre os times era tão grande que só o Cruzeiro tinha algo a perder. Mas o time tratou de espantar a zebra com uma atuação consistente, de muita movimentação, toque de bola e dedicação na marcação.

Embora os números exagerados sejam uma ‘brincadeira’, dentro de campo havia mesmo um abismo técnico entre as equipes. Marcelo Moreno, aos 7 minutos, Dedé, aos 17 e Júlio Baptista, aos 34 deram números ao placar do primeiro tempo. Marcelo Moreno, aos 9 e Henrique aos 42 complementaram os números da partida, que ficou marcada na história do clube como a milésima vitória do Cruzeiro no Mineirão.


Feliz com a vitória expressiva, conquistada com um time misto – diga-se de passagem, o torcedor que foi ao Mineirão voltou para casa com a sensaçãoo de que ficou até barato para o time de Santa Rita. Mas tudo bem, até mesmo por uma questão de respeito... Afinal de contas, todo mundo sabe que 6 é exclusividade da Sta. Rosa. #TumDumPish

Agora o foco no Brasileirão, para um duelo complicado contra o modesto time da Chapecoense.


Vamos Cruzeiro!

Nenhum comentário: