segunda-feira, 2 de setembro de 2013

8 gols. 3 pontos a mais.



Que jogo! Gol relâmpago, gol de falta, gol de longe, empates, desempates... Que jogo!

A crônica de hoje vai ser curtinha, pois eu acabei trabalhando no domingão e não consegui ver o jogo na Sampa Azul. Mas assisti detalhe por detalhe a partida em casa.

Depois do gol relâmpago, com William aos 31 segundos, o Cruzeiro pressionou e não fez o segundo por um milagre do goleiro vascaíno, em cabeçada do J. Batista.

E o Vasco empatou. Foi quando o jogo ficou mais igual e perigoso. Mas aí, Lucas Silva – que teve uma atuação impecável – fez o seu primeiro gol, em um belo chute de fora da área. Quando o J. Batista fez o 3º de falta, juro que pensei: agora já era.

Mas logo na saída de bola o Vasco fez o seu 2º gol. Sinal claro de que aquele não era um jogo normal. E o 3º não me surpreendeu, pois o Cruzeiro estava desfalcado do seu meio de campo titular e do entrosamento na marcação, que lhe é peculiar.

Foi um jogão, que não poderia ter acabado empatado. O Cruzeiro precisava da vitória e ela renasceu em mais um belo chute, um golaço, de Lucas Silva.

Perdendo o jogo, o Vasco foi para o tudo ou nada. E deu nada. Em jogada de contra ataque, V. Araújo fez o 5º e decretou a vitória do esquadrão celeste, mais vivo do que nunca na briga pelo caneco.

Agora é juntar forças para pegar o Baêa, na Baêa... Ochi.
Mas futebol arretado, por futebol arretado, eu sou mais Cruzeiro.

Vamos Cruzeiro. Estamos fechados com você!

Nenhum comentário: