terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Vamos jogar com a camisa do Vélez?


Me chamem de saudosista, ou até mesmo de antiquado, mas na MINHA opinião existem 3 coisas ‘imexíveis’ na vida de um clube de futebol que precisam ser respeitados a todo custo: sua história, sua torcida e sua camisa, que é o símbolo maior de tudo isso.

Já fomos Palestra Itália e com este nome ostentamos as cores verde e vermelho. Durante uma semana, com o nome de Ypiranga, tivemos uma camisa azul com uma faixa branca no meio da barriga. Logo após passamos a nos chamar Cruzeiro e o primeiro esboço da camisa azul ainda apresentava o escudo fechado sobre o manto. Tudo isso está lá, é história e valorizo mais do que ninguém.

Mas foi com a camisa de estrelas soltas sobre o infinito Azul que nos tornamos um dos maiores clubes do Mundo. Foi com esta camisa que nos tornamos o Cruzeiro Esporte Clube que todos conhecem e respeitam. Esta camisa passou a ser o símbolo maior de uma nação de torcedores.

Em 1998, porém, tivemos a primeira afronta a nossa história e torcida quando o Cruzeiro firmou uma parceria com a Hicks Muse. O clube deciciu retornar o Escudo fechado sobre o peito, chegando a “maquiar” uma pesquisa de opinião dos torcedores, tudo para atender aos desejos do investidor que NADA sabia de nossa história. A justificativa era ter no nome “Cruzeiro” escrito na camisa, como se o símbolo da constelação mais famosa do planeta por sí só já não fosse o suficiente.

Algum tempo depois, agora respeitando a votação de sua torcida, as estrelas voltaram. Na verdade, passaram a revezar com o escudo o local de destaque em nossa camisa, o que não me agrada, mas reconheço como uma boa solução para atender aos torcedores que preferem esta alternativa do escudo.

Com a modernidade do futebol e o marketing, passamos a criar uniformes alternativos como camisa 3, o que é perfeitamente justificável e válido considerando que estas NÃO são a camisa principal do clube. Já tivemos camisas ‘meio a meio’ em azul e branco, roxa, azul claro e até mesmo a recém lançada amarela. Tudo isso sem contar as camisas especiais de goleiros, como a do Dida que homenageou o Palestra das antigas e a 3ª camisa do Fábio, remetendo a linha retrô do nosso Cruzeirão. Destas, NADA tenho a reclamar, embora não tenha gostado do layout de todas.

Agora, a apresentação do atual uniforme para a temporada 2011 é simplesmente a maior afronta a nossa história, tradição e – principalmente – a nossa torcida. Este “V” sobre o peito, além de remeter a camisa do Argentino Vélez, modifica de forma violenta aquela que aprendemos a amar como a camisa do Cruzeiro.

A justificativa é que se basearam na camisa de 1943. Mas eu pergunto, por quê? Qual o motivo de desfigurar a camisa que passou a ser mundialmente conhecida para homenagear este ano em específico. E ainda temos de ouvir que “esta camisa foi para mudar um pouco, uma vez que as duas últimas estavam parecidas”. Francamente...

E vale a pena destacar. NÃO estou criticando o desenho da camisa, ou mesmo dizendo que ela está feia. Pelo contrário, acho que ela seria um excelente 3º uniforme. Só não aceito tranquilamente que ela seja a camisa principal de um time com tamanha tradição. Algo desta magnetude não se faz sem antes consultar a vontade da torcida. Ou que, pelo menos, tivessem consultado o sócio torcedor do clube, já que este pobre coitado não tem direito a nada.

Respeito quem gostou desta invenção (embora não tenha achado NINGUÉM contente com esta mudança), mas reafirmo que algo tão importante e tradicional não poderia ser modificado SEM o aval da torcida. A camisa do Cruzeiro é nossa e não de um punhado de homens de escritório que nem mesmo sei se são cruzeirenses.

Mexer com nossas cores e tradição desta forma é algo revoltante, para não dizer ofensivo contra um universo de 8 MILHÕES de fanáticos torcedores que mereciam – ao menos – ser consultados a respeito da mudança que foi feita.

O “V” estampado no peito desta camisa é o “V” de vergonha, do vexame de insistirem em afrontar a vontade da grande maioria de nossa torcida que EXIGE o manto azul com as estrelas soltas como uniforme principal do time que conquistou o mundo sobre este símbolo.

E, mais uma vez, estaremos sobre o foco da mais importante competição das Américas e ao olharem os vídeos e fotos de 2011, no futuro, muitos se perguntarão “que time era este?”

Como eu disse, existem coisas no futebol que são sagradas e esta camisa como uniforme 01, empurrada pela goela abaixo como está sendo feito, desrespeita nossa história, nossa torcida e nossa tradição.

Parabéns, torcedor celeste. Este ano você torcerá para duas equipes na Libertadores 2011: Cruzeiro e Vélez.

4 comentários:

Duca disse...

Edu acho que você mais uma vez colocou tudo o que o torcedor do Cruzeiro está sentindo...

Essa camisa é uma vergonha e um desrespeito sem tamanho...Se ela fosse a camisa 3 seria perfeito, mas na minha opinião camisa 1 não se muda desta forma. É a tradição do clube que vai jogar a maior competição da America.

E a pergunta é simples...E se nos ganharmos essa Libertadores???Vamos sair na foto do titulo com essa camisa do Velez??

Nielsen disse...

Apoiado, os perrelas se sentem tão donos do clube que acham que podem até mudar o uniforme.

Anônimo disse...

Como camisa 3 seria muito louca, desde que o BMG fosse branco, OU MELHOR, que nem estivesse lá...

Bomfim disse...

Como camisa 3 seria muito louca, desde que o BMG fosse branco, OU MELHOR, que nem estivesse lá...